domingo, 26 de abril de 2020

Live solidária 26/04/2020 às 20:00h - Cestas básicas para famílias carentes

Neste domingo (26/04/2020) às 20:00h vamos estar realizando uma live solidária com a finalidade de arrecadar cestas básicas para doar para famílias carentes. Esperamos que Deus abençoe cada pessoa que colaborar com esse projeto. Vamos prestar contas detalhadas de tudo, com cada pessoa que colaborar. Vamos juntos amenizar a situação de famílias que atravessam essa grave crise decorrente da pandemia. Pr Gesiel Oliveira e Prª Berenice Rabelo

Para fazer sua doação:
Banco do Brasil
Ag: 2825-8
Cc: 147409-X 

Mais informação Whats: (96)991501008

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2020

Ideologia de gênero: Cientistas de Harvard e MIT nos EUA comprovam que não existe "gene gay"

É difícil imaginar que ao longo de todos esses anos, essa teoria fraca e insubsistente, influenciou tanta gente de forma nefasta nas escolas e faculdades de todo o mundo, desde o início da década de 80, quando a filósofa pós-estrutularista Judih Butler, criadora dessa loucura delirante chamada de "Ideologia de Gênero", começou a bradar nos centros de ciências humanas da Universidade da Califórnia em Berkeley, no EUA, esses ensinos desprovidos de base científica, que haveria um "gene gay" que determinaria a sexualidade do ser humano. Mas esse falso postulado foi germinado ainda bem antes, em na década de 40 em Paris, com a francesa Simone de Beauvoir, que escreveu diversas obras da qual se destaca um dos maiores clássicos do movimento feminista “O segundo sexo”, publicada em 1949. Beauvoir foi considerada uma das maiores teóricas do feminismo moderno. Algumas de suas frases mais conhecidas são: “Ninguém nasce mulher: torna-se mulher” e também “Nenhum destino biológico, psíquico, econômico define a forma que a fêmea humana assume no seio da sociedade; é o conjunto da civilização que elabora esse produto intermediário entre o macho e o castrado, que qualificam de feminino”. 

O estudo, publicado na revista Science, aponta que, na verdade, que não há nenhum comprovação científica de um gene específico determinante para a sexualidade. Mas que fatores comportamentais são decisivos para que pessoas que se relacionam com pessoas do mesmo sexo.

Os pesquisadores das universidades de Harvard e Massachusetts Institute of Technology (MIT) examinaram a composição genética de 409 mil pessoas inscritas no projeto Biobank do Reino Unido e 68,5 mil registradas na empresa de testes genéticos do Projeto 23andMe. Os participantes foram selecionados exclusivamente entre pessoas que possuíam relações com parceiros do mesmo sexo.

Agora, 40 depois dos primeiros postulados, a universidade de Harvard anuncia o resultado de pesquisa que a vovó já sabia há muito tempo: não existe gene gay. Tudo não passa de influência comportamental behaviorista. Ou seja, gays influenciando e estimulando outras pessoas a serem gays. E se utilizaram desse engodo para se infiltrarem nas escolas e universidades por décadas. Demorou, mas a verdade veio à tona, mesmo que os terríveis efeitos e consectários sejam mais difíceis de serem contidos de forma imediata, especialmente no plano da base escolar e intelectual das academias. 


Gesiel de Souza Oliveira - Membro da ALEA (Academia de Letras Evangélica do Amapá), ocupando a cadeira de nº 19.
Siga-nos nas redes sociais:
Blog: drgesiel.blogspot.com
Twitter: @PrGesiel_
Insta: @prgesieloliveira
Face: Gesiel Oliveira

sábado, 18 de janeiro de 2020

É difícil limpar o chiqueiro com os porcos dentro - Por Gesiel Oliveira


O Bolsonaro já derrubou mais de 900 decretos de pura burocracia e acréscimos de impostos, taxas e emolumentos criados pelo PT. O Bolsonaro em 10 meses terminou de asfaltar uma gigantesca estrada, BR 163, que é o principal corredor de exportações do Brasil, que estava envolvido em esquemas de desvios de recursos públicos e em "construção" há 42 anos. A Bolsa batendo 118 mil pontos (recorde histórico), carteira de estudante grátis (acabou com a mamata do PCdoB e da UNE), concedeu o 13° do Bolsa-família, gerou 1 milhão de novos empregos no 1º ano de governo, garantiu auxílio vitalício para bebês anencéfalos, zerou as taxas e impostos para medicamentos para tratamento do câncer. 

Aprovou o pacote anticrime aumentando a pena máxima aplicada de 30 pra 40 anos. Primeira vez desde a redemocratização do Brasil que um presidente termina o primeiro ano de seu governo sem corrupção ligada ao presidente. Queda histórica do juros de 14,5% para 4,5% (menor taxa desde que o modelo de acompanhamento foi criado em 1999). Aprovou a reforma da Previdência que vai gerar uma economia de quase R$ 1 trilhão nos próximos 10 anos. Bolsonaro já construiu mais de 300 poços artesianos no sertão do nordeste até agora, baixou o DPVAT em 86% (e só não o extinguiu por conta do STF e da esquerda podre), instituiu a posse de armas para o cidadão do campo poder proteger sua família (e só não estendeu para o cidadãos da cidade por culpa da esquerda, do Congresso e do STF que casaram o decreto presidencial), vai reduzir a alíquota do IR e isentar quem recebe até R$3 mil. 

Acabou com horário de verão, acabou com ideologia de gênero nas escolas (mas o STF está tentado restituir), diminuiu os ministérios de 49 para 22 com uma economia de mais de 200 milhões, extinguiu mais de 22 mil cargos criados pelos petistas só para pendurar apadrinhados e militantes esquerdopatas com uma economia de cerca de R$200 milhões, aumentou o piso salarial dos professores em 12,84% (o maior reajuste desde o FUNDEB foi criado) passando de R$2.557,74 para mais de R$2.888,24, acabou com as mamata da Lei Rouanet, instituiu inúmeras escolas militares com os melhores desempenhos educacionais do Brasil, reduziu os homicídios e mortes violentas em mais de 22% salvando mais de 9 mil vidas só este ano, cara eu poderia ficar falando aqui linhas e linhas, e nada disso foi divulgado pela imprensa suja, podre, viúva dos rios de dinheiros e verbas públicas, que o Bolsonaro cortou. 

Essa mesma imprensa que não tendo o que falar, se foca só em mostrar trechos isolados, distorcidos e tirados do contexto de falas do presidente, dos seus filhos e ministros. Essa imprensa suja e asquerosa perdeu toda a sua credibilidade. A Globo está quebrando, perdendo anunciantes, demitindo seus funcionários e reduzindo salários dos atores, jornalistas e do que sobrou, e fechando empresas de seu grupo, por isso vive dia e noite caluniando, difamando e injuriando o atual governo em seus telejornais decadentes. A esmagadora maioria da imprensa de hoje está impregnada dessa nefasta ideologia dita "progressista" (um eufemismo para o termo socialista), que não deu certo e nenhum lugar do mundo. Deixem o presidente trabalhar! Desarmem os palaques que vocês perderam! O que os governos de esquerda (PSDB e PT) fizeram nos últimos 20 anos a não ser roubar, roubar e aumentar impostos? Não tem jeito, esse é novo Brasil, e mesmo com toda a resistência dos velhos ratos e porcos da sistêmica corrupção, o Brasil vai dar certo. Brasil acima de tudo, Deus acima de todos. 

Gesiel Oliveira

terça-feira, 24 de dezembro de 2019

O mecanismo que se reajusta a cada mudança - Por Gesiel Oliveira.


Quem disse que seria fácil mudar o Brasil? São centenas de anos de um sistema imerso na absoluta corrupção, enraizada em todos os poderes. O sistema resiste fortemente a cada nova tentativa de mudança. As ratazanas usam estratagemas legais, regimentais e políticas para manter o status quo celerado. São inúmeros os retrocessos. O Brasil Novo bem que tenta avançar, mas as amarras do velho Brasil o puxam para trás. Neste ano vimos o grupo de trabalho da Câmara dos Deputados retirar a prisão em segunda instância do pacote anticrime de Moro. Ou seja, desfigurou-se por completo a principal coluna desse projeto. Alterar isso é como continuar pintando um carro que lhe foi retirado o motor. O STF é uma das últimas trincheiras do Velho Brasil. Este ano vimos inúmeras decisões que rasgaram a CF e lei de execuções penais, e mesmo diante do apelo da população os ministros se mostram indiferentes e deixam bem claro que quem manda de verdade no Brasil é essa corte desacreditada, que não foi eleita pelo Brasil, que age contra a vontade da nação, que invade competência de outros poderes e legisla como um escritório de advocacia a favor da corrupção. 

As decisões absurdas vão desde a soltura de Lula, o maior bandido do mundo, até a nefastas e indigestas decisão do enauseante Ministro Gilmar Mendes que proibiu qualquer tipo de investigação contra o jornalista Glen Greenwald que praticou crime invadindo e divulgando conversar do juízes e promotores da Lava Jato captadas por meio de espionagem e fruto de ação de Hackers. Como acreditar que o Brasil pode mudar se o mecanismo centenário é sórdido que está no poder anula cada passo, cada iniciativa, cada tentativa de mudança? Os ratos se reuniram para matar o gato. E são muitos, infiltrados em todos os cantos dessa nação corroída pela má-fé, malversação, esquemas e desvios. Tem horas que vejo o Bolsonaro como o Rick Grimes da série "The Walking Dead", lutando sozinho, tentando se defender de todos os lados de ataques de zumbis podres, mortos vivos do velho Brasil que só querem matar quem está vivo. As gigantescas mudanças estão acontecendo, mas nada é divulgado pela imprensa "jabazeira" que só quer saber de atacar, ao estilo "quanto pior melhor". A fonte de recursos públicos acabou, a fonte da corrupção e desvios bilionários para esse esquema que alimentava uma imprensa suja, se encerrou, e agora ela está como náufrago, morrendo afogado, dando socos para todo lado. Reclamam dos maus modos do presidente Bolsonaro, mas como disse Paulo Guedes: "Tem muita gente cheia de excelentes modos, mas sem princípios". Gente que fala bonito, propaga o politicamente correto, mas está com os bolsos sujos de dinheiro da corrupção. 

Melhor ter um presidente que mais parece aquele "tiozão do interior", tosco, bruto, sem modos, mas que é íntegro, sincero e verdadeiro, que se cercar de gente engravatada, doutores indicados por políticos corruptos, com PHD, oratória linda, mas sem nenhum escrúpulo. O pobre que chegou a presidência da República. Linda seria esta história se não tivesse roubado a nação roendo até o "pau do mastro". Ratazana-mor da corrupção brasileira que comandou o maior assalto a um país em todo mundo. Tivemos 13 anos de governos petistas veja o que nos restou: 52 milhões de brasileiros abaixo da linha da pobreza, 14 milhões de desempregados, mais de 65 mil homicídios por mortes violentas por ano, milhares de empresas fechadas, um educação desmoralizada, baseada nos ideais da nesfasta "pedagogia do oprimido" do choruminoso comunista Paulo Freire, que colocaram a nossa educação na última e humilhante colocação no ranking mundial do PISA que mede o nível da qualidade da educação no mundo, com nossas universidades públicas vomitando "soldadinhos marxistas" (e não profissionais) que nada servem para o mercado. 

Além disso ainda temos impostos estratosféricos, ineficácia da máquina pública burocrática, um horroroso sistema de leis trabalhistas que mata o empregador e enche o trabalhador de direitos e mais direitos, inviabilizando qualquer investimento, além do desvio de Bilhões de dólares do erário público brasileiro para ditadura comunistas, uma saúde caótica, sem falar nos estratosféricos roubos nas estatais, PETROBRAS, um rombo de meio trilhão no BNDES e um mega roubo aos cofres públicos de mais de 8 trilhões de acordo com o levantamentos da Lava Jato. O maior ladrão do mundo que responde a 10 processos de corrupção deve pegar pelo menos uns 200 anos de penas somadas, mas está solto, e os tentáculos do "molusco ladrão" estão em todos os lugares. Essa faxina está só começando, sempre soubemos que não seria fácil, os ratos resistem em deixar a casa inteira, mas a força do povo Brasileiro é maior e a nossa nação vencerá essa quadrilha. Não será fácil mudar um país que historicamente sempre teve em sua essência de poder a corrupção, mas estamos no caminho certo.

Gesiel Oliveira - drgesiel.blogspot.com

quinta-feira, 19 de dezembro de 2019

Caso NETFLIX/Porta dos Fundos deve gerar bloqueio da programação no Brasil



O Caso NETFLIX/Porta dos Fundos deve gerar bloqueio no Brasil e afundar ainda mais as contas da empresa capitaneada pelo CEO Reed Hastings. A empresa, que acumulou perdas de 21 bilhões em 2019, resolveu bancar Gregório Duvivier e Fábio Porchat com o horrendo e asqueroso  longa “A Primeira Tentação de Cristo”. A trama protagoniza um Jesus gay, apóstolos bêbados e Maria adúltera e um "deus" mentiroso e envolvido em um triângulo amoroso com José e Maria. Foi a gota! Isso gerou uma onda de revolta nas redes sociais alcançando o topo dos Treendings Topics mundial a hastag #NetflixLixo e #PortaDosFundosLixo. 


Nesta quarta-feira 18 de Dezembro, a Comissão de Ciência e Tecnologia intimou a empresa a prestar pontamente seus esclarecimentos sobre o crime – além de informar o jurídico do NETFLIX Brasil que a empresa responderá criminalmente pelo artigo 208 do Código Penal, além de bloqueio imediato em território nacional. O escritório do NETFLIX no Brasil se recusou a falar com a imprensa mas informou o HQ em Los Gatos na Califórnia, que a suspensão de conteúdo do Porta dos Fundos é a melhor forma de evitar um embate jurídico ainda mais caro mas já claramente inevitável. Igrejas Católicas E Templos Evangélicos formaram um Batalhão Jurídico ingressando com inumaras ações em todo Brasil. Um dos escritórios de advocacia mais respeitados e caros do Brasil, liderado por membros da Congregação Cristã no Brasil informa ao blog que advogados ligados a Igreja Católica e até mesmo líderes judeus e muçulmanos resolveram comprar a briga com NETFLIX e Porta dos Fundos, unindo todas as forças e fés contra o a dupla Gregório Duvivier e Fábio Porchat. 


Com queda brusca em valor de mercado, falta de capital para novas produções e rigorosa perda de assinantes (estima-se que mais de 100 mil assinaturas foram canceladas em menos de 1 semana só no Brasil) o NETFLIX agora enfrentará um processo judicial que promete custar caro aos cofres já defasados da empresa. Com o bloqueio prestes a ocorrer, usuários terão de apelar para serviços de VPN para acessar a plataforma de streaming.


Conselho extra-judicial ao NETFLIX?

Gregório Duvivier é sócio da XP Investimentos e dono de uma farta fortuna: que tal pedir para Greg, amigo de Walter Delgatti e Glenn Greenwald arcar com as custas processuais? Greg se dá ao luxo de pagar a HBO para poder veicular seu Greg News – uma cópia porca e imunda do Last Week Tonight with John Oliver.


O deputado Julio Cesar (Republicanos-DF) informa que somadas as assinaturas em favor do boicote e bloqueio do NETFLIX no Brasil já somam 3.6 milhões de assinaturas. Nesta sexta-feira (20/12), mais três requerimentos envolvendo o caso NETFLIX Porta dos Fundos deverão ser aceitos pela justiça.


Não custa recordar: quem lacra não lucra. Quando lucra, paga o preço lá na frente. Que coisa hein Gregório? Ou achavam que iam achincalhar e desrespeitar a fé e religião de 86% dos brasileiros e tudo ia ficar por isso mesmo? 


Gesiel Oliveira, com informações de https://bettercallglenn.com/caso-netflix-porta-dos-fundos-deve-gerar-bloqueio-no-brasil/



segunda-feira, 16 de dezembro de 2019

Uma história de amor a Obra de Deus - Por Pr Gesiel Oliveira.






Hoje quero compartilhar com vocês uma das histórias mais impactantes que já ouvi em toda minha vida, que mostra o quão grande pode ser a dimensão do amor à Obra de Deus. No dia 22 de abril de 1977 o Pr José de Souza Rangel foi enviado com dia esposa Prª Rosilda Souza e seus 4 filhos pequenos para iniciarem um trabalho missionário na Ilha dos Camaleões na Região da Ilha do Marajó. Ele demorou cerca de 3 semanas em seu barco a vela para chegar até lá, um pequeno e esquecido povoado ribeirinho na porção oeste da Ilha do Marajó. Nessa região encontrou apenas 12 crentes, a maioria crianças, que o receberam como novo pastor do campo. Era uma região difícil, sem alimentos, com pouco peixe, sem energia elétrica, sem igreja, sem casa pastoral, sem comércio, etc. E sem perda de tempo ele começou a trabalhar, indo  para o mato tirar madeira para começar a construir a igreja e a casa pastoral. A alimentação era difícil, a família comia camaleão (iguana) de manhã, de tarde e de noite. Passado alguns dias em que estavam ali, seus quatro filhos pequenos adoeceram. Uma menina de 9 anos, chamada de Maria José e um menino de 11 meses chamado de Samuel eram os casos mais graves. Nesses dias, o Pr Rangel estava no mato tirando madeira, quando alguém chega às pressas e diz: "pastor corra pra sua casa que sua filha piorou e está muito mal". Chegando ali a menina estava em convulsão, com febre alta, já se despedindo da vida. O Pastor Rangel, com lágrima nos olhos, segura sua filhinha em seu colo,  e começa a cantar o hino 394 da harpa: 

"Quem sua mão ao arado já pôs
Constante precisa ser
O Sol declina e logo após
Vai escurecer
Avante, em Cristo pensando
Em oração vigiando
Com gozo e amor trabalhando
Pra teu Senhor" 

Quando ele termina a 1ª estrofe a criança morre em seu braços. O dia mau chegou naquela humilde casa. A esposa do Pr Rangel, Irmã Rosilda desmaia, e ouvem-se gritos e prantos naquela casa. O Pr Rangel nunca imaginara que a madeira que ele estava tirando para fazer a igrejinha, serviria agora para fazer o caixão de sua filhinha. Em lágrima o Pr Rangel coloca o corpinho da sua filhinha amada no caixão feito por ele mesmo e leva para enterrar em um local próximo a uma floresta, perto de sua casa. Enquanto ele cavava a sepultura ele continuava a cantar:

"Não desanimes, por ser tua cruz
Maior que a de teu irmão
A mais pesada levou teu Jesus
Te consola, então
A tua cruz vai levando
Como Jesus perdoando
Alegremente andando
Pra o lindo céu" 

Ele então enterra ali sua filha Maria José de apenas 9 anos. Deixa ali naquele chão frio um pedaço de si, no meio do silêncio da floresta Amazônica. E no retorno para sua casa, enquanto ainda enxugava as lágrimas, e tentava compreender o que havia acontecido, eis que um irmão da igreja vem rápido correndo ao seu encontro, com ar de espanto, e diz: "pastor Rangel seu outro filho acaba de falecer". A esposa do Pr Rangel, Irmã Rosilda desmaia com a notícia. Ao correr rápido em direção à sua casa, ainda de longe ouve gritos e prantos. Ele entra na casa, se ajoelha, chora e pede a Deus que tenha misericórdia e não permita que nenhum dos seus outros dois filhos que ainda restaram morram. Novamente o Pastor Rangel faz o segundo caixão em menos de 24h para enterrar o seu filhinho de apenas 11 meses chamado de Samuel, e o leva para sepultar ao lado da sepultura da outra filha. Enquanto ele cava a segunda cova em apenas um dia, em lágrimas e com a voz trêmula, continua a cantar:

"Sê bom soldado de Cristo Jesus
Sofrendo as aflições
Não sufocando a mensagem da cruz
Nas perseguições
Vai Seu amor proclamando
Novas de paz, sim, levando
Aos que estão aguardando
A salvação" 

Quando o Pr Rangel enterra seu filhinho, em lágrimas a sua esposa pergunta: "e agora meu marido, o que vamos fazer?". O Pr Rangel imediatamente responde: "vamos fazer o que viemos fazer, pregar o evangelho de Jesus". Ele abraça e consola sua esposa. O Pr Rangel estava firmado do que a Bíblia diz em Romanos 5.3,4: "nos gloriamos nas tribulações; sabendo que a tribulação produz a paciência, e a paciência a experiência, e a experiência a esperança". 

Passado alguns anos, novamente alguém vem procurar o Pr Rangel em sua casa dizendo: "O filho do irmã Neuza Amaral  faleceu há quase 10 horas de uma febre alta repentina, e a família o chama pastor para consolá-los". Ao que tudo indicava, aquele menino, de apenas 9 anos, morreu da mesma doença que matou os dois filhos do Pr Rangel. Quando o Pr Rangel chegou àquela  casa, encontrou o corpinho frio da criança morta, em cima de uma mesa. Mãos pálidas, beiço acizentado, pupilas dilatadas, enrijecimento dos membros, braços e pernas. O pai do menino já havia ido para o mato tirar madeira para fazer o caixão. Mas aquele Pr Rangel que adentrou aquela casa, não é mais o mesmo. É um Pr Rangel forjado no deserto, com fé fortalecida, homem experimentado nas dores, e agora ele estende a sua mão sobre aquele cadáver, e diz: "Senhor meu Deus, eu não aceito mais esse laço de morte demoníaca, pelo poder que há no nome de Jesus, Levanta-te menino" e a criança se mexeu e grande foi o alvoroço que se viu naquele lugar, que se encheu da Glória de Deus. Pessoas que viram aquela criança ressuscitar começaram a pular de alegria, glorificando a Deus, falando em línguas estranhas, e agora alguém manda avisar ao pai da criança que não precisa mais tirar madeira para o caixão do seu filho, por que Deus manifestou ali o seu poder e trouxe de volta a vida aquela criança. Para finalizar meu relato de hoje, essa criança que ressuscitou hoje é nosso pastor, e dirige uma das nossas igrejas da COMADEZON, Convenção da Assembleia de Deus Zona Norte, no Rio dos Carás na Ilha do Marajó, trata-se do Pr Enéas Conceição. Depois da morte de dois filhos do Pr Rangel e Prª Rosilda, Deus deu mais 5 filhos a este casal, e nos dois primeiros que nasceram, o Pr Rangel colocou os mesmos nomes dos que faleceram: Maria José e Samuel Souza. Este último hoje é nosso pastor, ligado a COMADEZON e dirige nossa igreja no Rio Mupeua, na Ilha do Marajó, uma linda e abençoada igreja. O Pr Rangel permaneceu naquele campo da Ilha dos Camaleões  por 6 anos, e deixou uma linda igreja que existe até hoje naquela localidade. Dirigiu diversos outros campos e implantou várias igrejas em sua trajetória abençoada como pastor. O Pr Rangel faleceu no dia 12/05/2015 aos 87 anos, cercado pelo amor de todos os seus filhos e netos, homens e mulheres honradas, a maioria pastores da COMADEZON. Ele então pode cantar no céu, a última estrofe do hino 394 da harpa cristã:

"Quando, enfim, tu largares a cruz
Jesus te coroará
Com santo gozo em glória e luz
Te consolará
Esquecerás teus lidares
Tribulações e pesares
Quando no céu desfrutares
Perfeita paz" 

É assim que Deus faz! Os desertos que atravessamos em nossas vidas não vem para nos matar, mas para nos deixar mais fortes. Essa é a história de um guerreiro anônimo, uma história até agora desconhecida, dentre tantas outras histórias que só Jesus sabe, e que naquele grande dia os recompensará. Obreiros de fé que nem as maiores dificuldade os fizeram recuar. O Pr Rangel pode dizer como o Apóstolo Paulo em 2 Timóteo 4:7-8 "Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé. Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, me dará naquele Dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amarem a sua vinda". A foto acima foi tirada no Muncipio de Itaubal, na casa do Pr Rangel (de camisa vermelha) ao lado de sua esposa Prª Rosilda, dia 16/11/2013 quando tive a oportunidade de conhecer  essa história.

quarta-feira, 27 de novembro de 2019

O gatinho e a cadelinha - Por Gesiel Oliveira



Um gatinho branco apareceu em frente de casa e a Larissa (9 anos), o Miguel (13 anos) e o Gabriel (16 anos) o adotaram imediatamente, cuidaram, deram banho, passaram perfume, deram comida, arrumaram até uma coleira e uma casinha pro novo recém chegado, etc. A Melissa (a cadelinha) logo foi deixada de lado e não parava de latir um minuto pro gatinho (como se quisesse nos avisar de algo), e ficou enciumada com tanta atenção dada ao novato. O gatinho encheu a barriga, dormiu na cadeira macia, e no outro dia de manhã foi embora de barriga cheia sem se despedir para nunca mais voltar. Do mesmo jeito como apareceu, sumiu. Pense num bicho que não tem amor e gratidão por nós. Ainda deu tempo de tirar uma única foto e gravar um pequeno vídeo da Melissa olhando desconfiada para o gatinho kkkk. As crianças ficaram arrasadas, mas lá estava a cadelinha Melissa, fiel e companheira para dar alegria a eles. Comparei essa simples historinha com o que costuma acontecer conosco diariamente. Às vezes supervalorizamos alguém que sequer conhecemos e que chegou recente, muitas vezes por ser importante, por ter status, ter dinheiro, e deixamos de lado quem sempre esteve conosco e que nunca nos abandonará. A pior crise de prioridades é valorizar quem nos despreza e desprezar quem nos valoriza. Realmente é melhor valorizar e priorizar quem não nos procura só por interesse. Pr Gesiel Oliveira

quarta-feira, 20 de novembro de 2019

A última oportunidade - Por Gesiel Oliveira



Hoje (20/11) eu estava trabalhando no meu ofício, e lá no fim do Bairro Brasil Novo cheguei a um endereço já conhecido onde reside um adolescente, que possui a mesma idade do meu filho (16 anos). Toda vez que eu chegava ali para intimar aquele adolescente, a família dele já até me conhecia. Esse adolescente foi criado com os avós, pois seus pais morreram em um acidente há muitos anos. Sempre que eu chego naquela casa, eles logo vão buscar café, pão, suco, banana, enfim, são pessoas honestas e trabalhadoras, e com o tempo viraram meus amigos.Toda vez que eu chegava lá, conversava com ele, sentava na cadeira de balanço, e conversava sobre as escolhas das amizades (nem tão boas) que eles fez. Eu o orientava para procurar uma igreja, insistia com ele para ir aos braços de Jesus, falava do amor de Jesus. Mas ele nunca aceitava minhas palavras, sempre dizia: "lá vem o sermão" e revirava os olhos. Na última vez que estive ali naquela humilde casa, em uma área de invasão, tentei mais uma vez falar do amor de Jesus para ele, e desta vez ele foi mais severo e enfático comigo, e me disse: "faça seu papel como Oficial de Justiça e vá embora", você não está aqui como Pastor. Eu fiquei triste, percebi que ele havia mudado muito em tão pouco tempo, peguei meus papéis e sai. Hoje pela manhã quando retornei àquela casa e perguntei por ele, o avôzinho que o criou como filho, disse com olhos lacrimejantes: "ele foi assassinado há 12 dias em uma briga". Levou-me para ver seu quarto vazio, suas roupas do guarda roupa, sua escova dental e vi a Bíblia empoeirada que eu havia dado a ele, esquecida numa prateleira com fotos daquele adolescente. E agora aqui estou eu escrevendo com lágrimas nos olhos esse texto e com o atestado de óbito daquele adolescente aqui ao lado do meu notebook, tentando encontrar forças para escrever para o Juiz que não precisa mais mandar intimações para aquele endereço. “Escutem-me e venham a mim, prestem atenção e terão vida nova. Procurem a ajuda de Deus enquanto podem achá-lo; orem ao Senhor enquanto ele está perto. Que as pessoas mudem a sua maneira de viver e abandonem os seus pecados! Voltem para o Senhor, nosso Deus, pois ele tem compaixão e perdoa completamente.” (Isaías 55.6-7).






segunda-feira, 18 de novembro de 2019

Missionário pioneiro Otto Nelson foi proibido de sepultar o próprio filho em Maceió/AL




Segundo a cronologia dos primórdios protestantes no Brasil elaborada em 2003 pelo Prolades, as Assembleias de Deus norte-americanas teriam começado a atuar em terras brasileiras a partir de 1925. Mas, não há documentos que comprovam essa informação. Oficialmente, as Assembleias de Deus norte-americanas enviaram missionários para o Brasil a partir de 1936. Neste ano, o Departamento de Missões do Concílio Geral da Assembly of God (Assembleia de Deus) decidiu fazer do Brasil mais um dos seus campos missionários em volta do mundo. 

O comunicado impresso na revista Pentecostal Evangel de janeiro de 1936 dizia que, por muitos anos tinha sido política de trabalho do Concílio Geral, encaminhar todos os candidatos à obra missionária no Brasil para a Missão Livre Sueca que, segundo entendiam, estavam fazendo um trabalho eficiente em terras brasileiras. 

Mas, como continuavam a chegar pedidos de candidatos e alguns desses informarem a impossibilidade dos missionários suecos evangelizarem todo o grande país com uma população na época de 40 milhões de habitantes, o Departamento de Missões da AG resolveu atender aos apelos dos candidatos e aos convites para entrar no campo brasileiro. Então, foram aprovados e enviados seis missionários: Orland Spencer Boyer e sua esposa, Ethel Boyer, que haviam estado no Brasil anteriormente por outra denominação; Vernon Fullerton e sua esposa Ruth, filha do casal Boyer; e Frank John Stalter e sua esposa Louise.

Foi estabelecido no Brasil o Fellowship Field da Assembly of God, que atualmente se chama Conselho Geral das Assembleias de Deus no Brasil e somam no seu total mundial de membros a membresia das Assembleias de Deus brasileiras.

Missionário foi proibido de sepultar o filho no cemitério por ordem de um padre.

Pelos idos de 1916-17, o missionário sueco Otto Nelson morava no bairro de Bebedouro, na Rua Dr. Passos de Miranda, em Maceió, Alagoas. Ao tentar sepultar seu terceiro filho, Davi, que morrera aos dez meses de idade, foi informado que o padre local não permitia, alegando que o cemitério era da igreja católica, e que “hereges” não podiam ser enterrados lá. Por causa desta ordem, os coveiros cavaram a sepultura do garoto no lado de fora do cemitério. Além desta ação, o tal sacerdote instigou os católicos romanos dessa comunidade a se levantarem furiosamente contra os crentes. Sem ter como enterrar o seu filhinho, Otto Nelson orou a Deus, suplicando-lhe uma solução urgente, a qual chegou imediatamente, pois o delegado, ao tomar conhecimento da proibição imposta pelo sacerdote, mandou que uma escolta de soldados acompanhasse o enterro até o cemitério e ali guarnecesse os crentes, enquanto era realizada a cerimônia de sepultamento, que aconteceu à noite, à luz de candeeiros.


Pastor Isael de Araujo é responsável pelo Centro de Documentação, Informação e Pesquisa (CDIP) da CPAD e pelo Centro de Estudos do Movimento Pentecostal (CEMP). É autor do Dicionário do Movimento Pentecostal (CPAD).

A história dos mártires de Guanabara - Por Gesiel Oliveira



Essa é a história dos primeiros missionários protestantes que pisaram em solo brasileiro. Eles foram perseguidos e martirizados por não negarem sua fé, e escreveram a primeira confissão de fé das Américas, uma das mais antigas da época da Reforma. Tais fatos ocorreram na França Antártica, uma colônia francesa, na baía de Guanabara, fundada em 1555 pelo militar Nicolas Durand de Villegaignon.

A Reforma na França

A Reforma se espalhou pela França, principalmente devido a propagação dos escritos de João Calvino. Este, de Genebra, prestava grande apoio aos protestantes franceses, ou “huguenotes, como eram chamados. Eles eram perseguidos e reuniam-se de maneira clandestina. Ainda assim, a Reforma alcançou pessoas de todas as classes sociais, como Margarida de Angouleme, esposa de Henrique, rei de Navarra e o almirante Gaspard de Chantillon Coligny.

A colônia francesa no Rio de Janeiro

Villegaignon era um militar de grande reputação na França, devido a sua participação em diversas campanhas em outros territórios. Mas encontrou-se insatisfeito com seu próprio país após aborrecer-se com uma derrota numa campanha e discórdias com outros militares. Foi quando ouviu falar das recém descobertas terras brasileiras e teve a ideia de realizar uma expedição para lá, a fim de estabelecer uma colônia. Suas motivações para isso eram bastante controversas, o que pode ser visto no fato de que, sendo ele membro de uma ordem católica, buscou o apoio de um protestante, o almirante Gaspard de Coligny. Este era o único que poderia financiar a viagem.

Ao apresentar ao almirante Coligny a ideia da expedição, Villegaignon disse que seu objetivo era estabelecer um refúgio aos protestantes perseguidos na França. Assim, conseguiu por meio do almirante, o apoio do rei, que concedeu recursos e permissão para recrutar colonos. Estes incluíam tanto católicos como protestantes.

Em 1555, após uma viagem sofrida, eles chegaram à Baía de Guanabara. Villegaignon decidiu que se estabeleceriam na ilha hoje chamada de Fiscal, por sua posição estratégica. Fundar uma colônia numa ilha era uma péssima ideia e essa foi uma de suas várias ações que aborreciam os colonos.

O pedido do envio de mais huguenotes

O clima de insatisfação contra Villegaignon aumentava na colônia. Rebeliões estouraram e, a fim de salvar a colônia de se desintegrar, Villegaignon pediu à igreja Reformada em Genebra que enviasse ministros da Palavra de Deus à Guanabara. Em sua carta, dizia que precisava deles para cuidar da igreja e pregar o evangelho aos nativos ali.

Seu desejo foi atendido e, em 10 de março de 1557, um grupo de huguenotes chegou à Guanabara. No início, Villegaignon, mostrou-se simpático para com eles e recebeu-os bem, chegando até a declarar-se como protestante. Mas logo começou a divergir dos huguenotes em relação a diversas questões doutrinárias. Tornou-se um tirano cruel, passou a obrigar seus trabalhadores a efetuarem trabalhos forçados, em condições precárias. Em outubro do mesmo ano, Villegaignon expulsou os protestantes da pequena ilha para o continente devido aos constantes conflitos.

Então, no início de 1558, os missionários decidiram regressar a seu país. Todavia, diante das condições precárias da embarcação, cinco deles decidiram voltar à terra firme: Jacques Le Balleur, Jean du Bourdel, Matthieu Verneuil, Pierre Bourdon e André la Fon. Foram até Villegaignon para pedir-lhe que os recebesse novamente, mas foram acusados pelo comandante de serem traidores e espiões, açoitados e encarcerados em péssimas condições.

Por haver declarado-se inimigo dos cristãos protestantes, e por saber que poderia agradar o rei da França com a morte deles, resolveu interrogá-los sobre sua fé, a fim de condená-los por heresia. Os missionários foram obrigados a descrever sua fé, no prazo de 12 horas, respondendo a uma série de perguntas, sabendo que estavam assinando a própria sentença de morte.

Villegaignon, ao receber o documento, que ficou conhecido como Declaração de Fé de Guanabara, indignou-se muito. Ao ler o documento mandou chamá-los para confirmar se eles concordavam com o que estava escrito ali, e, então, executá-los. Bourdel, Verneuil e Bourdon foram lançados ao mar de um despenhadeiro, o último, após ser enforcado. Os demais foram poupados.

O testemunho dos huguenotes

Essa história pouco conhecida remete à época do nascimento de nosso país. Os missionários huguenotes realizaram aqui o primeiro culto evangélico e escreveram a primeira confissão de fé das Américas. Perseguidos em sua terra natal, aceitaram fazer uma longa viagem sem saber que seriam também perseguidos na colônia. A motivação: o amor à Palavra que havia transformado suas vidas e que desejavam pregar aqui. E assim o fizeram. Entre os colonos, anunciaram o evangelho e muitos se converteram. Realizaram missões entre os índios tupinambás, escrevendo alguns dos primeiros registros sobre eles. Não recriminavam seus costumes, bastante repulsivos para os europeus, nem os condenavam por serem diferentes. Talvez, se tivessem tido mais tempo, pudessem ter realizado um trabalho permanente entre os indígenas. Aqueles missionários, pressionados e sob ameaças, não negaram a fé. Antes, conseguiram declará-la de maneira competente, sem jamais agir com violência contra o ambicioso tirano que os oprimia.

Essa história nos traz reflexões. Aqueles que conhecem verdadeiramente a Palavra de Deus experimentam grande libertação e logo ficam desejosos de anunciá-la aos que não a ouviram, até mesmo nos lugares mais distantes. A Palavra também desperta grande paixão naqueles que a conhecem, levando-os a buscar conhecê-la ainda mais e até mesmo dar a vida por ela. Porque essa é a Palavra de Cristo. A Palavra que precisamos conhecer, amar e anunciar.

Conseguiríamos, como os missionários, descrever nossa fé? Saberíamos explicar e mostrar na Bíblia os pontos mais importantes do evangelho caso fôssemos perguntados? Graças ao Senhor, hoje, Ele tem os dele nesta nação. Precisamos orar por ela e viver de acordo com as Escrituras, conhecê-las e estar claros quanto à nossa esperança (1 Pe 3:15). Só 310 anos depois o evangelho alcançaria o Brasil, e talvez isso teria nos tornado uma nação bem melhor.

quinta-feira, 14 de novembro de 2019

BRICS: intensificação do comércio com a China é bom para o Brasil? Por Prof Gesiel Oliveira.



É difícil para algumas pessoas entenderem que isso interessa ao Brasil por conta de que nossas exportações dispararam, especialmente no que eles não produzem: commodities. Por isso criticam sem conhecer as relações comerciais entre Brasil e China, o nosso maior parceiro comercial. A China é uma nação diferente das demais que adotam o socialismo, pois nas relações externas ela é CAPITALISTA e nos aspectos internos, o socialismo. Ao Brasil só interessa o que pode ganhar com o comércio. Nós não estamos preocupados com a forma como ela se administra internamente, é o que chamados de SOCIALISMO DE MERCADO, que só esse país possui. 

A China não fecha negócio com as demais nações com base no viés ideológico, e sim com base nos ideais e regras de mercado capitalistas. Sou professor de Geopolítica e observo há muitos anos a forma diferente e sui generis como a China age. Internamente possui suas leis, costumes, etc, baseados nos princípios do socialismo. Externamente negocia com voracidade avança em níveis de crescimento incríveis por conta da forma capitalista como negocia. Mas nem tudo é flores, na China na prática há empregos em larga escala, mas não há direitos trabalhistas. Isso permite com que excessos aconteçam, como situações análogas à escravidão em determinados casos, devido aos baixíssimos salários e diárias pagas aos seus trabalhadores. Ou seja, não importa a forma como a China se organiza internamente, importa comprarem mais e mais do Brasil e continuarem negociando cada vez mais. 

Nos EUA não há CLT, mas o empregado recebe em média 6 vezes mais que aqui no Brasil em termos proporcionais, realizando menos trabalho, recebendo mais, com contrato assinado, e sem o empregador ter de estar preocupado em despedir todo ano aquele monte de empregados com medo na enorme quantidade de direitos que a CLT dá aos empregados após 1 ano de carteira assinada, tornando praticamente insustentável aos empresários mantê-los por muito tempo. Você já pensou se essa montanha de encargos e direitos trabalhistas fossem diminuídas? Imagine o quanto ia ter de emprego aí para os nossos filhos? No mercado americano não há esse peso de direitos que temos aqui, mas o emprego é pleno. O retorno é alto, e compensa muito. Você não passa desempregado muito tempo. 

Já aqui se um micro empresário compra um pequeno caminhão e contrata dois funcionários e despede um, tem de vender o pequeno caminhão para indenizar o que saiu, e o que estava empregado perde o emprego, junto com a empresa que entra em falência. Então nossas leis trabalhistas não refletem mais o quadro atual. Hoje ninguém mais quer contratar empregada com carteira assinada porque depois de um ano você tem de vender a sua casa para indenizá-la de tantos direitos que ela tem. Temos de decidir: queremos mais direitos ou empregos? Alguém pode dizer: "mas na China há mais de 1,5 bilhão de pessoas". Eu vejo isso como uma mercado gigantesco a ser conquistado. Se você vê isso como um problema, eu vejo como uma gigantesca oportunidade de vender o que eles não produzem. Eles não produzem em larga escala como o Brasil: petróleo, carne, feijão, frango, soja, trigo, etc. 

Vendem os "cacarecos" eletrônicos deles, mas no final a balança comercial sempre nos favorece. Veja os dados: em 2018 essa relação que chegou aos números de 77,9 bilhões na corrente entre os dois países, sendo que US$ 40,6 bilhões em exportações e US$37,3 de importações, ou seja, o Brasil está ganhando muito mais nesse negócio. Imagina esse ano, que eles estão mais próximos. A China adota uma forma diferente com o socialismo. Porque aqui no Brasil a turma que saiu do poder quase destruiu o Brasil financiando mais de 1 trilhão de Reais com dinheiro do contribuinte, dinheiro do BNDES, em obras em Países ditatoriais socialistas como Nicarágua, Moçambique, Cuba, Venezuela, Bolívia, Guiné Equatorial, etc. Ou seja, bilhões desviados em esquemas fraudulentos para alimentar a voracidade da corrupção da maior quadrilha que já assaltou uma nação. 

O Brasil já é um país de arcabouço e aparelhadamente socialista. Estávamos no caminho da "venezualização". Todo país que se apropria de uma parte tão grande do salário ou da produção de quem trabalha para distribuir para quem não trabalha, é um país de viés socialista. Basta constatar pela carga tributária gigantesca de quem recebe acima de R$5.800,00 praticamente tem deixar quase metade do salário para o governo. E para quem é empresário a carga tributária ainda é pior. Em nenhum lugar do mundo um país cresceu tirando de quem produz para entregar para não produz. Um país é só cresce 1) onde as leis de mercado são livres, 2) a carga tributária é baixa e 3) onde a carga de direitos pago aos empregados pelo empregador são menores. O consumidor no Brasil, bem esse paga o produto mais caro do mundo.

quarta-feira, 13 de novembro de 2019

Não ajude a quebrar a casca do ovo - Por Gesiel Oliveira




O filhote da águia ou qualquer filhote de pássaro tem que quebrar o ovo para nascer. Seu crescimento enquanto incubado dentro do ovo exige espaço. A única forma de continuar crescendo é sair do ovo. Aí começa sua primeira luta: quebrar aquela casca com as próprias forças.

Quem observa os esforços daquele ser frágil tentando sair de sua resistente "prisão" sente pena e às vezes é tentado a ajudá-lo. Afinal, é agonizante ver o bichinho quase se "matando" só para nascer. Mas o que muitos não sabem é que aquele processo na verdade é bom e necessário para o filhotinho. É naquela luta que ele começa a desenvolver forças próprias, usa seu bico para quebrar a casca, cria resistência em suas asas, as quais precisará para sobreviver e alçar altos voos logo após nascer. Se alguém “ajudar” e quebrar a casca do ovo para o filhote sair, estará na verdade prejudicando-o, deixando-o aleijado, sem forças e frustrando toda a sua vida futura. 

Não é diferente com o ser humano. Quando nossos filhos passam por suas lutas, nossa reação imediata é querer ajudar, querer "quebrar a casca do ovo" para facilitar. Às vezes eles têm de sofrer as consequências de seus atos, viver com suas decisões, decepções, permita-lhes chorar, lutar suas próprias lutas para poderem crescer e se fortalecer. E se tentarmos ajudar, estaremos na verdade prejudicando-os. Console-os mas não os superproteja a ponto de evitar que eles travem suas próprias batalhas, porque elas são a "casca do ovo" que nossos filhos precisam quebrar para enfrentar a vida dura lá fora, e alçar seus próprios voos.

Amar também requer que deixemos a pessoa amada guerrear suas próprias batalhas quando necessário, adquirir experiência, e aprender com cada lição na fase de quebra da casca do ovo, porque agindo assim se tornarão águias fortes, resistentes e que darão altos voos.

Pr Gesiel Oliveira

Instagram: @prgesieloliveira
Twitter: @PrGesiel_
Whatsapp: Gesiel Oliveira

segunda-feira, 11 de novembro de 2019

Condenaram uma nação para soltar um ladrão - Por Gesiel Oliveira


O STF mostrou mais uma vez que ignora o clamor de uma nação pelo combate a corrupção, que atropela o que for necessário para atingir seus objetivos, que não possui segurança jurídica, que continua remando na contramão das mudanças que o Brasil está atravessando, representando a última trincheira do velho Brasil que resiste em mudar,  pois foi capaz de mudar um entendimento solidificado na corte suprema há anos, só com evidente interesse de beneficiar um único presidiário. Para soltar esse presidiário, o maior deles, o STF teve de autorizar a liberação de mais de 5 mil bandidos em todo país. Mais de 5 mil criminosos (estupradores, assassinos, sequestradores, pedófilos, estelionatários, ladrões, traficantes, etc) agradecem ao STF, por estarem soltos em breves dias, para  estarem de volta às ruas do Brasil nas suas reiteradas práticas criminosas.

O Brasil mudou mas o “establishment” resiste de forma implacável. As engrenagens enferrujadas do velho Brasil emperram o Brasil de voltar a funcionar. É triste ver o interesse de uma nação ser barrada por 6 "divindades togadas" que puxam o Brasil para trás a cada vez que ele tenta correr pra frente. Com uma suprema corte como a nossa, não precisamos de nenhum ataque externo, porque o nosso STF  já está implodindo o Brasil, destruindo-o de dentro para fora. Um sistema que coloca a última decisão irrecorrível nas mãos de 11 "divindades togadas", não escolhidos pelo povo, pode ser chamado de tudo menos de democracia. 

Durante muitos anos o STF adotou esse entendimento, e de uma hora pra outra (claro que por causa do Lula) agora, resolveu mudar de posição. Desta forma, mesmo que o congresso resolva, às pressas, criar uma lei nesse sentido (o que é quase improvável), o princípio da irretroatividade da lei penal mais gravosa  não mais alcançaria o motivo de tudo isso, pois o STF já conseguiu atingir seu nebuloso e nefasto  objetivo: Soltar o presidiário-mor. O que esperar de uma casa presidida pelo ex-advogado do PT, do MST e da CUT? Aquilo não foi um voto de minerva, e sim um voto de recompensa. Condenaram uma nação para soltar um ladrão!

Agora surgem os “juristas de internet” chamando todo mundo de “ignorante”, mas vejamos os fatos: Lula foi condenado por 01 juiz de primeira instância com sentença de mais de 200 páginas apontando mais de 30 provas. Depois teve sua pena aumentada por 03 juízes de segunda instância. Depois teve inúmeros Habeas Corpus negados, inclusive  por 05 ministros do STJ e depois do STF, que confirmou sua prisão. Depois teve seu Habeas Corpus negado por 06 ministros do STF. 

Teve direito a mais de 78 recursos só no caso do Triplex que foram negados. Passou 580 dias preso. Lembrando que não existe #LulaLivre e sim #LulaSolto a não ser que se anulem as decisões de 1ª, 2ª e 3ª instância e anulem também os outros 6 processos graves que estão tramitando e que podem levar a condenações de mais de 150 anos de penas somadas. Mas no Brasil há duas justiças, a composta de juízes concursados e isentos e a justiça dos Tribunais superiores, composta por apadrinhados e indicados por políticos corruptos. E são eles que ao final tudo decidem. Ainda falta muito para vencer o grande e terrível dragão da corrupção no Brasil, mas estamos dando pequenos passos nessa direção com um povo aguerrido e trabalhador que sonha com um Brasil livre da corrupção sistêmica. Chega de “bandidocracia”!

Portanto, aproveite bem a breve saída temporária, líder da maior manada de lobotomizados vermelhos  e bandido-mor chefe da maior quadrilha que já assaltou uma nação em todo mundo, porque o Brasil não vai aceitar isso passivamente. E por fim, se você acha que entende mais de direito e processo penal do que 01 juiz, 03 desembargadores, 05 ministros do STJ e 06 ministros do STF juntos,  então corre para o próximo concurso de Juiz Federal, pois você é o gênio perdido do direito brasileiro. 

Gesiel Oliveira, professor de direito penal.

quinta-feira, 7 de novembro de 2019

COADERJ realiza sua 4ª AGO em Nova Iguaçu/RJ

No último sábado, 02 de novembro, a Convenção da Assembleia de Deus do Estado do Rio de Janeiro (COADERJ), se reuniu no auditório da Apart Hotel Mont Blanc em Nova Iguaçu para a sua 4ª AGO. A COADERJ recebeu a ministração da palavra de  dois jovens evangelistas: Jhonatan Silva e Wellington Santos.

A ministração do Louvor ficou por conta de Marcos Mendes, Dominique Mariano, Saxofonista Matheus Mendes, Tiaguinho Silva e Ministério Fogo e Unção.

Durante a programação convencional houve o recebimento de pastores de diversos municípios do Estado do Rio.

O presidente, Pr Thiago Costa, destacou a importância de transformar as coordenadorias em Regionais. Regiões como Bahia e São Paulo apartir de Janeiro passarão a se chamar COADERJ ESTADUAL e não mais Coordenadoria.

Foi definido, conforme calendário, que a próxima convenção (a 5° AGO) será no municipio de Mendes no interior do Estado do Rio de Janeiro. Hotel Fazenda Monte Hebrom. 27,28 e 29 de Março.
Na ocasião foi entregue a Moção de Aplausos a 3 personalidades: Deputado Gutemberg Reis, Empresário Augusto da Raia e o Advogado Dr.Luis Carlos Rodrigues (Lula Rodrigues). Veja algumas fotos do evento.



















sexta-feira, 18 de outubro de 2019

Um impacto missionário está acontecendo na grande floresta.

Amigos eu não recebo absolutamente nada da minha igreja. Não estou dizendo que é assim que vocês devem agir, mas eu já trabalho assim há 20 anos, e Deus nunca tem me deixado faltar nada. Faço missões com meu próprio dinheiro, pago minhas viagens, hospedagem, alimentação e ainda me esforço para deixar ofertas por onde passo, e o pouco que entra para ajuda dos missionários, nós conseguimos fazer muito. Ano passado fiz 91 viagens missionárias pela Amazônia, ora andando em estradas poeirentas cheias de assaltantes, ora andando pelos rios, onde ocorrem muitos assaltos e naufrágio por conta da força das mares do grande Rio Amazonas. Em minhas viagens tive a oportunidade de conhecer muitas regiões indígenas, ribeirinhas, comunidades isoladas no meio da floresta amazônica, etc. Por onde passei realizei batismos nas águas, Santa ceia, consagrações de obreiros, inaugurações de templos, posse de pastores, pregação da palavra em inúmeras festas de crianças, adolescentes, jovens, obreiros, círculo de oração, etc. Tenho visto de perto o sofrimento do povo amazônico esquecido e abandonado pelo poder público. A implantação de igrejas tem mudado a realidade de muitas comunidades, antes destruídas pelos vícios, drogas e bebidas que chegaram antes do Evangelho. Participei de campanhas para conseguir vários cadeiras de plásticos para igrejas ribeirinhas, microfones, baterias, guitarras, violões, motores de energia elétrica, e dezenas de cestas básicas que foram distribuídas para quem verdadeiramente precisa. Vi e me emocionei com o sorriso da criança descalça na Foz do Rio Mazagão Velho, com o abraço de gratidão da idosa de 85 anos que eu batizei no Rio Marinheiro, no longínquo Arquipélago do Bailique. Fiz um apelo nas redes sociais, e vi o choro da mãe de uma criança, uma menina de 5 anos, que recebeu uma cadeira de rodas para vir a igreja, que fica em Melgaço, o município mais pobre do Brasil. Alegrei-me tomando açaí e comendo camarão na casa de um senhor que teve uma de suas pernas amputadas por uma picada de cobra, que estava orando há 30 anos para que Deus implantasse uma igreja em sua comunidade ribeirinha na Ilha do Marajó. Emocionei-me com a felicidade estampada em cada rosto indígena, na Tribo no Parque Indígena do Tumucumaque, que ajudamos levando remédios, médicos e o principal: A Palavra de Deus. Vi um indiozinho chorar ao receber sua primeira Bíblia, e na linha dele, o Waiãpi. Vi índias que antes eram depressivas, bebiam, se drogavam e só pensavam em se suicidar, agora dançarem na presença de Deus de alegria. Não dá pra descrever a quantidade de lições que tenho testemunhado nesses últimos anos. Está acontecendo um revolução missionária e silenciosa na Grande Floresta Amazônica nesses últimos dias. Quem só pensa em quanto vai ganhar, nunca vai entender o que é se doar para uma obra que, antes de espiritual é humanitária e fraternal. Ainda existe um povo que faz missões por amor. Nosso trabalho é silencioso, mas a Obra do Espírito Santo é eficaz. Orem por esses que se dispõem a sair das quatro paredes para irem aonde ninguém quer ir. Deus está agindo e transformando muitas vidas. 

Pr Gesiel Oliveira, vice presidente da Convenção da Assembleia de Deus Zona Norte, uma igreja missionária.
















quinta-feira, 26 de setembro de 2019

A mudança que Jesus faz - Pr Gesiel Oliveira



Hoje quero compartilhar com vocês uma experiência que tive na minha vida missionária no mês de julho de 2012. Antes dessa viagem tive um sonho em que eu estava andando em um caminho sombrio, e ali encontrei um homem sujo, cabeludo, maltratado e cambaleante que estava à beira do caminho me pedindo socorro. Eu segui direito e o ignorei, e lá na frente ele apareceu novamente e me disse: “me ajude por favor, não me ignore”. Foi então que eu estendi a minha mão e o ajudei a se levantar, e devagar fomos andando juntos. Eu não entendi o que significava aquele sonho. Três dias depois eu embarquei rumo a essa viagem ao Bailique. Eu e uma equipe de pastores viajamos cerca de 12 horas de barco. Fomos visitar nossas igrejas no Arquipélago do Bailique. Uma delas, em uma ilha a cerca de duas horas de voadeira, partindo da Vila Progresso, sede do distrito. 

Ali eu fui pregar em uma manhã de avivamento, que iria começar às 9h de uma manhã de domingo. Eu tive a ideia de sair bem cedinho batendo de porta em porta com a minha equipe de pastores, naquela pequena vila em uma região ribeirinha. A ideia era sair convidando os moradores para aquele evento. Acordamos cedo e saímos fazendo esse evangelismo pelas pontes daquela localidade. Quando nós passávamos em frente a um bar, vi um homem deitado em um banco, em sua mão segurando uma garrafa de cachaça, absolutamente bêbado dormindo ao relento. Ele com dificuldade estendeu sua mão em minha direção e gritou: “pastor me ajude!”. Na hora me lembrei do meu sonho. Um dos obreiros que estava ao meu lado, segurou na minha mão e me disse: “pastor não vá lá, esse bêbado anda caindo pelas pontes aqui há anos, e vive pedindo dinheiro a quem passa”, ao que eu disse: “Jesus nos mandou aqui exatamente para pregar o Seu Evangelho à esses seus filhos perdidos no mundo”. Virei meu rosto naquela direção, e fui até lá, e ele passou a me dizer em lágrimas: “me ajude pastor, eu não consigo sair dessa vida miserável do vício da bebida. Eu quero mudar, mas não consigo, não encontro forças para sair dessa vida. Será que Jesus me aceita assim?”. 

Eu respondi a ele: “Deus te ama, e enviou seu único filho para te salvar. Hoje a salvação chegou na tua vida”. Oramos por ele. Eu fotografei aquele momento. Nós conseguimos uma camisa, uma calça e um sapato, colocamos nele, e o levamos à igreja. Ele ficou deitado no primeiro banco, aparentemente dormindo, entorpecido pela bebida. Eu estava ministrando sobre como Davi mandou resgatar Mefibosete em Lode-Bar depois de quase 20 anos, e trazê-lo em sua carruagem real ao palácio para morar ali. Falei que assim também Jesus um dia se levantou do seu trono, perguntou acerca do seu filho(a) amado(a), perdido(a) neste mundo, e mandou o chefe da guarda real com sua carruagem buscá-lo naquele lugar abandonado e esquecido. Quando então percebi que aquele bêbado, apesar de estar com seus olhos fechados, as lágrimas desciam pelo seu rosto. Era o Espírito Santo que estava agindo naquela vida. Ele estava entendendo o que eu pregava. 

Depois daquele culto retornei à Macapá, e só voltei àquele lugar 5 anos depois. Era festa do círculo de oração. Eu costumo chegar cedo em cultos de festas. Quando cheguei à igreja, perguntei pelo pastor da igreja, mas ele ainda não havia chegado. Quem me atendeu foi o porteiro da igreja, bem vestido em seu paletó preto bem passado, gravata vermelha e camisa branca, cabelo bem arrumado, Bíblia embaixo do braço, perfumado, alegre e disposto, ele veio ao meu encontro e me deu um forte abraço e me perguntou: “Você se lembra de mim?”, ao que respondi: “sinceramente não!”. Ele então disse: “há anos queria lhe reencontrar. Eu sou aquele bêbado que lhe encontrou à beira do caminho”. Hoje sou diácono, prego a palavra, minha esposa é do círculo de oração e muitos dos meus familiares aceitaram a Jesus e estão aqui neste culto hoje. Guardei essa foto para me lembrar do que Jesus é capaz de fazer na vida daqueles que abrem seu coração para ele morar. Essa é a maior mudança que Jesus faz. Por isso nunca deixo de pregar o evangelho salvífico a ninguém, pois não sou eu que faço a semente germinar, sou apenas aquele que a lança no solo."Se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo". 2 Coríntios 5:17 e Mt 25.36 diz: "Porque tive fome, e destes-me de comer; tive sede, e destes-me de beber; era estrangeiro, e hospedastes-me; Estava nu, e vestistes-me; adoeci, e visitastes-me; estive na prisão, e foste me ver". Esse é o evangelho de Jesus que transforma.