sábado, 30 de dezembro de 2017

Há tempo para todo propósito debaixo do céu


O livro de Eclesiastes no seu capítulo três inicia com princípios que determinam três aspectos da vontade de Deus em nossas vidas: “Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu”. Essa passagem estabelece que tudo acontece: 1) no tempo de Deus em nossas vidas, 2) Há tempo para todo propósito e 3) que o que esperamos com paciência vai acontecer debaixo desse nosso céu e não no porvir. Veja só, ao longo dessas últimas três décadas, quem de nós em algum momento não disse: “por que o Pr Samuel Câmara não sai desse meio, depois de tanto sofrer, e inicia logo uma nova convenção? Eu mesmo, escrevi uma matéria em meu blog no dia 31/05/2013, com o seguinte título: “Fortes indícios do surgimento de uma mega-convenção da Assembleia de Deus no Brasil”. Se você ler a matéria, vai entender que o desejo da base de apoio do Pr SC já, há muitos anos, desejava isso, a criação da CADB. Mas o Pr SC sempre tinha esperança na renovação, ano após ano, ele aguardava a mudança que nunca chegava, e permanecia ligado àquela convenção, mesmo em contragosto com a esmagadora base que o apoiava. 


Foram anos e anos, muitas eleições levadas sob o manto da obscuridade, falta de lisura e inúmeras ações judiciais. Uma delas, originada da 41ª AGO da CGADB em abril de 2013 em Brasília, onde a eleição terminou com a suspeita de fraude. O caso foi parar na justiça do Amazonas, onde a justiça determinou a apresentação do espelho de depósitos bancários que comprovaria a quantidade exata de inscritos. A CGADB não apresentou, e nuca apresentou, negou-se deliberadamente a cumprir a ordem da justiça e foi multada, dia após dia, chegando a um montante de mais de R$ 10 milhões por descumprimento de ordem judicial, ao final do ano 2016. Quando a justiça estava prestes a bloquear as contas da CGADB e de seu presidente, a mesa diretora fez um acordo com o Pr SC que nunca foi cumprido, onde o processo contra a CGADB seria arquivado em troca de eleições limpas, retirada dos processos disciplinares nas comissões contra o Pr SC, e a possibilidade do mesmo se candidatar nas próximas eleições de abril de 2017, com eleições eletrônicas por empresa contratada pela CGADB e fiscalizada por ambas as partes. 

Não precisa dizer que se tratou de mais um embuste e má-fe, o Pr SC cumpriu a parte dele e pediu arquivamento do processo contra a CGADB, mas de outro lado todos foram testemunhas do que aconteceu, nenhuma linha do acordo foi cumprida. Em seguida veio a contratação da empresa Scytl pela CGADB para realizar as eleições de 2017. Tudo parte de uma grande farsa. A eleições foram marcadas por sucessivos problemas e arbitrariedades, que vão desde inscrições de mortos e pastores a revelia até descumprimento de várias liminares judiciais de diversos Estados do Brasil. Foi a eleição mais conturbada da história, cerca de 19 ações ingressadas em vários Estados. Ao longo da eleição, onde as informações corriam todo o Brasil na velocidade das redes sociais, estabeleceu-se uma espécie de Maniqueísmo, aquela filosofia religiosa sincrética e dualística fundada e propagada por Maniqueu, filósofo persa e cristão no século III, que divide o mundo simplesmente entre “Bom” (ou proveniente de Deus) e “Mau” (provindo do Diabo). Quem está sob a égide da atual gestão “está na luz”, debaixo dos altivos olhares de santidade, e os demais candidatos representam as trevas, a quebra dos “bons costumes” e o que não representa a vontade divina. Os acordos feitos entre o “alto clero” e os presidentes de convenções regionais em troca de votos, quando muito, servem para beneficiar filhos e parentes destes, mas nunca alcançam a expansiva base da pirâmide, esses acordos feitos em gabinetes refrigerados das presidências nunca beneficiarão aquele pastorzinho que passa quatro anos esquecido nos “cafundós dos rincões” esquecidos dessa grande nação evangelizando à luz de lamparina, e que só é procurado de tempos em tempos com uma ordem de comando, como que num “curral eleitoral”, para ter seu voto direcionado ao que estabelece seu presidente. 

Este pastor que vos escreve esteve em Brasília no dia das eleições. Quando a Eleição era dada por encerrada com 23.019 votos, equivalendo a 74,78% dos inscritos, no dia 09 de abril de 2017, às 23:30h em frente ao prédio da Scytl em Brasilia, no Edifício Business Center Brasília Varig, eu vi algo que me chamou a atenção e preciso compartilhar com vocês. Ao chegar ali encontrei o Pr Samuel Câmara orando chorando de joelho, com as mãos erguidas, e com toda a sua família e alguns poucos pastores, entre eles o Pr Ivan Bastos, o ancião Pr Josué Cipriano (da AD de Florianópolis), Pr Felipe Câmara com sua esposa e filhinhos, Prª Rebecka Câmara, dentre outros poucos que ali permaneceram. Encontrei ali um quadro de tristeza, desolação, mas ao mesmo tempo muita fé. Pode até parecer contraditório, mas foi o que senti naquele dia, uma mistura de sentimentos. Me lembro de ver a Prª Rebecka andando pra lá e pra cá com as mãos erguidas em direção àquele prédio, com lágrimas nos olhos e cantando: “Se Deus quiser, Ele Deus, se não quiser, Ele é Deus. Se a porta abrir, Ele é Deus, mas se fechar, continua sendo Deus...”. Foi uma cena que nunca vou esquecer! A empresa Scytl os impediu de acompanhar a apuração das eleições em que o Pr SC era candidato. Além disso, ainda mudou, sem autorização nenhuma, o local de apuração e depois se descobriu que a apuração foi feita em um Hotel perto dali, às portas fechadas com representantes somente de uma das chapas. E não restou mais nada a não ser orar. Enfim, Deus tem o controle de tudo! Eu sabia que tudo aquilo era Deus escrevendo por linhas tortas, e que naquele momento ainda não entendíamos o seu desígnio para um novo tempo e o que Ele estava prestes a fazer na vida daqueles que confiam em suas promessas.

No mesmo ano em que eu vi as lágrimas correrem pelo rosto do Pr SC em frente àquele prédio da Scytl, eu vi brotar outras lágrimas do seu rosto, no dia 02 de dezembro deste mesmo ano. Agora lágrimas de alegria, júbilo. Lágrimas de felicidade, liberdade, esperança e fé. Chegamos ao final de 2018 com a fé reforçada. Com novas perspectivas, novos desafios e com a certeza que esse novo ano será marcado por um grande mover do Espírito Santo em âmbito nacional. Por isso, finalizo meu texto entendendo bem melhor o sentido de Ec 3: “Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu”. Nada melhor que um dia após o outro. De um feio casulo pode sair uma bela borboleta, de nuvens escuras podem sair águas límpidas, de uma frustração pode sair uma edificante lição, de uma lágrima pode sair um sorriso, de um livro de capa desgastada e feia pode sair uma belíssima história, de uma noite escura pode raiar um novo dia. Por mais escura que a noite seja, ela nunca impedirá o raiar de um novo dia. Que 2018 seja de muitas bênçãos para todos que estão transbordantes de esperança.

Nenhum comentário :

Postar um comentário