quarta-feira, 26 de setembro de 2018

Por que não se fala de outra coisa?

As redes sociais estão inundadas de gente falando do Bolsonaro. Mas o IBOPE diz que ele estacionou em 28% depois do atentado. Quem ainda acredita em um instituto que foi citado em delação por um dos diretores da JBS por receber propina de R$300 mil para alterar os resultados? Você vai na esquina comprar pão, e lá na fila também estão falando dele. Você chega no trabalho e o assunto é o mesmo. Muita pessoas em seus status de rede sociais já estão até reclamando do excesso de comentários em relação ao Bolsonaro. Em nenhuma outra política se falou tanto em um candidato. Lembrando que ele está sem fazer campanha pessoalmente há exatamente 20 dias. E o que explica esse crescimento acentuado, mesmo que o IBOPE, braço direito da Globo, tente minimizar? Te explico em 6 motivos: 


1) A coisa saiu do campo político e passou para o campo do ufanismo. Ou seja, agora envolve o sentimento de patriotismo. Aquele mesmo sentimento que nos faz vestir a camisa em época de copa. Aquele sentimento que nos move pela esperança, pelo amor a nossa nação. Só que agora esse sentimento está canalizado para a política. O brasileiro voltou a gostar de falar e de se envolver em política. Fazia tempo que a gente não via aqueles experts ébrios dos bares da vida. Há muito tempo ele queria só distância de política, passou a odiar, mas de uma hora para outro esse candidato reacendeu a luz da esperança no fim do túnel, daquilo que se achava que estava perdido. 


2) Estamos diante de uma polarização ideológica. A Direita surgiu agora! Estamos vivendo um momento histórico. Esqueça tudo o que para trás ficou. Não podemos falar que no período do regime militar existia uma direita. Definitivamente não! Não existia um arcabouço técnico e literário organizado de ideias, metas, propostas e posições firmadas e acirradas contra o socialismo, contra essas malogradas ideologias marxistas que infestam nossa sociedade. Os militares não organizaram isso, ao contrário dos movimentos de esquerda que após a derrota para os militares, largaram as armas das guerrilhas e foram “fuzilar” as mentes nas universidades, meios de comunicação, TV literatura, cultura, artes, teatro, etc. Por isso afirmo: A verdadeira direita está surgindo agora! A história está acontecendo diante dos nossos olhos. 


3) Se olharmos para o passado, há uma preocupação que envolve o quadro do Brasil, corroído pelo PT e sua quadrilha no maior assalto aos cofres públicos da história mundial. Se olharmos para o futuro, inevitavelmente temos de olhar para a nossa vizinha Venezuela. Um país que já foi uma das maiores potências petrolíferas mundiais, com renda per capta alta, economia sólida e democracia forte. Hoje, depois de 19 anos de Chavismo, o povo está comendo cachorros, gatos e lixo pelas ruas de Caracas para sobreviver. Há uma inflação de 1.000.0000%, uma emigração externa de 2,5 milhões de flagelados e um país em frangalhos com um ditador sanguinário que já matou mais de 8.200 cidadãos assassinados por esse regime nefasto. 


4) O brasileiro não aguenta mais tanto lixo ideológico que faz seus filhos serem obrigados a aprenderem sobre sexualidade na infância, sobre ideologia de gênero, sobre aceitação de mudança de fenótipo uranista e uso de nome social, terceiro banheiro para trans, doutrinação sobre diversidade e flexibilização e aceitação social LGBT. O Brasileiro cansou de ver suas universidades públicas como fábricas de anarquistas, marxista, Gramscista, Trotskista e Leninista. O brasileiro quer sua universidade pública gerando conhecimento produtivo para a nossa nação, promovendo o crescimento cognitivo e tecnológico da nossa noção. 


5) O brasileiro não aguenta mais essa tolerância com a bandidagem. Esse acobertamento e proteção excessiva dos direitos humanos que ignoram a vítima e divinizam o bandido. 


6) É por último, o brasileiro não aguenta mais esse cancro fagedênico que dilacera as entranhas da nação há tanto tempo. É essa corrupção que está entrelaçada com diversos outros problemas do Brasil como a ausência de segurança absoluta. O brasileiro não aguenta mais 66 mil assassinatos por ano. As leis flexíveis do governo petista tiraram do brasileiro um direito que ele possuía há mais de 513 anos, o porte de arma. Os bandidos num ficaram desarmados. A política de desaemanento no Brasil ao invés de diminuir as mortes por arma de fogo, quadruplicaram. A esquerda destruiu o Brasil, cabe agora consertamos utilizando a maior ferramenta da democracia: O VOTO.  

É por isso que aquilo que achávamos impossível está acontecendo: o brasileiro está comprando camisa de candidato (algo impensável em outro tempo), está indo para as ruas com sua família para gritar: “eu sou brasileiro, com muito orgulho, com muito amor”. O brasileiro está indo para a carreata com a seu próprio carro, gastando da sua própria gasolina, está usando suas redes sociais para fazer campanha, pois os bandidos que fizeram a lei eleitoral deram apenas 8 segundos na TV para ele. E enquanto um candidato que responde processo na Lava Jato tem metade do tempo de TV e não para de cair, o que tem apenas 8 segundos não para de subir. E enquanto todo o sistema se organiza num mecanismo complexo de manutenção da cleptocracia, fazendo de tudo para tentar impedir o avanço de um soldado que está se recuperando no hospital, pois foi ferido quando estava na frente de batalha, o Brasil todo faz campanha por ele, e de graça! 


Não adianta, nada é maior que o povo. E quando o povo quer, nada pode impedir. Chega! Não é a política que faz o candidato virar ladrão, é o voto inconsequente que faz o ladrão virar político. Vote certo, vote B17. Por isso #EleSim #NãoVaiTer2ºturno Gesiel Oliveira drgesiel.blogspot.com.br

2 comentários :

  1. Realmente meu amigo não é a política que faz o candidato virar corrupto, é o voto inconsequente que faz o corrupto virar político.
    Chega desta Corja Petista
    No dia 7 vote certo ,vote 17 por um Brasil sem corrupção.

    ResponderExcluir
  2. Falem bem ou mal, deixemos que falem, eu sou a prova disso, de tanto ouvir falarem mal de Bolsonaro, eu tinha ojeriza a ele, daí eu decidi procurar saber quem era o tal candidato e me surpreendi, hoje voto Bolsonaro e não arredo o pé!

    ResponderExcluir