segunda-feira, 23 de abril de 2018

Por que explorar petróleo no AP e colocar em risco os nossos recifes de corais né? #TáSertu! 

No segundo Estado mais pobre do Brasil, onde o setor primário e secundário são praticamente inexpressivos, onde o desemprego nunca esteve tão alto, todas as oportunidades que surgem de aproveitamento e geração de emprego e renda são abortadas de pronto pela força das ONG's ambientalistas européias e norte americanas. ONG's que recebem rios de verbas de empresas, e que pouco fiscalizam as suas nações de origem, direcionando toda sua atenção para países pobres. O caso do Amapá é emblemático. Ano passado depois de uma campanha mídiática internacional ferrenha, o projeto de regulamentação do RENCA que já havia sido assinada pelo presidente da República, e que poderia tirar da clandestinidade mais e 4 mil trabalhadores que já estão na área há muitos anos, acabou sendo revogado, na força da campanha ambiental desvirtuada e carregada de exageros.

Hoje (22) o Fantástico exibiu matéria produzida pelo jornalista Ernesto Paglia sobre a possibilidade de extração de petróleo no bloco submarino  comprado e explorado pela Multinacional europeia TOTAL, que pretende explorar na costa do Amapá. 

A abordagem apelativa, feita sob a visão ambientalista do Greenpeace, mostrou que a própria empresa TOTAL  já está reavaliando explorar essa área, caso existam recifes de corais. Além disso o Ministério Publico Federal do Amapá expediu está semana recomendação ao IBAMA para que não autorize a empresa TOTAL  a explorar o petróleo na costa amapaense.

É o fim de Estado do Amapá, que já tem 95% de suas florestas preservadas, mas que praticamente não recebe nada que compense essa gigantesca preservação para a humanidade. O Amapá é o laboratório a distância de mentes ambientais que querem decidir a distância os rumos de um Estado sem se importarem com o povo que mora ali. 

Por fim, os bancos de corais a mais de 2 mil metros de profundiade no Oceano Atlântico, parecem ter mais valor que a população amapaense que padece de uma das piores crises econômicas, com um desemprego gigantesco, praticamente nenhuma produção e tendo Macapá se destacando como a 40ª cidade violenta do mundo.

É um ciclo incurável, incapaz de mudar esse triste, insólito e decadente quadro econômico e social do segundo Estado com o menor PIB e o segundo mais pobres do Brasil. Lugar com economia ancorada no contracheque público, onde mais de 1000 empreendimentos foram fechados nos últimos 4 anos, milhares de desempregados congestionam o hipertrofiado setor terciário que sobrevive basicamente por conta do fraco comércio, que concentra mais 85% da população de um Estado com setor primário e secundário quase inexistentes e dependentes da produção paraense. Empresas que no mundo inteiro são fortes e crescem a todo vapor, como a Coca-cola e a mineradora Zamim, fecharam as portas no Amapá desempregando centenas de amapaenses, dentre tantos outros empreendimento que devido à alta carga tributária e à politica de pagamento antecipado de ICMS instituído, não puderam continuar no Estado. 

Agora vou acionar o "MODE IRONIA HARD" para dizer que a bem da preservação ambiental, é bom que nosso rico solo, nossas florestas intactas, nossa costa cheia de petróleo e nossos solos produtivos sejam mantidos intactos para a humanidade, sob a égide de ONG's estrangeiras e com a força da caneta dos engravatados do MPF. Mesmo que para isso a nossa população morra a míngua sem perspectivas, sem produtividade, emprego, renda, sustentabilidade e aproveitamento de seus recursos naturais, pois o meio ambiente aqui no Amapá vale mais que o miserável povo que o habita. #TáSertu

Gesiel Oliveira

Geógrafo











domingo, 15 de abril de 2018

Comitiva de pastores(as) da COMADEZON visita Itaubal e Carmo do Macacoari

Na tarde de ontem (14) uma comitiva de pastores da COMADEZON, liderados pelo Pr Dimas Leite RABELO, estiveram visitando os campos de Itaubal e Carmo do Macacoari. A comitiva visitou a Assembleia de Deus Zona Norte em Itaubal dirigida pelo Pr Isaque Rangel, que está construindo um espaçoso templo. Semana passada foi concluída a fase do telhado deste templo. O Pastor Isaque Rangel  foi empossado há pouco mais de 11 meses, e desde estão começou a construção desse templo. No fim da tarde a comitiva se deslocou em direção a comunidade de Carmo do Macacoari, distante 10km da sede do município de Itaubal. Um casamento coletivo foi celebrado pelo Pr Gesiel Oliveira. Ao todo, onze casais disseram "SIM" em uma noite de muita festa e alegria que parou a comunidade e lotou a igreja. Veja a seguir algumas fotos do evento.








sábado, 7 de abril de 2018

Não é possível ser cavalheiro com quem andou de braços dados a vida toda com a vilania.


Estamos atônitos assistindo a maior desmoralização da justiça no Brasil. Um comprovado réu que responde a 8 processos que incluem: corrupção passiva, lavagem de dinheiro, formação de quadrilha, tráfico de influência, organização criminosa, obstrução da Justiça, dentre outros inúmeros tipos penais, que correm na justiça em Curitiba, Brasília e Rio de Janeiro. O homem que beijou a mão do Papa, que andou na carruagem real da Rainha da Inglaterra, e que foi chamado de ‘O CARA” por Barack Obama, homem mais poderoso do mundo, agora esperneia, grita e achincalha a justiça para não ser preso. Ontem fez churrasco no prédio onde está entrincheirado organizando o próximo teatro vitimista que vai usar hoje para sensibilizar seus cegos seguidores (quase asseclas) que envergonham e desmoralizam mundialmente a polícia federal e a justiça brasileira. Moro em seu sentença de prisão tentou ser cordial com quem tem índole facínora ao dar prazo, ao não permitir o uso de algemas e garantir cela de estado a quem não tem nível superior nem tem direito a foro privilegiado. Não é possível ser cavalheiro com quem andou de braços dados a vida toda com a vilania. Não é possível andar pela linha da legalidade com quem andou a vida toda a margem dela. Lula não é um novo “Padre Cícero”, Lula não foi o melhor do presidente do Brasil, Lula não criou os benefícios sociais, maioria absoluta surgida ainda durante o regime militar. Lula não está acima da lei. Lula não passa de um apedeuta verborréico com forte poder persuasivo e mitomaníaco, que escamoteia sua inata e real empáfia por detrás de discursos populistas, e que agora controla o momento em que quer ser preso, se for!. 


É um escárnio! As redes sociais estão espalhando inúmeras mentiras a esse respeito. Neste momento Lula está em uma "missa de nascimento" da Marisa Letícia, apesar de Lula nunca ter pedido ou participado uma missa como essa quando Marisa estava em vida. Nunca ouvi dizer que exista essa tal “missa de nascimento”. Na verdade tudo não passa de mais um instrumento maquiavélico de um criminoso contumaz, muito bem orientado por advogados, que resiste até a último segundo  para impedir e obstar o cumprimento da ordem judicial. Esse teatro de resistência tem um Pr propósito certo de transformá-lo em um “mártir”. Este prédio em São Bernardo, que agora serve como “fortaleza” do chefe da quadrilha, já serviu nas últimas 32 horas como sindicato, “churrascaria”, “bar”, agora serve como “templo” por alguém que sempre ignorou e desrespeitou a religiosidade ao longo de sua vida com visão marxista. Sendo que o convite da "missa-show" espalhado pela Internet diz que após a "missa", haverá show de Leci Brandão, Maria Gadu, e outros artistas renomados. 


Virou bagunça geral, virou boate, cabaré! Lula com mandado de prisão expedido, está dançando e tripudiando na cara da justiça. Lula tomou a espada da justiça para usar como "taco" na mesa de bilhar dessa festa feita para escarnecer a lei e as instituições públicas. Lula tirou a venda da deusa "Themis" para usar como "bandana" de protesto "NÃO PASSARÃO E FORA TEMER", e botou a deusa grega para cantar "ontem você acabou comigo" da banda "velhas virgens", no cabaré montado pela ineficiência da polícia federal e da justiça brasileira. É uma exploração absurda da morte de uma mulher, que chega a níveis insanos. Resta-nos esperar o desfecho dessa antecipada segunda temporada de “O MECANISMO”. Gesiel Oliveira.


domingo, 1 de abril de 2018

Manifestação contra a prisão dos 4 PM's a pedido da Comissão dos Direitos Humanos

A manifestação pediu a  liberdade de militares que estão presos após morte de um suspeito que aterrorizava o bairro dos Congós. Eles alegam que não há elementos probatórios suficientes para determinar uma prisão preventiva, visto que a prisão se baseia em apenas um vídeo gravado de longe, com vários cortes, filmado por uma "brecha" em uma casa de madeira ao lado da casa onde aconteceu a ação policial, em uma área de ponte no bairro dos congós em Macapá. O Smartphone que filmou parte da ação,  sequer foi periciado.  O pedido de prisão preventiva  foi feito pela comissão de direitos humanos da OAB/AP que apresentou ao MP,  que representou pela prisão junto à justiça amapaense, que a decretou. Lembrando que no início do mês de março, o policial militar Amaury foi executado covardemente com vários tiros por bandidos dentro de seu próprio carro. Até hoje a investigação não avançou, nenhum mandado de prisão foi expedido, nem os criminosos indetificados. As redes sociais há três dias estão clamando pela liberação desses quatro policiais militares que estão presos. Os internautas alegam que há um esforço fenomenal provocado  pela CDH/AP para investigar, julgar e prender policiais,  enquanto por outro lado, crimes como esse  do policial militar assassinado, ficam sem a devida atenção, e caem no esquecimento.  

Os quatro PM's continuam presos preventivamente. No seu  depoimento os policiais alegam que o homem tentou sacar uma arma dentro da casa,  e que na troca de tiros este veio a óbito. No vídeo o homem aparece entrando na casa sem as algemas, o que reforça a alegação dos policiais. A Manifestação aconteceu na tarde deste sábado (31) em Macapá.