terça-feira, 24 de julho de 2018

Expulsos de Recife - PE, 23 judeus ajudaram a fundar Nova York e o sistema financeiro americano

Nova Amsterdã, que depois passou a se chamar de Nova York 

Gesiel Oliveira

Você sabia que os 23 magos da economia americana eram judeus que vieram tentar se instalar em Recife no Brasil e foram expulsos daqui, e depois foram parar em Nova York, e lá se instalaram e fundaram as bases da economia americana? 

Durante o século XVII, o desejo de controlar as riquezas do novo mundo, as Américas, trouxe os holandeses até o nordeste brasileiro. Eles se estabeleceram em Recife em 1630 e por lá viveram por mais de duas décadas. Mas, obviamente, os portugueses não iriam desistir do território e conseguiram reocupá-lo em 1654 e expulsaram os invasores. Parte dos que viviam aqui tiveram que fugir para o norte, mais precisamente para o sul de onde hoje ficam os Estados Unidos. Lá eles fundaram um povoado, batizado de Nova Amsterdã, que depois  passou a se chamar  Nova York.

Na fuga do Brasil a caminho de Nova York, os judeus foram atacados por piratas na região do Caribe

Pois é, a tão badalada Nova York, destino de férias e muitos brasileiros, e sonho de moradia para tantos outros, só foi fundada porque os portugueses expulsaram os holandeses do Brasil. Essa história começou em 1630, quando os holandeses se instalaram em Recife e Olinda. Era a segunda investida deles no Brasil. A primeira tinha sido em Salvador, entre 1623 e 1624, mas foram expulsos.

Pois bem, os holandeses eram um povo protestante e quando se passaram a ter o controle de Recife, eles concederam a liberdade de culto aos cidadãos. Com isso os judeus puderam praticar os rituais da sua religião. Até uma sinagoga foi construída em Recife, a primeira do país, a sinagoga Kahal Zur Israel – a primeira da América Latina – e deixaram outros legados, como a Ponte Maurício de Nassau, construída pelo judeu Baltazar da Fonseca. Vale lembrar que o Brasil como colônia de Portugal, um país católico e, portanto, apenas essa religião era permitida por aqui. A igreja católica apoiou a reação de Portugal em 1654, quando aconteceu a Insurreição Pernambucana e os holandeses foram expulsos do Brasil.

A saga dos 23 judeus 

Com medo de serem presos ou mortos por causa da sua religião. Um grupo de 23 judeus foi para os Estados Unidos. Lá eles fundaram uma vila chamada de Nova Amsterdã, que depois se transformou em uma cidade e passou a se chamar Nova York.

Registros populacionais da prefeitura de Nova York comprovam que, no dia 12 de setembro de 1654, 23 judeus saídos de Recife em Pernambuco desembarcaram na cidade, até então conhecida por Nova Amsterdã. Entre eles, famílias com crianças, o que indica que alguns já eram nascidos em terras brasileiras.

Eles foram os primeiros imigrantes a realmente se perpetuarem na cidade – antes, Nova Amsterdã servia apenas de entreposto comercial e abrigava temporariamente comerciantes e navegadores. Os brasileiros fundaram também a primeira colônia judaica em solo americano.

Monumento em NY em homemgem aos imigrantes pioneiros

As provas dessa presença pioneira podem ser vistam no Cemitério dos Judeus, em Nova Iorque, que tem sepulturas com sobrenomes como Fonseca, Seixas, Gomes, Nunes, Cardozo, Castro e Bueno de Mesquita, e na sinagoga Shearith Israel onde há placas com referências a sobrenomes de brasileiros judeus, 
segundo informa Paulo Carneiro, autor da obra “Caminhos cruzados: a vitoriosa saga dos judeus do Recife no século XVII, da expulsão da Espanha à fundação de Nova York” - editora Autografia. 

Os 23 judeus pernambucanos que terminaram em Nova Amsterdã (hoje Nova York) foram fundamentais para fundação da maior cidade americana. 

A bênção era para o Brasil, mas os judeus holandês foram expulsos daqui  e levaram essa benção para o solo americano, onde se instalaram e em pouco tempo, intensificaram o comércio, as relações comerciais e financeiras e fundaram as bases da economia americana. Você já imaginou se eles permanesessem aqui? 

Nenhum comentário :

Postar um comentário