sexta-feira, 7 de setembro de 2018

Esse tipo de facada quando não mata, ELEGE - Por Gesiel Oliveira

No dia da independência do Brasil, renasce nossa esperança. É simbólico, às vésperas do dia da independência, um esquerdista tentou matar nossos sonhos. A facada não foi em um candidato, foi na democracia, quem sangrou não foi só o Bolsonaro, foi o Brasil. Um ataque bem ao estilo sórdido de traição, covardia e ódio declarado pela esquerda. Agora tudo está mais claro que nunca, que estamos diante de uma luta do povo brasileiro contra a imprensa, contra o sistema, contra a corrupção, contra poderosos, contra a depravação ideológica vermelha, essa doença ideológica marxista que cria monstros como o pedagogo e militante psolista Adelio Bispo de Oliveira, cria mentes insanas, que são capazes de atos terroristas, inspirados em seus maiores ídolos como Che Guevara, Fidel Castro, Lenin, Maduro etc. Veja que o terrorista que tentou matar Bolsonaro não é um apedeuta, e sim alguém graduado em universidade pública, um dos tantos soldados doutrinados pelo ódio acadêmico vermelho. Quem sangra agora é o Brasil, mas quem vai morrer é a esquerda, que será dizimada nas urnas em outubro, até que na política não sobre mais nenhum petista, psolista, socialista, comunista carregado de ódio, esse chorume pútrido doutrinado no que há de pior em termos ideológicos, grupos vermelho de celebrados, transbordantes do mesmo ódio que dizimou e matou mais de 100 milhões de pessoas em todo mundo, como loucos soldados vermelhos na defesa de ideais marxistas e comunistas. O Brasil não aguenta mais esse discurso hipócrita que prega a paz com atitudes beligerantes e de estímulo ao ódio, representado pelo que há de pior na política brasileira, o Brasil vai varrer essa sujeirada, o nosso país está sendo limpo. Mas isso serve também para nos mostrar que a mídia brasileira já não consegue esconder que queria mesmo era que Bolsonaro morresse, em cada matéria suja evidencia-se isso, em cada discurso hipócrita de jornalistas mantidos com dinheiro sujo que mantém uma mídia imunda, fica cada vez mais claro que esse a esquerda quer o fim de Bolsonaro, e que esse ato terrorista foi muito bem orquestrado e não um ato isolado de um mente doentia. Já existem vários vídeos no YouTube onde aparecem pelo menos mais duas pessoas que ajudaram para que esse ato acontecesse, um homem de camisa branca e uma mulher de óculos, que nas imagens aparecem passando a faca de mão em mão em meio a multidão até chegar no marginal esquerdista Adelio. Mas o Brasil é maior, seu povo é mais forte que esse mal, esse câncer que resiste em ser extirpado. Bolsonaro no comando e na linha de frente desse grande combate, quase perdeu sua vida ontem. Mas aquele que Deus já escolheu para mudar nossa nação, por Ele é protegido. É uma luta maniqueísta entre o bem e o mal, entre a corrupção e a honestidade, entre o futuro e o passado, entre o que o Brasil quer e o que Brasil repudia. Bolsonaro se recupera, a campanha prossegue e o recado está dado: estamos lidando com marginais políticos. Mas seremos vitoriosos. O Brasil é maior, juntos venceremos. Hoje poderíamos estar de luto, mas internado com Bolsonaro naquele hospital, sobrevivem nossos sonhos de um Brasil melhor. Esse tipo de facada, quando não mata, ELEGE. Ontem ele deixou de ser “O MITO” e passou a ser “A LENDA”. 

Gesiel Oliveira

 drgesiel.blogspot.com 

Nenhum comentário :

Postar um comentário