domingo, 29 de setembro de 2019

Material para professores que participaram da Conferência da EBD

Material para os professores e lideranças que participaram da Conferência da EBD na Catedral da Assembleia de Deus Zona Norte de Macapá no dia 28/09/2019. Baixe AQUI



quinta-feira, 26 de setembro de 2019

A mudança que Jesus faz - Pr Gesiel Oliveira



Hoje quero compartilhar com vocês uma experiência que tive na minha vida missionária no mês de julho de 2012. Antes dessa viagem tive um sonho em que eu estava andando em um caminho sombrio, e ali encontrei um homem sujo, cabeludo, maltratado e cambaleante que estava à beira do caminho me pedindo socorro. Eu segui direito e o ignorei, e lá na frente ele apareceu novamente e me disse: “me ajude por favor, não me ignore”. Foi então que eu estendi a minha mão e o ajudei a se levantar, e devagar fomos andando juntos. Eu não entendi o que significava aquele sonho. Três dias depois eu embarquei rumo a essa viagem ao Bailique. Eu e uma equipe de pastores viajamos cerca de 12 horas de barco. Fomos visitar nossas igrejas no Arquipélago do Bailique. Uma delas, em uma ilha a cerca de duas horas de voadeira, partindo da Vila Progresso, sede do distrito. 

Ali eu fui pregar em uma manhã de avivamento, que iria começar às 9h de uma manhã de domingo. Eu tive a ideia de sair bem cedinho batendo de porta em porta com a minha equipe de pastores, naquela pequena vila em uma região ribeirinha. A ideia era sair convidando os moradores para aquele evento. Acordamos cedo e saímos fazendo esse evangelismo pelas pontes daquela localidade. Quando nós passávamos em frente a um bar, vi um homem deitado em um banco, em sua mão segurando uma garrafa de cachaça, absolutamente bêbado dormindo ao relento. Ele com dificuldade estendeu sua mão em minha direção e gritou: “pastor me ajude!”. Na hora me lembrei do meu sonho. Um dos obreiros que estava ao meu lado, segurou na minha mão e me disse: “pastor não vá lá, esse bêbado anda caindo pelas pontes aqui há anos, e vive pedindo dinheiro a quem passa”, ao que eu disse: “Jesus nos mandou aqui exatamente para pregar o Seu Evangelho à esses seus filhos perdidos no mundo”. Virei meu rosto naquela direção, e fui até lá, e ele passou a me dizer em lágrimas: “me ajude pastor, eu não consigo sair dessa vida miserável do vício da bebida. Eu quero mudar, mas não consigo, não encontro forças para sair dessa vida. Será que Jesus me aceita assim?”. 

Eu respondi a ele: “Deus te ama, e enviou seu único filho para te salvar. Hoje a salvação chegou na tua vida”. Oramos por ele. Eu fotografei aquele momento. Nós conseguimos uma camisa, uma calça e um sapato, colocamos nele, e o levamos à igreja. Ele ficou deitado no primeiro banco, aparentemente dormindo, entorpecido pela bebida. Eu estava ministrando sobre como Davi mandou resgatar Mefibosete em Lode-Bar depois de quase 20 anos, e trazê-lo em sua carruagem real ao palácio para morar ali. Falei que assim também Jesus um dia se levantou do seu trono, perguntou acerca do seu filho(a) amado(a), perdido(a) neste mundo, e mandou o chefe da guarda real com sua carruagem buscá-lo naquele lugar abandonado e esquecido. Quando então percebi que aquele bêbado, apesar de estar com seus olhos fechados, as lágrimas desciam pelo seu rosto. Era o Espírito Santo que estava agindo naquela vida. Ele estava entendendo o que eu pregava. 

Depois daquele culto retornei à Macapá, e só voltei àquele lugar 5 anos depois. Era festa do círculo de oração. Eu costumo chegar cedo em cultos de festas. Quando cheguei à igreja, perguntei pelo pastor da igreja, mas ele ainda não havia chegado. Quem me atendeu foi o porteiro da igreja, bem vestido em seu paletó preto bem passado, gravata vermelha e camisa branca, cabelo bem arrumado, Bíblia embaixo do braço, perfumado, alegre e disposto, ele veio ao meu encontro e me deu um forte abraço e me perguntou: “Você se lembra de mim?”, ao que respondi: “sinceramente não!”. Ele então disse: “há anos queria lhe reencontrar. Eu sou aquele bêbado que lhe encontrou à beira do caminho”. Hoje sou diácono, prego a palavra, minha esposa é do círculo de oração e muitos dos meus familiares aceitaram a Jesus e estão aqui neste culto hoje. Guardei essa foto para me lembrar do que Jesus é capaz de fazer na vida daqueles que abrem seu coração para ele morar. Essa é a maior mudança que Jesus faz. Por isso nunca deixo de pregar o evangelho salvífico a ninguém, pois não sou eu que faço a semente germinar, sou apenas aquele que a lança no solo."Se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo". 2 Coríntios 5:17 e Mt 25.36 diz: "Porque tive fome, e destes-me de comer; tive sede, e destes-me de beber; era estrangeiro, e hospedastes-me; Estava nu, e vestistes-me; adoeci, e visitastes-me; estive na prisão, e foste me ver". Esse é o evangelho de Jesus que transforma.

terça-feira, 24 de setembro de 2019

A farsa do aquecimento global - Por Gesiel Olveira


À medida que os anos vão passando e os dados vão se acumulando, torna-se cada vez mais evidente que o aquecimento global é uma fraude. A mudança climática é algo natural e permanente, mas a Terra não se aqueceu significantemente ao longo dos últimos trinta anos. Tampouco houve algum efeito único e negativo, de qualquer tipo, que possa ser inequivocamente atribuído ao aquecimento global.

No presente momento, dados de satélite mostram que a temperatura média global é a mesma do ano de 1979. A extensão do gelo marítimo global também segue imutável desde 1979Calcula-se, através de registros paleográficos, que desde a última Glaciação, a cerca de 2,5 milhões de anos, o nível do mar chegou a estar mais de 0,5 metro acima do atual, quando a Terra tinha uma temperatura média de cerca de 1º C de diferença do atual.

A realidade é que nos últimos dois séculos, não houve qualquer aumento no nível do mar. Se as calotas polares estão derretendo, por que o nível dos oceanos não está subindo? Ademais, o aquecimento global supostamente deve aumentar a severidade e a freqüência das tempestades tropicais. Mas a ocorrência de furacões e tufões está em níveis historicamente baixos se analisarmos os últimos 10 mil anos. Há um exagero ambientalista global. Eu sei o que falo, sou formado e pós graduado em Geografia. Engolimos um retórica preparada e arquitetada nas academias ambientalistas. A causa dessa histeria "aquecimentista" é a infiltração da ciência por fanáticos ideológicos que colocam a política acima da verdade. Muita gente confunde a sensação térmica das Ilhas de calor dos espaços urbanos, que são pontinhos quase invisíveis no mapa mundial, com aquecimento global. 



Um aspecto que está diretamente relacionado a esse assunto é o tal "efeito estufa", segundo o qual, gases emitidos se concentram na atmosfera, impedindo os raios solares de retornarem ao espaço e provocando uma espécie de "efeito estufa" mundial. É isso que consta nos livros escolares. Mas o doutor em climatologia pela USP, Ricardo Augusto Felício, que junto com sua equipe do Departamento de Geografia, tenta ecoar sua voz para mostrar que entramos numa rota equivocada, e que o debate precisa ser ampliado, para tratar deste assunto do modo como ele merece. Em entrevista ao site DCI, de São Paulo, ele afirmou que “a história do aquecimento global é baseada em um conceito geofísico que não existe, e não se consegue fazer evidências científicas desta existência. É uma grande balela! Os cientistas perguntam onde estão as provas desta existência, e o lado de lá [cientistas e ambientalistas que acreditam] há 26 anos não nos apresentam”, explicou o especialista. “A força que eles conseguiram para manter esta ideia vem do caos ambiental provocado por forças cósmicas. O aquecimento global se tornou o mal para todos os problemas da sociedade, e isso é ridículo”, afirmou. Os ambientalistas sustentam a tese de que o aquecimento global seria oriundo da re-emissão causada por gases ditos de "efeito estufa", graças a sua elevação de concentração na atmosfera, por exemplo, do dióxido de carbono (CO2).  “O grande absurdo de tudo isso é achar que um elemento só controla tudo, dizendo que o CO2 ou qualquer outro gás causaria o efeito estufa. Este reducionismo é ridículo, é chamar todos os cientistas da história de idiotas.Primeiro, porque, quem controla o clima da Terra é o Sol, e depois são os oceanos, que são 3/4 do planeta”, explicou o climatologista. 

Ele continua: “O CO2 não tem nenhuma contribuição específica, sua taxa na atmosfera equivale a apenas 0,035%, no máximo, e a própria elevação deste gás é suspeita, se comparar medições de satélites com as de superfície, não batem. Não dá para acreditar nisso, primeiro por conta das medidas, segundo porque a hipótese é furada”, continua o climatologista. “A história deles é que estas moléculas fariam um jogo de ping-pong com a radiação infravermelha e voltariam para a Terra. Isso não dá para acreditar, porque primeiro se ela absorvesse a energia ela trabalharia em um processo isotrópico e deveria ir para todos os lados, e não como uma raquete que bate e volta para o planeta. O efeito estufa é uma teoria física que não existe, por conta de que nosso planeta tem esta temperatura, pois a atmosfera recebe a energia do Sol”.

Se olharmos do mapa mundi a partir de imagens de satélites, a maior cidade do mundo, Tóquio (Japão) com uma população: 37,8 milhões, ela vai aparecer como um minúsculo pontinho quase invisível na imensidão do mundo. Se juntássemos toda a população do mundo, cerca de 7 bilhões de seres humanos, daria para concentrar todos só na cidade de São Paulo. Não estou falando nem do Estado do São Paulo (248.209Km²), estou falando da cidade de SP que tem apenas 1.521 km² um pedacinho de terra que equivale a 0,017871% do território do Brasil (8.511.000 km²), ou cerca de 0,000298% do mundo (510.100.000 km²). É só fazer as contas: O mundo tem atualmente 7,1 bilhões de habitantes. A cidade de São Paulo tem uma área de 1.552,986 km2 ou 1.552.986.000 m2 (um bilhão e quinhentos e cinquenta e dois milhões e novecentos e oitenta e seis mil metros quadrados). Fazendo a divisão, temos 4,7 pessoas por metro quadrado. Se pussermos estas pessoas em pé, uma bem do lado da outra, como em um show de um cantor popular ou no réveillon de Copacabana, poderíamos sim colocar toda a população mundial, metro por metro, na área da cidade de São Paulo. Mesmo que a população mundial aumente para 14 bilhões de habitantes ainda caberia na cidade de São Paulo se todas ficassem juntinhas (9 pessoas por metro quadrado) como no metrô, em horário de pico.


A última glaciação ocorreu há cerca de 2,5 milhões de anos, durante o início do período quaternário, e há cerca de cerca de 40 mil anos, o degelo das calotas polares está recuando progressivamente como parte de um processo natural. E assim naturalmente o planeta se aquece nos intervalos entre as glaciações, e estamos nesse período. Estima-se que a próxima aconteça em 2 mil anos. Ou seja, a tendência com a aproximação da próxima glaciação provocará um resfriamento global. E assim o nosso planeta há milhões de anos esquenta e se resfria naturalmente a depender do período. A questão é que falta conhecimento para a maioria da população que cai nessa balela fraudulenta do aquecimento global politiqueiro que atribui dolosamente a culpa disso à emissão de gases gerados pelo ser humano. Mentira deslavada! Procurem mais na Internet e verás que os maiores cientistas afirmam que o aquecimento global é uma fraude. Quem encampa esse discurso tem sido países desenvolvidos e seus "pau-mandados" de ONG ambientalistas ligadas à grandes empresas e países que difundem essa mentira com o objetivo de garantir interesses geopolíticos e estratégicos em relação à países desenvolvidos.

A teoria mais aceita atualmente sobre o que de fato provoca o aquecimento e resfriamento em períodos determinados ao longo dos milhões de anos, foi elaborada pelo matemático e físico sérvio Milutin Milankovitch, e afirma que as eras geológicas são motivadas pelas variações nas taxas de radiação solar, uma vez que é essa a principal fonte de calor da Terra, responsável por mais de 90% da energia processada pelo planeta. Para Milankovitch, há três principais fatores cósmicos definidores para a variação da radiação solar, a saber:



a) Deslocamento do periélio

b) Inclinação do eixo de rotação

c) Precessão dos equinócios (ou movimento precessional) 



Ou seja, todos esses fatores estão ligado a fatores de forças astronômicas e galácticas e a períodos determinados de aquecimento e resfriamento que sempre ocorrem na história do nosso planeta e não à minúscula ação do homem. O efeito manada provocou essa histeria ambientalista mundial a respeito de uma suposta alteração climática provocada pelo antropismo, quando na verdade as principais causas estão ligadas às questões cósmicas e astronômicas. Se você gostou desse esclarecimento, repasse.


Não esqueça que por trás desses discursos ambientalistas, há muito interesse econômico envolvido para sustentar a balela “aquecimentista”. Vejamos o caso das patentes, onde pelo menos 10 países europeus já patentearam mais de 7 mil produtos, essências, plantas, minerais e frutos da Amazônia. A mentira do atual (H)CFC (Hidroclorofluorcarboneto), começo a cair por terra, pois cientistas já comprovaram que não é o CFC que provocou a diminuição da camada de ozônio. A farsa de ligar a emissão do CFC está caindo por terra e uma no nova farsa já começa a surgir,  ligando as emissões de gases provocadas pelas queimadas na Amazônia à uma iminente catástrofe climatológica global. Ou seja, precisarão sempre de uma nova mentira para embalar esse discurso ambientalista "enlatado" na Europa, que não suporta uma análise científica mais aprofundada.

Nossos equipamentos hoje não podem conter CFC, pois há décadas nos enganam afirmando que este gás provoca a destruição da camada de ozônio, e por isso precisarão ser renovados, ou seja, novos equipamentos, novas compras, e assim como parques industriais inteiros, já que criaram a história de que ele prejudica a camada de ozônio. Isso gera muito dinheiro, alguém está ganhando muito com isso. A mídia de viés ambientalistas tem boa parte da culpa, porque segue esta agenda internacional. O discurso ambientalista sustenta financeiramente milhares de ONG, favorece uma nova forma de "colonialismo europeu", com a ideia de internacionalização de grande espaços ambientais, como a Amazônia, e cria obrigações ambientais, com a desculpa do aquecimento.



As reservas naturais na Europa se esgotaram e a ‘casa está caindo’ lá. Precisam gerar lucro em algum outro lugar. Onde fazer isso? Na América Latina, na Amazônia, suas antigas colônias. Em 1492 chegaram aqui com espelhos dizendo que os índios precisavam daquilo para sobreviver. Em 1992 a mesma coisa, neste ano houve a Eco 92, também no Rio, onde foi reforçada a ideia da diminuição da emissão de CFC's; Agora, eles olha para o Brasil, um país subdesenvolvido, e querem internacionalizar a Amazônia, com o pretexto de que precisamos nos preocupar com "sustentabilidade mundial". Me poupe de tamanha hipocrisia!.

Prof Gesiel Oliveira - drgesiel.blogspot.com

Oração = ORA+AÇÃO

O grande equívoco de muitos crentes é querer espiritualizar tudo. Quer passar no concurso público e passa o dia todo orando mas não estuda, quer vencer na vida e ora o dia todo, mas não trabalha, ora a Deus querendo aprender a pregar, mas não lê a Bíblia. Ora a Deus desejando aprender a cantar, mas não busca nem se dedica. Quer mudar a família e ora a Deus, mas não dialoga e nem age com sua família. Vive orando para que Deus mude sua vida, mas não dá um passo em direção à mudança. Deus não vai enviar um anjo do céu para fazer o que é nossa obrigação. Nosso Deus é o Deus do IMPOSSÍVEL (Lc 18.27). Sabe que isso significa? Que tudo o que for POSSÍVEL é responsabilidade e obrigação nossa de fazer, insistir e buscar. Orar é muito importante, é essencial em nossa vidas, mas se não houver AÇÃO, PERSISTÊNCIA e FÉ agindo conjuntamente, ela se torna sem efeito. A palavra aqui é EQUILÍBRIO entre ORAÇÃO e AÇÃO que o cristão deve ter. Por isso a Bíblia nos alerta em 2 Crônicas 7:14 "E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra". Sejamos persistentes em oração e diligentes em nossa missão. Pr Gesiel Oliveira.



segunda-feira, 23 de setembro de 2019

As voltas que o mundo dá. - Pr Gesiel Oliveira



A vida nos ensina lições todos os dias. Aprendi mais uma, que inclusive é Bíblica: A lei da semeadura, está explicada em Gálatas 6:7-8: “cada um colhe aquilo que semeou em sua vida”. Bem, mas uma coisa é certa, não podemos pagar o mal com mal. Muitas vezes o bem que deixamos de fazer, o tempo converte em mal que não podemos impedir. Por isso não podemos esquecer que somos apenas despenseiros, ou mordomos das bênçãos de Deus sobre nossas vidas. Hoje quero compartilhar com você uma experiência pessoal, que revela como isso pode acontecer na prática. Na minha adolescência pobre, certo dia, desejei comprar um sapato, pois o meu estava muito velho, e eu já o havia colado diversas vezes. 

Guardei dinheiro por quase dois meses, na época entregando fotos para o meu pai que era fotógrafo, para conseguir esse dinheirinho. Consegui quase todo o dinheiro, R$30 à época. Faltava algo em torno de uns R$ 5. Fui andando até uma grande loja de sapatos no centro de Macapá. Disse ao dono da loja que eu era filho do Pr Nery, que era conhecido desse senhor. Tentei encontrar naquele senhor um pouco de sensibilidade, e pedi o desconto. Na negativa, tentei ainda pedir a ele que esperasse só um pouquinho, pois eu iria conseguir o restante dos R$5 no outro dia e levar até ele, mostrei meu sapato furado e rasgado dizendo a ele que não aguentaria mais um dia. Ao que o dono da loja, arrogantemente, e com olhar de desprezo disse: “não interessa se o teu pai me conhece, se você não tem dinheiro, a porta é a serventia da casa”, me disse apontando a direção da porta. E continuou: “E vá logo, pois tempo é dinheiro e eu não tenho tempo a perder com você”. Foi um dos dias mais humilhantes da minha vida. 

Eu saí daquela loja com tamanha vontade de comprar aquele simples sapato. Quando voltava a pé pra casa, meu sapato velho estourou, vi meus dedos para o lado de fora. Cheguei em casa em lágrimas, procurando novamente a cola de sapateiro para mais um vez tentar remendar meu velho sapato. Minha avozinha ao ver aquilo, se sensibilizou, e rapidamente foi buscar o restante que faltava de sua pequena reserva, e me de deu, e eu fui embora feliz, saltitando de alegria e enxugando minhas lágrimas, para comprar o meu novo sapato, mas em outra loja. Passaram-se 27 anos desse fato, e agora eu estava voltando do fórum onde trabalho, era horário de almoço, parei em um mini box na Zona Norte. Voltava com meus três filhos da escola particular onde eles estudam. Deixei-os no meu carro, no ar condicionado enquanto desci para comprar algumas coisinhas. Enquanto eu comprava, assobiava o hino 394 da Harpa: “mão no arado”, e vi um senhor segurando uma cuba de ovos, que andava devagar, com uma bengala na mão e com os pés arrastando, pois havia sofrido um AVC recentemente. 

Ele se aproximou de mim dizendo: “vejo que o senhor é crente, pois assobia um hino da harpa. Eu estou sem dinheiro, preciso que o senhor me ajude a comprar essa cuba de ovos e assim que eu puder, eu lhe pago”. Era o que ele iria comer por quase um semana. Eu disse a ele que não precisava me pagar, comprei a cuba, e não fiz só isso, mas ofereci-lhe uma carona até onde ele reside, em um pequeno quitinete alugado. Quando eu o ajudei a sair do carro, ele me agradeceu muito e falou o seu nome. Fiquei paralisado, pálido naquela hora, foi então que reconheci que se tratava do dono daquela grande rede de lojas. As memórias daquele momento da minha adolescência vieram a minha mente. Este senhor me disse que perdeu tudo, sua esposa o abandonou e seus filhos também, e que ele passou a viver sozinho. Nesse período também sofreu um AVC que o deixou daquele jeito. Ele me disse: “oro a Deus que te abençoe meu filho, para que nada falte em sua vida”. Eu me despedi dele com lágrimas nos olhos, entrei no meu carro, e enquanto as lágrimas rolavam no meu rosto, meus filhos me perguntavam: “por que você está chorando papai”, ao que respondi: “lembranças meus filhos, lembranças do que a vida me ensinou”. 

Não deixe que nada mude seu caráter, não tenha rancor de quem te fez o mal. Por isso nosso foco nunca deve ser a vingança, ou o desejo de destruição ao próximo, mas sim que oremos a Deus assim: “Ó Senhor me ajuda a enfrentar a maldade com bondade, a falsidade com sinceridade, a maledicência com benção, a desonestidade com equidade, a parcialidade com imparcialidade, o engodo com a veracidade, o conluio com a hombridade, a má fé com a fidedignidade, o mal com o bem, a pedrada com o perdão.” A maior barreira está em estender a mão e pedir perdão ou dar um abraço perdoando. Mas essa barreira não pode ser maior que a sua vontade de ser plenamente feliz. Não esqueça que a vingança satisfaz um momento, mas o perdão satisfaz uma vida.

Pr Gesiel Oliveira

domingo, 8 de setembro de 2019

Mais uma grande convenção de Goiás se filia a CADB

          Uma festividade entre os dias 07 e 08 marcou a chegada de mais uma grande convenção à CADB – Convenção da Assembleia de Deus no Brasil. Desta feita foi a Convenção de Ministros da Assembleia de Deus do Centro Oeste – COMADECO, que tem como presidente o Pr Wellington Félix de Souza. O evento aconteceu no Ginásio do Colégio Militar da Polícia Militar.

          Estiveram presentes muitas autoridades e pastores de outros municípios, como o Prefeito da cidade Divino Lemes, o Pr Heraldo Cavalcante (pai do Deputado Federal pelo RJ e Pastor Sóstenes Cavalcante) e o Secretário Geral Adjunto da CADB Pr David Teodoro e sua mui digna esposa Prª Fabiane Correia, secretária da CADB na sede em São Cristóvão no RJ. Ontem (7) um lindo coral, com cerca de 300 mulheres, se apresentou cantando em noite de muita unção do Espírito Santo. 

          O evento encerra hoje a noite com apresentação e consagração de novos obreiros. O município de Senador Canedo é um município brasileiro do Estado de Goiás, próximo a Goiânia. A estimativa do IBGE para o ano de 2019 mostrou que Senador Canedo tem 115.371 habitantes. A cidade foi citada entre as 50 cidades pequenas mais desenvolvidas e com melhores áreas para investimento do Brasil, ocupando a quarta colocação no ranking nacional, atrás apenas das cidades de Paulínia-SP, Lucas do Rio Verde-MT e Ipojuca-PE.


Localização do Município de Senador Canedo

Secretário Geral Adjunto Pr Davi Teodoro marcou presença representando a CADB




Presidente da COMADECO, Pr Wellington Félix de Souza

Local do Evento Ginásio da Polícia Militar




Prª Fabiane Correia, secretária da CADB