segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Organização da administração pública

Para facilitar o aprofundamento dos assuntos ministrados em sala de aula, disponibilizamos esse material extra. Bons estudos. Prof Gesiel Oliveira.

1-Slide da aula - Clique AQUI

2-Apostila digital - Clique AQUI

3-Vídeo aula - Clique AQUI


sábado, 18 de fevereiro de 2017

Responsabilidade Civil do Estado

Para facilitar o aprofundamento dos assuntos ministrados em sala de aula, disponibilizamos esse material extra. Bons estudos. Prof Gesiel Oliveira.

1-Slide da aula - Clique AQUI

2-Apostila digital - Clique AQUI

3-Apostila digital 2 - Clique AQUI

4-Vídeo aula - Clique AQUI




sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Boato falso afirma que liminar de GO foi cassada, mas Pr JWCJr continua com seu registro de candidatura cassado. (Por Gesiel Oliveira)

Um boato se espalhou pelas redes sociais nesta quinta feira (16) informando que a tutela antecipada que determinou a nulidade do registro de candidatura do Pr José Wellington da Costa Júnior teria sido cassada. Mas a realidade é que o registro de candidatura continua nulo, conforme decisão do Juiz Levine Raja Gabaglia Artiaga em decisão datada do último dia 08, oriunda da Comarca de Corumbá de Goiás. Basta uma simples consulta ao processo nº 201700276250 no site do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás, acesse neste link: (http://www.tjgo.jus.br/index.php/consulta-processual), para constatar que os efeitos da tutela antecipada continuam em pleno vigor. Ou seja, caso mantida a decisão judicial, os votos direcionados ao candidato mencionado, que é filho do Pastor Presidente da CGADB (que está no poder há quase 3 décadas), serão considerados nulos. É importante frisar que em razão dos nomes dos candidatos já terem sido enviados à empresa Scytl do Brasil (empresa contratada para realizar o pleito eleitoral virtual), em data anterior à decisão judicial, a foto do candidato Pr JWCJr aparecerá  como opção de voto aos ministros-eleitores no dia 09 de abril. Mas como a situação está sub judice, os votos computados serão desconsiderados para efeitos legais e judiciais. Outras ações estão sendo propostas e outras estão em trâmite em diversos estados brasileiros, por pastores independentes, e muitos deles sem qualquer vinculação a nenhum grupo, demonstrando a insatisfação geral que tem tomado conta de milhares de pastores em todo país, insatisfeitos com os rumos que a CGADB tem tomado e com a iminência do pai, depois de quase 30 anos, agora passar o poder ao filho. A voz pela mudança tem tomado corpo e se materializado em diversas ações judiciais especialmente depois que 11 pedidos administrativos foram indeferidos de pronto pelo presidente da comissão eleitoral, revelando total parcialidade e comprometimento com a atual gestão. Vale destacar aqui que o presidente e vice presidente da comissão eleitoral também continuam afastados por força desta mesma ordem da Justiça de Goiás. Há informações robustas de que o Presidente da Comissão eleitoral protocolizou ofício nesta semana junto à CGADB comunicando seu afastamento da presidência desta comissão, antecipando com isso a execução da ordem judicial goiana. É importante destacar que o fato de um dos candidatos estar impedido de concorrer ao pleito eleitoral por decisão judicial, não inviabiliza o andamento das eleições, visto que a presidência poderá ainda ser disputada entre duas candidaturas que estão devidamente registradas e sem nenhum tipo de impedimento legal, encabeçadas pelo Pastor Samuel Câmara Presidente da Assembleia de Deus em Belém do Pará e o pelo Pastor Cícero Tardim, que é presidente da Assembleia de Deus Alto Piriqui no Estado do Paraná.

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

10479 - Por Gesiel Oliveira

Esse é o total exato de inscrições que devem ser desconsideradas, canceladas, em razão de se acharem eivadas de ilegalidades. Eles estão fraudando descaradamente todo um processo eleitoral. Hoje mais duas ações serão ingressadas em dois Estados brasileiros pedindo o cancelamento de 10.479 (acredite se puder!) "supostos pastores", que foram inscritos e que não atenderam aos requisitos pré-estabelecidos pelo edital de abertura do processo eleitoral. Na verdade nem mesmo sabemos se são pastores de verdade, visto que se tratam de milhares de e-mail falsos, telefones inexistentes, pagamentos de inscrições com cheques que não foram compensados até agora, inscritos à revelia e sem o conhecimento prévio, inscritos que não estavam na lista de aptos e até defuntos, enfim, uma infinidade de irregularidades, e mais do que isso, de ilegalidades praticadas por quem está desesperado em não perder o poder. Observe que de cerca de 31 mil inscritos, 10479 foram inscritos de forma irregular por esse grupo que prega os 'bons costumes', que prega que 'o filho é a melhor solução', grupo dos 'anciãos santos e legalistas' que se preocupam com a ponta do cabelo da irmã do Círculo de oração e a maquiagem da jovem do conjunto de mocidade, mas escondem debaixo de sujos tapetes todo o lixo moral que são capazes de fazer para se manterem no poder. Gente que prega que o pastor paraense vai 'mundanizar' a CGADB, mas inscreveu morto na lista de aptos pra votar no filho. Vejam só a cara da arbitrariedade, essa constante que carregou esse grupo por quase três décadas, conseguimos agora, depois de muito trabalho braçal, quantificá-la: 10479. Esse é a 'matemática torta da vitória' , é o número que poderia(rá) garantir mais vez a 'emprenhada vitória', mas dessa vez, toparam com um grupo de 'meninos', ou também chamado de 'os moleques do Pr Samuel', como eles pejorativamente apelidaram em outros grupos do WhatsApp por aí. Não tenho ideia de quem são, a única coisa que sei, é que são 4 jovens pastores e advogados que se uniram, e insatisfeitos partiram para o combate às irregularidades. Um grupo que não está deixando nada passar, que está espanando a sujeirada encoberta por décadas debaixo desses velhos tapetes da CGADB, porque esses 'meninos' estão ensinado na marra e pela força da justiça aos velhos coronéis eclesiásticos como se faz uma campanha limpa, e ao mesmo tempo, mostrando para os que já haviam perdido a esperança, que ainda há uma luz no fim do túnel. 

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Decisão judicial torna nulo o registro de candidatura do Pr José Wellington Junior e afasta o presidente e vice presidente da Comissão Eleitoral da CGADB.

Uma decisão da comarca de Corumbá de Goiás pode provocar uma reviravolta na disputa eleitoral para a CGADB no próximo dia 09 de abril em São Paulo. A decisão judicial foi exarada por ordem do Juiz Levine Raja Gabaglia Artiaga e foi expedida nesta quarta-feira (08) e tornou nulo o registro de candidatura do Pr José Wellington Bezerra da Costa Junior em virtude do mesmo não ter apresentado o documento hábil capaz de franquear seu registro de candidatura, bem como também afastou o presidente e o vice presidente da comissão eleitoral da CGADB, Antonio Carlos Lorenzetti de Melo, e o seu vice-presidente, Wilson Pinheiro Brandão, determinando que assumam nos seus lugares os respectivos suplentes já escolhidos desde o ano de 2016 para essa finalidade. Veja abaixo a cópia integral da decisão judicial. Agora vem a fase de citação da Comissão Eleitoral da CGADB e do Pr José Wellington Junior. 

A decisão tornou nula, com efeitos retroativos o registro de candidatura em razão da inobservância da regra contida no art. 55 do Regimento Interno e no art. 11, parágrafo único do Estatuto da entidade que determina que: “Fica impedido de ocupar cargo na CGADB, o membro que: (...) parágrafo único: “diretores da CPAD são impedidos de ocupar cargos na CGADB”. 

Também desobedeceram o item IV do edital de abertura do processo eleitoral que assim determina: 
“Nos termos do artigo 11 do Estatuto Social, não poderão se candidatar aos cargos eletivos nem serem indicados para os demais cargos não eletivos os membros que estiverem cumprindo medidas disciplinares impostas pela CGADB, os inadimplentes com a CGADB e CPAD, os ausentes injustificadamente da AGO e os diretores da CPAD”.

O impedimento legal visa garantir o equilíbrio na disputa eleitoral, visto que a CPAD é a maior publicadora de livros do Brasil, e a terceira maior da América Latina. É de se observar que a comissão eleitoral, presidida pelo Pr Carlos Lorenzeti, expediu notificação no dia 17 de outubro de 2016, informando o Pr José Wellignton Junior sobre sua impossibilidade em se candidatar visto a previsão do Art 11, parágrafo único (veja o documento abaixo). No dia 18 de outubro o próprio Pr José Wellington Junior respondeu á comissão encaminhando outro documento informando que estava se LICENCIANDO, e apresentou inclusive um documento com data retroativa. Lembrando que a Licença tem natureza jurídica totalmente diversa da DESINCOMPATIBILIZAÇÃO, que exige afastamento por completo. O autor da ação juntou aos autos provas graves, com base em periódicos que mostravam que o Pr José Wellington Junior na prática continuava como presidente da CPAD, inclusive aparecendo viajando todo o Brasil e inaugurando lojas, participando de eventos, e sendo apresentado na contra capa de todos os livros e revistas como Presidente da CPAD. Ele simplesmente ignorou o Estatuto Regimento Interno e o Edital de Abertura do Processo Eleitoral. A ação que corrigiu esse série de graves erros e ilegalidades estatutárias, teve como autor o Pr Efrain Soares de Moura do Estado de Goiás. O processo eleitoral deverá continuar, visto que ainda há duas chapas plenamente aptas para continuação do processo que escolherá em 09 de abril o próximo presidente da CGADB e toda a mesa diretora.









Notificação da comissão eleitoral alertando do vício de leglidade no registro de candidatura do Pr JWBJr e sua resposta informando de sua "LICENÇA" com data retroativa.










terça-feira, 31 de janeiro de 2017

O pequeno aventureiro serrano - Por Gesiel Oliveira

Eu e meu irmão Anderson Oliveira no Rio Pedra Preta
No ano de 1986 quando eu tinha apenas 8 anos de idade, pela primeira vez fui a um cinema em Serra do Navio. Era a estreia do filme ‘O Incrível Hulk’ nas telonas. Por uma semana fiquei assustado e tendo pesadelos com aquela criatura verde. Eu saia correndo da sessão das 14h e ia direto com meus amigos em busca de mais uma aventura naquela cidadezinha tão pacata. Era um menino gordinho sapeca que costumava descer a montanha entre uma densa vegetação de grande porte, em uma encosta de montanha, para ir tomar banho com meus amiguinhos lá no Rio Pedra Preta, pertinho dali. Não existia telefone celular, e nosso maior compromisso era estar em casa até às 18:00h. Claro que era a minha única regra inquebrável. Quando eu não estava escalando montanhas, estava na piscina pública da vila primária ou tomando banho no Rio Pedra Preta. Eu gostava de atravessar de canoa para o outro lado do rio onde tinha uma linda cachoeira. Minha mãe teria um treco se soubesse como eu gostava de atravessar aquele rio na canoa dos moradores daquela pacata vila ribeirinha, às vezes eu mesmo remava sozinho. E como bom explorador, sempre escalava aquela cachoeira do outro lado do rio até chegar lá em cima, onde tinha um olho d’água de onde descia aquela límpida água. Ali eu tinha uma visão panorâmica espetacular de todo o vale. Respirava aquele ar puro e me sentia como se estivesse no topo do Everest, mesmo tendo subido apenas uns poucos metros. Volta e meia, quando estávamos no meio do trajeto de ida ou de volta, nos encontrávamos com a patrulha da ICOMI, que impunha as regras na vila àquela época. Corríamos pra dentro do mato e permanecíamos imóveis até eles passassem. Haviam relatos de que haviam onças naquela região, mas isso nunca nos amedrontou, nunca conheci ninguém que tivesse sido atacado por uma delas, e isso acaba por ter o efeito contrário sobre mim, pois me instigava a ir mais longe. Eu era movido a adrenalina. Outro desafio era chegar próximo à área da mina, sempre muito bem vigiada. Se eu fosse pego pelos patrulheiros era capaz do meu pai ser expulso da vila. Meu pai nessa época trabalhava nos correios, e estava sempre muito ocupado. Mesmo porque eu fazia parte de uma família de seis irmãos e mais quatro adotivos. As regras da firma eram inflexíveis, e eu já tinha um histórico de peraltices. Não cheguei a ser um “pestinha”, na verdade era muito mais curioso. E era essa curiosidade que me fazia sentir um explorador. Queria saber para onde iam aqueles caminhões de pneus tão gigantes, o que eles carregavam, para que serviam, como trabalhavam, queria saber o que tinha além dos limites daquela pequena vila, se eram verdadeiras as “estórias” que a minha mãe me contava que haviam gigantes de um olho só que viviam além das montanhas, e que por isso, eu não deveria ir lá, eram tantas perguntas para as quais eu não tinha resposta. Eu acreditava tanto nessas “estórias” que tenho a lembrança de ter subido na árvore mais alta dessa vila só para tentar ver esses monstros gigantes. De longe vi algo muito grande, e logo meu irmão mais velho e parceiro dessas aventuras, me garantiu que eram eles. Estremeci! Também diziam que embaixo das casas da vila de Serra do Navio havia muito ouro. E dessa forma, certa vez meu pai teve de reformar o piso da área de serviço de trás de casa, de tanto que cavei fundo procurando ouro. As telhas das casas padronizadas ao estilo arquitetônico americano, eram bem grossas. Lembro-me de correr por cima do telhado da nossa casa. Minha mãe era uma guerreira. Ela tentava me pegar e eu corria pro outro lado da casa por cima do telhado. E quando não tinha jeito, e eu percebia que ela ia me alcançar, eu descia por um açaizeiro que ficava ao lado de casa. Era uma espécie de saída rápida para situações urgentes, tipo aquele tubo inoxidável por onde descem os bombeiros na hora que toca a sirene de emergência. Estive nesse mesmo lugar recentemente, e com muita nostalgia relembrei de tudo, vendo o que sobrou, e como muitos desses lugares estão caindo aos pedaços, maltratados e cobertos pelo mato. Meu coração apertou. Vi o pequeno Club do Manganês em frente a praça, com o telhado todo caído e destruído pelo tempo, onde acontecia a tradicional festa da mina e a festa das flores. Meus olhos marejaram de tantas lembranças. Rever alguns desses lugares, onde passei parte da minha infância, pra mim teve o mesmo efeito que entrar em uma máquina do tempo . Senti reavivar no meu coração a boa sensação nostálgica daquele meu mundo encantado. Só quem viveu naquele lugar sabe do que estou falando. Sabe que esse mundo não foi destruído totalmente pelo tempo, mas continua vivo, basta fechar os olhos e abrir a mente que ele reaparece.

Lei da semeadura e da colheita - Pr Gesiel Oliveira

Estava pensando sozinho aqui sobre a prisão do Eike Batista. A que ponto chegou o ex-bilionário, homem que chegou a ser considerado o sétimo homem mais rico do planeta. Sua fortuna, fama, dinheiro e poder não impediram a sua prisão, e seu envio a uma cela pequena, fétida e comum, por não ter nível superior. E de acordo com as regras internas do presídio, o interno deve primeiramente ter a sua cabeça raspada, para evitar proliferação de piolhos devido a superlotação do presídio. Veio-me logo à mente os princípios bíblicos ensinados pela vovó, e que continuam tendo valor e aplicação universais: “ensina a criança no caminho em que deve andar e mesmo quando envelhecer não se esquecerá dele” Pv 22.6. Se faltar princípios, vai faltar honestidade. Se faltar honestidade vai sobrar pecado, crime e corrupção. Tudo que vem rápido, rápido vai embora. Tudo que a ganância trás, a justiça cedo ou tarde, vai se encarregar de recuperar. Nada há melhor que encostar a cabeça no travesseiro e ter um sono tranquilo. A Bíblia nos fala sobre a lei da semeadura e da colheita, e ela rege tudo o que fazemos em nossa vida. O conceito bíblico de semear e colher se refere às consequências de nossos atos, pois “o que semear a perversidade colherá males” (Provérbios 22.8) e “o que semeia justiça recebe galardão seguro” (Provérbios 11.18). O que temos semeado? Essa é a pergunta que devemos nos fazer. Há muitos nesse momento apontando o dedo e rindo do ex-bilionário que empobreceu e foi preso, mas em escala menor estão fazendo o mesmo quando adulteram o imposto de renda, deixam de devolver o troco que foi dado errado, tentam tirar proveito nas mais insignificantes situações, trapaceiam, omitem, enganam, mentem e ao final de tudo acreditam que podem colocar a capa de “juízes” para apontar o erro no próximo, julgá-los e condená-los. Longe de mim estar fazendo apologia ou defesa de corrupto, ou corruptor, quero apenas com esses breves apontamentos, trazer à baila uma reflexão sobre o nosso proceder. O que muitos de nós faríamos se tivéssemos as mesmas oportunidades que o Eike teve?

Tive fome, e me deste de comer; tive sede, e me deste de beber - Pr Gesiel Oliveira

Hoje meus 3 filhinhos experimentaram pela primeira vez a boa sensação de ajudar uma pessoas desconhecida e desamparada. Estávamos em um restaurante hoje à noite, eu, minha esposa e meus três filhos. O mais velho de 13 anos, Gabriel, já havia comido alguma coisa antes de sairmos de casa e já estava sem apetite. O do meio, o Miguel, de 9 anos, estava, como sempre, com seu livro lendo, e a menor, a Larissa, de 6 anos, estava conversando e contanto tudo o que havia acontecido na sua escola hoje. Foi uma noite com uma temperatura amena, clima legal e agradável em família. Estávamos dando risadas, e eis que surge uma senhora, com visíveis problemas mentais, com fissura de lábio leporino, com roupas surradas, e se aproximou de nós, e ficou nos olhando. A primeira impressão que eu tive foi que ela iria pedir dinheiro ou vender alguma coisa. Mas ela nos olhou com um olhar diferente. Ela simplesmente nos pediu comida. Era um pedido irrecusável. Ela disse que estava com muita fome. E seus olhos deixavam evidente isso. Imediatamente minha filhinha Larissa a convidou para sentar conosco na nossa mesa, e em seguida lhe deu um copo de refrigerante. O Gabriel, logo lhe ofereceu todo o seu intacto prato de comida. Uma atmosfera de silêncio e empatia tomou conta de nós naquele momento. Meu filho Miguel perguntou a mim se eu tinha alguma quantia em dinheiro para dar a ela. E ele mesmo deu. De repente toda minha família estava comovida e olhando pra ela comer aquele prato com tanta vontade. Mandei pedir mais um prato completo e ofereci àquela sofrida e desamparada senhora. Ela se engasgava enquanto nos agradecia com a boca cheia de comida. Os olhinhos da minha filhinha marejaram em lágrimas diante daquela cena. Talvez fosse a única refeição que ela tivesse feito hoje. Meus filhinhos voltaram sorrindo ao carro de retorno para nossa casa, alegres e com os seus corações cheios do verdadeiro sentimento de fraternidade. Foi tão pouco o que fizemos por aquela mulher, mas como um beija-flor, que enche seu pequeno bico de água lá no rio e volta para jogar sobre um incêndio tentando ajudar, fizemos a nossa parte naquele momento, com o que estava ao nosso alcance. Sei que a vida ainda guarda muitas lições para os meus filhos, mas a lição hoje foi aprendida. E tenho certeza será guardada em seus pequenos corações para sempre, a ordenança de Jesus Cristo estampada em Mc 12.31 “Amar o próximo como a ti mesmo”; “Porque tive fome, e me deste de comer; tive sede, e me deste de beber” Mt 25:35.

domingo, 29 de janeiro de 2017

Ele não me abandona sozinho no caminho - Pr Gesiel Oliveira


Manhã silenciosa, fria e chuvosa. Acordo, mas não levanto, relembrando e refazendo as minhas pegadas para entender como cheguei até aqui. Aí entendo o quanto Deus me ama. Nos reveses da vida, chego a pensar em desistir, mas a força que vem dentro de mim se encontra com a esperança e a fé que vem de fora, que está depositada em um Deus vivo. As lembranças ruins me puxam para trás e tentam ofuscar o que está adiante. Eu não sei o que me aguarda lá adiante, mas não vou parar até descobrir. A incredulidade tenta sufocar a minha convicção. O choro quer encharcar o meu sorriso. Há uma luta travada dentro de mim, e certamente sobreviverá aquele sentimento que for mais alimentado. As nuvens escuras, os trovões e os ventos tentam me intimidar, mas de tanto pegar chuva, aprendi a não ter medo de tempestade. O tempo passa, ele não me espera. Não é esperando parado que o problema vai ser resolvido. Não há tempo para parar à beira do caminho para chorar e lamentar. Minhas pisadas são regadas pelas lagrimas, não compartilho minha dor, ninguém é capaz de me dar a mão. Mas as muitas lágrimas não secam a minha alma, pelo contrário, regam as sementes dos meus sonhos. E caminhando. cambaleante, muitas vezes até sem forças, com poeiras da jornada no rosto, misturada às lágrimas e soluços solitários, prossigo! Quem disse que é fácil? Quem disse que meu sorriso é motivado pelas conquistas? Meu sorriso é, e sempre foi, motivado pela esperança. Há momentos em que nossos projetos começam a desmoronar como castelo de areia. Nessas horas, quando tenho a sensação de estar sozinho, é que o Senhor Jesus Cristo está comigo, me ensinando com seu silêncio, me observando, ouvindo cada reação, cada súplica, vendo cada lágrima, cada passo, mas Ele não está indiferente ao meu pedido. Eu posso sentir sua presença ao meu lado, e é essa companhia que me basta. Eu sei que Ele vai agir no momento certo! Sei que tenho apenas que esperar, orando e crendo enquanto continuo na minha jornada.

sábado, 28 de janeiro de 2017

18º Louvor Solidário na Catedral da AD Zona Norte com Gabriela Rocha & Banda

Aconteceu na noite do dia 27.01 a 18ª edição do Louvor Solidário, que desta vez trouxe ao Estado do Amapá a Cantora Gabriela Rocha e sua banda. O evento aconteceu na Catedral da Assembleia de Deus Zona Norte de Macapá e movimentou a cidade. Os ingressos esgotaram antes do previsto. O trecho da Av. Sebastião Queiroz de Alcântara no bairro Jardim Felicidade I, onde fica a Catedral, teve o trânsito interditado. Mais de cinco mil pessoas estiveram no evento organizado pelo irmão Elielson Afonso que tradicionalmente coordena o Louvor Solidário, sempre com seriedade, compromisso e honestidade. Uma mega estrutura de palco, iluminação, telões de LED, bandas, barracas de vendas, etc foi montado para receber o evento. O anfitrião da festa, Pr Dimas Leite Rabelo esteve presente ao evento juntamente com sua esposa, Prª Clarice Rabelo. Os passaportes missionários vendidos a um ínfimo valor, e a venda de iguarias regionais, tinham como objetivo a construção da Catedral da Zona Norte. O público adorou a Deus, e foi impactado ao final do evento, quando um convite foi feito pelo Jovem pregador Marcelo Lima de Belém-PA, onde cerca de 20 pessoas aceitaram a Jesus como seu único e suficiente Salvador. Veja algumas fotos e vídeos do evento.



Mais de 5 mil pessoas compareceram ao evento

Gabriela Rocha cantando e ministrando

Pr Gesiel Oliveira e Pr Elienai Rabelo




sábado, 31 de dezembro de 2016

Várias impugnações apontam falhas graves na confiabilidade da listagem de 31 mil inscritos apresentada pela CGADB.

Aproximadamente 10 impugnações foram interpostas na Comissão Eleitoral da CGADB contestando a listagem de mais de 31 mil inscritos apresentada pela CGADB para votarem na 43ª AGO em São Paulo no dia 09 de abril de 2017. As impugnações foram interpostas na seguinte ordem: Um pastor do Espírito Santo, um de Roraima, três do Pará, quatro do Amazonas e um do Amapá. Até a manhã do dia 30, data limite para as impugnações, essas eram as impugnações que haviam sido recebidas pelo presidente da Comissão Eleitoral da CGADB. Tivemos acesso a algumas delas e verificamos que os pastores encontraram diversos erros crassos e suspeitas de fraudes graves nas inscrições. O que você verá a partir de agora é de domínio público, pois já está nas mãos Comissão Eleitoral e é resultado de uma auditoria independente, realizada por dois especialistas. Esse relatório apontando detalhadamente vários erros nas inscrições, também já está na posse da Comissão Eleitoral. Eles contestaram desde e-mails e telefones falsos até milhares de ministros que constam na lista de Ministros Inscritos para votar, porém, os mesmos não constam na lista de Ministros Aptos para Votar. Vejam alguns dos principais pontos graves que foram identificados e impugnados nas alegações desses 10 pastores. 

Existem 793 (Setecentos e noventa e três) ministros que informaram e-mails inválidos, ou seja, a digitação do e-mail não é válida. Lembrando que para um e-mail ser considerado válido, ele deve obedecer a seguinte formatação: usuario@nomedodominio, sendo que no nome do domínio, deve ter uma extensão como: [dominio.com], [dominio.com.br]. [dominio.net], [dominio.org], etc. Porém, e-mails como os registrados nas inscrições mostradas na imagem abaixo, não são domínios válidos, e dá um entendimento de que foram digitados sem a observância dos artigo 43 que exige que o e-mail deve ser válido. Segue imagem de uma amostra de Email’s inválidos, existem 793 (Setecentos e noventa e três).


Foi identificado também diversos registro de Inscrição com Email em branco, ou Email repetido. Conforme mostra a imagem abaixo, foram registrados 125 inscrições sem informar um e-mail, ou seja, o e-mail está em branco. Ainda existem 81 (Oitenta e Uma). Inscrições que foram realizadas com o e-mail: jrfcartorio+CGADB@gmail.com, 7 (sete) Inscrições que foram realizadas com o e-mail: assembleia.tuc@hotmail.com, e 3 (três) que foram geradas com o e-mail: jrfcartotio+CGADB@gmail.com.

As impugnações também denunciaram uma enorme quantidade de registros de Inscrições com e-mails informados suspeitos de serem criados em série, onde é verificado que o registro do ministro está contido no e-mail. Foram registrados 3.638 (três mil, seiscentos e trinta e oito) ministros onde é verificado que o Registro do Ministro está contido dentro do e-mail. Conforme mostra a imagem abaixo, sobre esses e-mail’s há fortes indícios e suspeitas de terem sido criados em série, e não são e-mail’s pessoais válidos, pois não é comum colocar o número do registro da instituição em que a pessoa é associado, neste caso, da CGADB, em um e-mail.



A exemplo, a convenção COMADEBG registrou 391 (Trezentos e Noventa e um) ministros utilizando e-mails que caracterizam cadastro em série, todos tem a mesma formatação, sendo a seguinte formatação: Ministro.[matricula]@Comadebg.com.br. Conforme mostrado na imagem abaixo:




Além disso, as impugnações identificaram suspeitas de fraudes no registro de Inscrição com telefones inválidos, ou seja, a digitação do número de telefone não é válida. Existem 901 (Novecentos e Um) ministros que informaram telefones inválidos, com dígitos faltantes ou não informaram o número de telefone, condição sem a qual não se pode votar, de acordo com o edital de abertura do processo eleitoral. Conforme mostra a imagem abaixo, são telefones que não foram informados, ou o número não é o número de um celular válido.



Ainda é possível verificar que em alguns casos, a digitação do número de telefone é inválida, e foram criados de forma sequencial, no caso da tabela abaixo, que mostra bem isso. Veja que os números: 12344993, 12344994, 12344995, 12344996, etc.. são números que foram criados em séries demostrando claramente fundadas suspeitas de fraude e inserção falsa de informações no sistema eleitoral. Verifica-se que há a quantidade de dígitos válidos, somente para burlar a identificação do sistema do registro, porém, não existem, e foram criados em séries. As operadoras foram consultadas por um dois auditores que apresentaram em seu relatório final que essas operadoras informaram que esses terminais telefônicos nunca sequer existiram. Cada um dos mais de 31 mil telefones informados foi verificado por esses auditores, que enviaram milhares de mensagens entre os dias 25 a 28 de dezembro. Se você recebeu uma mensagem denominada “CHECK”, eram eles trabalhando para averiguar a autenticidade de cada terminal telefônico e e-mail informado. Veja a tabela abaixo, com dados extraídos da listagem apresentada pela CGADB.


Resumo da ópera: No Total, foram inscritos 5.207 (Cinco Mil duzentos e sete) ministros onde: ou não foi informado o e-mail, ou o e-mail informado é inválido, ou o e-mail informado é considerado suspeitos de ter sido criados em série. E o mais grave, é que há indícios de que inscrições tenham sido realizados por uma mesma fonte, sendo informados e-mail’s ou telefones suspeitos, e se isso ocorrer, há riscos da senha ir para um só lugar e alguém votar por todos. Enfim, esse é apenas um resumo de uma enorme quantidade de denúncias formuladas por esses 10 pastores em suas respectivas impugnações, que já estão de posse da Comissão Eleitoral. Agora é aguardar a resposta (que eu já sei no que vai dar) e ver qual será o rumo a partir daí, especialmente por parte do grupo comandado pelo pastor paraense, principal afetado caso essas irregularidades não sejam sanadas. 



Gesiel Oliveira

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Suspeita de fraude no processo de inscrições da CGADB

Ao que tudo indica aquela trégua, que fez o grupo comandado pelo Pr Samuel Câmara retirar todos os processos contra a mesa diretora da CGADB, terá um rumo diferente. Entenda o caso: A mesa diretora da CGADB foi obrigada a procurar o grupo comandado pelo pastor de Belém do Pará em razão de um iminente bloqueio judicial nas contas da CGADB e do próprio Presidente da entidade, por descumprimento de determinação judicial emanada da justiça do Amazonas, que obrigou a mesa diretora da CGADB a apresentar os detalhes sobre os números de inscritos  e os respectivos pagamentos das inscrições e anuidades atrasadas de seus convencionais, atinentes às eleições gerais ocorridas em abril de 2013 em Brasília. 

Os valores já ultrapassavam os 10 milhões de reais em multas fixadas pela justiça por descumprimento da ordem de exibição de documento. Estranhamente a mesa diretora ignorou a ordem judicial e deixou a multa correr. Até que, dias antes da execução que bloquearia as suas contas, o grupo da mesa diretora da CGADB resolveu recuar e fazer um acordo. Diga-se de passagem, que esse acordo não foi visto com bons olhos por boa parte da base do grupo de apoio comandado pelo Pr Samuel, que dando um derradeiro voto de credibilidade, resolveu assim mesmo, fazer o acordo que retirava todos os processos em andamento contra a mesa diretora. 

Os termos do acordo falavam sobre eleições limpas, processo eleitoral eletrônico com acompanhamento e supervisão de empresa idônea para garantir a criptografia (mais segurança no voto virtual), acesso às informações de inscritos e quitações de débitos dos convencionais, para garantir mais lisura ao processo, dentre outros itens relevantes. Pois bem, tudo isso foi por água abaixo logo após a divulgação do total de inscritos. Se por um lado ficou mais difícil fraudar o processo eleitoral na fase final de votação, nada impede que manobras ocorram antes, no momento das inscrições. 

O tema é forte, mas os provas que o grupo do Pr Samuel já tem em mãos são suficientes para anular, de pronto, todo o processo de inscrições, por fundadas suspeitas de isenções de pagamentos de inscrições, inscrições de pastores sem seu consentimento, pagamento de débitos anteriores de convencionais, indeferimento do detalhamento de inscritos e pagamentos, etc tudo num doloso desígnio de insuflar o total de inscritos. E o que se viu na sequência foi um acordo que não está sendo cumprido, pelo menos por parte do grupo do Pr José Wellington. Nem bem a lista de inscritos saiu e o que se esperava aconteceu. 

Os pastores do grupo do Pr Samuel que acompanhavam o encerramento das inscrições no último dia 30 de novembro, alegam que faltando pouco mais de uma hora para o encerramento das inscrições, que iniciaram em 15/09 e encerraram no dia 30/11, ou seja em 77 dias de inscrições, o número parcial de inscritos chegava a cerca de 18 mil. Nesse ritmo projetaram que até o encerramento, tivéssemos cerca de 20 mil inscritos. É pura matemática! Para surpresa geral ( e não de minha parte) o total de inscritos foi de exatamente: 30.648. Ou seja, em menos de uma hora, houveram mais de 12,6 mil inscrições, conforme tabela abaixo. Outro fato que chamou a atenção foi o fato da CONFRADESP (Pastoreada pelo atual presidente da CGADB e sede da próxima convenção) ter inscrito 9.452 “convencionais”. Ou seja, entre as 54 convenções cadastradas e aptas para votarem, apenas a CONFRADESP inscreveu sozinha 30,84% do total geral de inscritos. Isso não seria problemas, se o espelho de detalhamento de inscritos não fosse negado pela comissão eleitoral. Esse fato acendeu a luz amarela, deixou clara forma nebulosa como vem sendo conduzido esse pleito que elegerá no dia 09 de abril de 2017  novo presidente da CGADB bem como toda a sua mesa diretora.

Basta uma análise superficial para compreender que não haveria tempo suficiente para os bancos compensarem tantas inscrições em lapso tão exíguo, além de que nenhum site suportaria tantas inscrições ao mesmo tempo, isso congestionaria qualquer plataforma virtual e derrubaria qualquer site. Sem falar que, feito o pedido formal para apresentação do detalhamento de inscrições e o consolidado de inscrições, foi de pronto negado o pedido pela comissão eleitoral da CGADB. Há ainda uma outra suspeita de que a comissão eleitoral teria recomendado por ofício encaminhado ao candidato da mesa diretora da CGADB, que sua candidatura teria sido indeferida por decisão colegiada desta comissão, pois ele é membro da mesa diretora da CPAD, condição vedada pelo Estatuto da entidade para quem almeja concorrer ao cargo de presidente da CGADB. Mas sobre isso, tratarei detalhadamente no meu próximo artigo.

Gesiel Oliveira

Tabela com o total parcial de inscritos apresentada pela CGADB. Ainda há possibilidade desse
número ser ainda maior, pois vários outras inscrições ainda estão sendo analisadas.



terça-feira, 20 de dezembro de 2016

A parada da coxinha

Certa vez eu estava retornando do fórum (onde trabalho como Oficial de Justiça) para o almoço. Na época existia uma lanchonete que fazia uma das melhores coxinhas e caldo de cana de Macapá. Eu sempre costumava parar ali. Já conhecia os donos, e até conhecia também os dois filhinhos daquele casal, uma menina de 6 anos e outro menino de 9. Quem sempre me atendia com um sorriso no rosto era a senhora. Pessoa simpática, trabalhadora e dedicada a sua pequena lanchonete e aos seus filhos. O marido dela eu nunca via, pois sempre estava trabalhando fora. Pois bem, naquele dia, uma sexta feira no final do mês de agosto de 2010, eu estava retornando do trabalho e resolvi parar ali. Além de mim, só mais um casal de clientes estava ali. Foi então que eu ouvi choros de crianças, e um barulho repetitivo atrás da divisória que separava a cozinha da lanchonete, do salão onde eram servidos os clientes. Fiquei curioso com aquele barulho: “Tum, Tum, Tum, Tum…”. Resolvi olhar por cima da baixa divisória. Foi então que presenciei o marido agredindo a mulher (dona da lanchonete), que segurava a cabeça dela agarrando-a pelos cabelo e batendo contra a parede repetidas vezes. Sentei assustado e pensei: “sexta-feira, vou pegar a estrada rumo a um Balneário com a minha família daqui a pouco. Se eu prender esse cara, vou ter de acompanhá-lo até a delegacia, vou perder uma tarde inteira, talvez até entre pela noite”. Pensei, pensei, e resolvi, me levantei, saí da lanchonete, fui até o meu carro. Peguei o meu celular que estava dentro e liguei para o delegado plantonista do CIOSP. Expliquei tudo que estava acontecendo. Ele enviou dois agentes de polícia civil rapidamente até o local, onde a agressão estava acontecendo. Chegando ao local, eu os conduzi até o casal.. Um dos policiais chamou o marido agressor daquela senhora. O casal veio, ela estava com um olho roxo, cabelos arrepiados e fala ofegante. Eu disse ao policial: “prenda esse senhor, pois eu testemunhei a agressão dele contra essa senhora”. A mulher agredida imediatamente gritou: “mentiroso, nós estávamos apenas conversando, só que de forma acalorada”. Eu perguntei, e esse olho roxo aí? Ela respondeu: “ontem eu escorreguei aqui dentro da lanchonete e acabei caindo e batendo meu rosto”. Naquela altura eu já estava muito chateado com aquela situação, e resolvi mandar os dois para a delegacia. Perdi uma tarde inteira, deixe de ir com a minha família para um lindo balneário que nós havíamos acertado, servi como testemunha, fui o último a ser ouvido. Saí da delegacia perto da noite, cansado e com fome. E pra completar o cara me ameaçou dizendo que iria me pegar por aí. E no retorno, passei novamente em frente àquela lanchonete e pra minha surpresa, aquele casal estava aos beijos e abraços lá na frente, e eu passei direto no meu carro, com os vidros escuros e fechados, me escondendo, e com aquela vontade de parar ali e comer aquela coxinha deliciosa. Nunca mais pude parar ali.

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Você acredita que uma palavra pode mudar o rumo de uma vida? (Por Pr Gesiel Oliveira)

Nesse nosso mundo cada vez mais materialista, egocêntrico, indiferente e apático, não há como deixar de perceber seus frutos. Pessoas esvaziadas de empatia e cada vez mais carregadas de empáfia e frieza. É possível caminhar entre tantos, interagir como centenas de pessoas ao longo do dia e mesmo assim se sentir sozinho, desiludido e sem atenção. Muitas pessoas vivem mergulhadas em seu mundo virtual, desconectadas da realidade e perdendo cada vez mais os laços de amizade e convivência. Muitas pessoas quando se defrontam com essa realidade, sem aparente solução, entram depressão muitas têm pensamentos suicidas. E quando enfrentamos esse vácuo de atenção, esse déficit de afeto, é que devemos buscar a Deus. Não importa o simples existir, muitos se recusam a viver. Não conseguem ouvir com o coração e agir com a razão. Há uma mistura que lentamente os distancia do sentido e do amor à vida. A grande verdade é que queremos sempre acreditar que tudo na vida tem de dar certo, que sempre devemos ser e estar felizes e que um sinal evidente de felicidade é o sucesso financeiro e nos relacionamentos. Isso não é verdade! Nossa vida é um misto de altos e baixos, em muitos casos, mais baixos, que altos. Um contrabalanceamento de alegrias e tristezas constantes e ininterruptas. E a visão distorcida a respeito disso empobrece e frustra muitas pessoas. Empobrece, porque a fuga aos desafios e medos é a resposta mais cômoda e rápida para essas pessoas. Tenho sempre dito às pessoas: “Se não puderes incentivar alguém, pelo menos não retire a esperança a quem pouco restou”. Como é importante uma palavra de apoio, motivação e alegria! Você acredita que uma palavra assim pode mudar o rumo de uma vida? Quero compartilhar com vocês hoje um caso que aconteceu comigo há cerca de 8 anos. Era uma sexta feira, e me lembro que certa vez eu estava apresentando um programa evangélico em uma rádio em Macapá. Já íamos dar início ao momento da palavra, quando recebi um telefonema. Era uma voz trêmula, abatida, triste, parecia a voz de um jovem. Eu prontamente disse: “bom dia, você quer oferecer o hino do roteiro para alguém?”. Ele me respondeu com a ar perceptivelmente amargurado: “não. Quero apenas dizer que estou em cima de um banco e com uma corda no meu pescoço. Essa é a minha última ligação, pois vou tirar minha vida agora”. E desligou. Eu tomei um susto. Imediatamente, disse a ele: “Não faças isso. Jesus manda te dizer que Ele te ama. Eu não sei quais vozes tem ecoado no teu ouvido, nem sei as motivações que tem te levado a essa situação. Mas sei que o meu redentor vive, e que por fim, se levantará em teu favor, em amor à tua vida. Ele quer mudar a rumo do teu viver e te mostrar que uma vida em Cristo tem sentido”. Em seguida ele desligou. Eu fiquei preocupado. Pedi a todos os ouvintes que se unissem em oração em favor daquele jovem. No outro dia, fui procurar nos noticiários e jornais e não encontrei nada. Sabemos que em uma cidade grande, boa parte dos incidentes e crimes sequer são relatados nos jornais. Continuei orando em favor daquele jovem desconhecido. Depois de 3 anos, eu estava na apresentação do mesmo programa, e recebi uma ligação. Era um voz de alegria, de disposição, de alguém de bem com vida. Eu perguntei: “você quer oferecer a música do roteiro para alguém?", ao que o jovem respondeu: "não, quero apenas lhe agradecer por acreditar e ter orado por mim há 3 anos atrás. Sou aquele jovem que ligou se despedindo da vida". Ele me disse que naquele dia ele estava decido a tirar a sua própria vida, me disse que ele morava em uma casa em uma área de ponte no bairro do Muca, disse ainda que ele estava recém casado e sua esposa o havia deixado por outro homem e fugiu com ele para o Estado do Pará, e que no momento daquela ligação telefônica tudo já estava preparado, a corda bem amarrada no flechal superior da casa, o banquinho, o nó dado na corda, o bilhete suicida em cima da mesa, foi então que ele ouviu a minha voz que falava do amor de Jesus pelo rádio da vizinha ao lado, ele parou, escutou, começou a se emocionar e com o resto de bateria e créditos que haviam no seu celular, ele resolveu ligar para aquele número de telefone celular que eu disponibilizei ao vivo. Ele me disse que quando ele desligou o telefone, algo o tocou, e como um ímpeto ele despertou daquele estágio mórbido suicida. Jogou pra longe a corda que estava em sua mãos, chutou pra longe o banquinho, abriu a porta de sua casa e correu para a igreja mais perto de sua casa que estava aberta, e na porta, em pé, estava um pastor, que o abraçou em prantos, ele aceitou Jesus e a sua vida mudou a partir daquele momento. E enquanto eu me desmanchada em lágrimas nos estúdios da rádio, ele concluiu dizendo ao vivo: "hoje sou porteiro da igreja que congrego, pastor Gesiel, eu recebo as pessoas sorrindo e com alegria no meu coração, todos me conhecem pela minha felicidade. Pastor, Deus me deu uma nova vida, um lar feliz, uma outra esposa, que me ama, e ela está grávida de 5 meses, Pastor, eu vou ser papai!". Nunca esquecerei aquele testemunho. Por isso fica a lição, nunca despeça alguém com uma palavra ruim e desmotivadora, talvez a única coisa que aquela pessoa esteja precisando é de uma palavra de fé e esperança.

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Você acredita que uma palavra pode mudar o rumo de uma vida? (Por PrGesiel Oliveira)

Nesse nosso mundo cada vez mais materialista, egocêntrico, indiferente e apático, não há como deixar de perceber seus frutos em nosso redor. Pessoas esvaziadas de empatia e cada vez mais carregadas de empáfia e frieza. É possível caminhar entre tantos, interagir como centenas de pessoas ao longo do dia e mesmo assim se sentir sozinho, desiludido e sem atenção. Muitas pessoas vivem mergulhadas em seu mundo virtual, desconectadas da realidade e perdendo cada vez mais os laços de amizade e convivência. Muitas pessoas quando se defrontam com essa realidade dura e insólita, sem aparente solução, entram em depressão e muitas têm pensamentos suicidas. E quando enfrentamos esse vácuo de atenção, esse déficit de afeto, e olhamos para os lados e não vemos mais ninguém para nos ajudar, é que devemos levantar a cabeça e olhar para o alto. É aí que devemos buscar a Deus. Não importa o simples existir, muitos se recusam a viver. Não conseguem ouvir com o coração e agir com a razão. Há uma mistura que lentamente os distancia do sentido e do amor à vida. A grande verdade é que queremos sempre acreditar que tudo na vida tem de dar certo, que sempre devemos ser e estar felizes, e que um sinal evidente de felicidade é o sucesso financeiro e nos relacionamentos. Isso não é verdade! Nossa vida é um misto de altos e baixos, em muitos casos, mais baixos, que altos. Um contrabalanceamento de alegrias e tristezas constantes e ininterruptas. Jesus mesmo nos falou: “neste mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo”. E a visão distorcida a respeito disso empobrece e frustra muitas pessoas. Empobrece, porque a fuga aos desafios e medos é a resposta mais cômoda e rápida para essas pessoas. Tenho sempre dito às pessoas: “Se não puderes incentivar alguém, pelo menos não retire a esperança do pouco que restou”. Como é importante uma palavra de apoio, motivação e alegria! Você acredita que uma palavra assim pode mudar o rumo de uma vida? Quero relatar hoje a vocês um caso que aconteceu comigo há cerca de 8 anos. Era uma manhã de sexta feira, e me lembro que eu estava apresentando um programa evangélico em uma rádio gospel em Macapá. Já íamos dar início ao momento da palavra, quando recebi um telefonema e coloquei nossa conversa ao vivo. Do outro lado da linha escutei uma voz trêmula, abatida, triste, parecia a voz de um jovem. Eu prontamente disse: “bom dia, você quer oferecer o hino do roteiro para alguém?”. Ele respondeu com um ar perceptivelmente amargurado: “Não pastor, quero apenas dizer que estou trancado em minha própria casa, em cima de um banco e com uma corda no meu pescoço. Essas são as minhas últimas palavras, pois vou tirar minha vida agora”. E em seguida desligou. Eu tomei um susto. Imediatamente, disse a ele: “Não faças isso. Jesus manda te dizer que Ele te ama. Eu não sei quais vozes tem ecoado no teu ouvido, nem sei as motivações que tem te levado a essa situação. Mas sei que o meu redentor vive, e que por fim, se levantará em teu favor, em amor à tua vida. Ele quer mudar a rumo do teu viver e te mostrar que uma vida nova em Cristo tem sentido”. Em seguida ele desligou. Eu fiquei preocupado. Pedi a todos os ouvintes que se unissem em oração em favor daquele jovem. No outro dia no café da manhã, fui procurar nos noticiários, jornais e na internet, mas não encontrei nada sobre um possível suicídio. Sabemos que em uma cidade grande, boa parte dos incidentes e crimes sequer são relatados nos jornais. Mesmo assim, continuei orando em favor daquele jovem desconhecido. Passaram os dias meses, e anos. Depois de três anos e meio, eu estava novamente na apresentação do mesmo programa, e recebi uma ligação. Eu atendi ao vivo e perguntei: “bom dia, você quer oferecer o hino do roteiro para alguém?”, só que dessa vez, era uma voz de alegria, de disposição, de alguém de bem com vida. Ele disse: “é o Pr Gesiel Oliveira que está falando?” ao que eu respondi: “Sim!”. Ele começou a falar com uma voz embargada, mas desta vez de emoção, de alegria, como alguém que recebe uma surpresa emocionante. Ele disse: “Pastor, eu sou aquele jovem que há três anos e meio liguei para esse programa anunciando que iria me suicidar. Eu escutava vozes que mandavam eu tirar minha própria vida. Moro em uma área de ponte aqui no bairro do Muca, e depois de uma decepção amorosa com minha ex-esposa, que me deixou e foi embora com outro homem, fiquei sozinho e entrei em depressão. Resolvi então que tirar a minha vida seria a melhor saída. Mas quando eu preparei tudo, quando eu já estava em cima do banco e com a corda no meu pescoço, eu escutei a sua voz pelo rádio da minha vizinha que estava ligado no seu programa, quando escutei você dizendo: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu único filho para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha vida eterna (...)Mas os que esperam no Senhor, renovarão as suas forças, subirão com asas como águia, correrão e não se cansarão, caminharão e não se fatigarão (...) Aquele que leva a preciosa semente orando e chorando, voltará trazendo consigo os seus molhos de alegria (...) Pastor nessa hora, as lágrimas começaram a escorrer pelo meu rosto, e aí eu peguei meu celular, que estava apenas com um pouquinho de bateria e de créditos, e liguei para o seu telefone que você colocou no ar. Anunciei ao vivo meu suicídio, cheguei a escrever uma carta de despedida que iria deixar aos meus familiares. Mas quando desliguei o telefone, uma força preencheu a minha vida, algo diferente que eu nunca havia sentido. Eu continuei lhe escutando, ouvi tudo o que você disse pra mim. Hoje sei que foi Jesus que falou comigo ali. Ele existe sim e se importa comigo, Ele me ama! Tirei a corda do pescoço, empurrei o banquinho pra longe, abri a porta da minha casa e saí correndo em busca da primeira igreja que encontrei a alguns quarteirões dali. E ali encontrei um pastor que estava lá, ele orou por mim. Eu me levantei revigorado para uma nova vida. Pastor, quero lhe dizer que hoje sou o porteiro da minha igreja, e recebo as pessoas com o sorriso no rosto, de alguém que experimentou a mudança que só Jesus pode proporcionar. Nessa igreja conheci uma linda e abençoada moça, que hoje é minha esposa. Jesus me deu um emprego. Tenho carteira assinada. E mais ainda pastor: minha esposa está grávida de 5 meses, e eu vou ser pai”. Nessa altura, eu já estava no estúdio em lágrimas, me alegrando ao ver como só Jesus pode mudar a vida daquele que acredita que já chegou no fundo do poço. Por isso não deixe de falar e pregar o evangelho salvífico de Jesus. Lembre-se sempre: Uma palavra pode mudar o rumo de uma vida! Louvado seja Deus!

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

O mensageiro da paz e suas dolosas omissões e distorções fáticas – Por Pr Gesiel Oliveira.

Um fato me chamou a atenção nesta última edição (de número 1575) do Jornal Mensageiro da Paz, veículo oficial da CPAD/CGADB para levar informes gerais aos convencionais. A edição trouxe como matéria de capa: “Reconciliações marcam reunião da liderança nacional da AD no RJ”. Quando li, confesso que fiquei animado, acreditando que, enfim, seria o momento de se escrever uma matéria mais imparcial, revelando os erros e acertos de ambos os lados e pondo uma “pá de cal” nesse assunto ao enfatizar a forma como se deu essa “reconciliação”. Ledo engano, no primeiro parágrafo já ficava claro o desígnio de enodoar a imagem do Pr Samuel Câmara e de seu grupo, quando o referido jornal afirma que “os Samuel Câmara, líder da Assembleia de Deus em Belém do Pará; Jônatas Câmara, líder da Convenção da AD no Amazonas (Ceadam); e Ivan Pereira Bastos, líder da Convenção Fraternal das ADs no Espírito Santo (Confrateres), que mantinham processos contra a CGADB e o seu presidente, pastor José Wellington, procuraram a Mesa Diretora e se apresentaram no encontro da liderança nacional da AD reunida no Rio de Janeiro para pedirem perdão pessoalmente por atos e medidas tomadas contra a instituição e o seu presidente, e proporem um acordo: os três ministros renunciariam a todas as ações que mantinham até então contra a CGADB e o seu presidente, enquanto estes, por sua vez, renunciariam a todos os recursos contra as ações na justiça dos mesmos e tornariam sem efeito o desligamento do pastor Samuel Câmara da Convenção Geral”(grifo nosso). A grande realidade é que muitas informações foram dolosamente omitidas nesse jornal, no evidente escopo de inverter os fatos. Senão vejamos: 1) todos os processos a que se referem o jornal, são na verdade ações judiciais que visam corrigir atos excessivos, sem lastro regimental, estatuário e inconstitucionais da mesa diretora na pessoa de seu presidente. 2) uma das ações judiciais que tramita na comarca de Manaus-AM, foi desobedecida pelo atual presidente, que descumpriu uma ordem liminar para exibição da conciliação bancária alusiva à Convenção de Brasília, em abril de 2013, pois eram evidentes as provas juntadas aos autos, que comprovavam que votaram na eleições mais convencionais que os que estavam inscritos. 3) Por causa dessa negativa da CGADB por seu presidente, a justiça amazonense aplicou multa de R$ 5mil por dia de desobediência. 4) Essa multa rapidamente ultrapassou a cifra de R$ 10 milhões, obrigando a justiça a um iminente bloqueio das contas da instituição e de seus dirigentes. 5) mesmo assim o seu presidente se negou (e se nega até hoje) a apresentar a conciliação bancária. 6) Em vistas de evitar um grave problema nas contas pessoais e da instituição, o grupo da atual gestão da Convenção Geral procurou o grupo do Pr Samuel Câmara para propor um acordo de paz, que não tem sido visto com bons olhos pelo grupo que apóia o Pastor Câmara. Essa é apenas uma pequena parte da realidade que deve ser conhecida de todos os convencionais. Infelizmente o veículo oficial de comunicação não vem mostrando cabalmente o que de fato está acontecendo nos bastidores. A malfadada matéria faz ainda um desfecho, colocando em xeque a idoneidade do grupo liderado pelo pastor paraense, ao afirmar que “até o fechamento desta edição do MP, o que foi estabelecido pelo termo de acordo não havia ainda sido efetivado na justiça”. De qualquer forma, a intenção dos fatos já apontam para algo realmente salutar para ambas as partes, faltando, ao meu ver, somente mais lisura e clareza na divulgação da integralidade dos fatos. Vamos continuar acompanhando e repassando a informação na íntegra a todos os nossos leitores. Continuaremos de olho nos próximos capítulos. (Pr Gesiel Oliveira – Vice presidente da Assembleia de Deus Zona Norte de Macapá).

sábado, 6 de agosto de 2016

A geração zumbi Pokemón GO - Por Gesiel Oliveira


Conheço um jovem amigo que está desempregado e que rapidinho se viciou no Pokemon GO. Agora ele não sai mais atrás de emprego, passa o dia todo procurando Pokemon. Pense numa evolução! Jovem, cuidado com os laços e armadilhas viciantes desse mundo virtual. Cuidado pra não inveter a ordem de prioridades na sua vida. Paulo nos alerta em 1Co 6.12 "Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas me convém. Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas". É apenas um alerta sobre essa nova onda viciante que está chegando e criando um geração de "zumbis virtuais". O Google tá aí pra vc pesquisar e conhecer um pouco do que esse aplicativo está fazendo mundo afora. Há grupos especializados que enganam os jogadores indicando lugares onde há possíveis Pokemons e na verdade são armadilhas para roubarem celulares. Um casal perdeu a guarda do seu filhinho de 2 anos nos EUA pq abandonaram a criança pra caçar Pokemon. Um casal foi preso por invasão a domicílio ao invadirem um terreno particular nos EUA. Pessoas estão sendo atropeladas por jogadores viciados que jogam enquanto dirigem. Muitos jovens estão quebrando suas pernas e membros, aos caírem em bueiros e buracos mundo afora. Uma segurado em Israel já colocou a disposição apólices de seguro de morte para jogadores do Pokemón GO, vários DETRANS vem alertando motoristas para terem cuidado com esses "jogadores zumbis" que perambulam pela praças e logradouros mundo afora, cegos para o mundo real, expostos aos mais diversos riscos das cidades violentas. Vários jovens já perderam a vida em diversos lugares do mundo por causa desse aplicativo que substitui o mundo real pelo virtual (tecnologia da realidade aumentada) e acabaram sendo atropelados por carros em alta velocidade. Dentre tantos outros horríveis relatos. Gente isso é uma gigantesca perda de tempo, oportunidades e esvaziamento cultural, além de fazerem os jovens se exporem ainda mais aos riscos, violência e terror das ruas. Não venha me dizer que isso é bom porque estamos na 40° cidade mais violenta do mundo. E um jogo que expõem nossos jovens as violência das ruas, e os conduzem aos mais ermos e sombrios lugares, não é algo bom. Isso é apenas um alerta, segue a orientação quem quer, pois cada um é dotado livre arbítrio, mas só os sábios são dotados de prudência. (Pr Gesiel Oliveira)

domingo, 31 de julho de 2016

Memórias do meu mundo de criança (Por Pr Gesiel Oliveira)

1986:Meus irmãos nos 2 velocipes,e os que estão em pé detrás.Meu pai de camisa amarela,meu irmão de camisa preta, e eu atrás

Quando eu era criança uma das coisas que eu mais gostava de fazer era brincar em uma bicicleta velha com meu irmão. A bicicleta era tão velha que nem sequer tinha pneus, só o aro, mas mesmo assim descíamos e subíamos incontáveis vezes aquela ladeira em frente de casa. Tudo era sorriso. Em casa faltava quase tudo menos esperança, fé, união e amor. Eu era uma criança de 8 anos, e nem percebia os apertos financeiros que meu saudoso e falecido pai passava à época para cuidar, com seu único emprego, de 6 filhos e esposa. Eu adorava subir na árvore em frente a minha casa, e subia até o último galho, onde eu pudesse colocar a minha cabeça acima das folhas daquela árvore e olhar o céu estrelado, sentir o vento frio no meu rostinho, ver as luzes da noite e ficar imaginando, sonhando em voar naquela imensidão de céu. Eu fechava meus olhos e sonhava em ter uma bicicleta nova, uma lancheira pra levar à escola, um sapato só pra mim que eu não precisasse dividir com meu irmão, sonhava em chupar uma lata de leite moça sozinho e ter um bom carrinho de rolimã só meu. Lá de cima daquela árvore eu ficava observando os aviões que partiam do aeroporto próximo a minha casa. Eu mesmo construí uma casinha de madeira no alto daquela árvore, e ficava observando os aviões até eles desaparecerem da minha visão, ah como eu queria ser piloto. Eu só descia daquela árvore quando a minha mãe me chamava para o jantar e para dividir a pouca farofa de ovo com todos os meus irmãos. Eram tempos de "overniht" e de inflação galopante, mas eu nem sabia o nome do presidente do Brasil, muito menos entendia de crise financeira ou compreendia seus efeitos. Eu era movido pela esperança da inocência dos mais puros instintos de uma criança sonhadora. Na verdade eu não conseguia ver nada além da vida de uma criança muito feliz e bem amada. Um menino, de olhos brilhantes, gordinho, sorridente, sapeca e feliz, que viveu uma infância num lugar pobre, mas que pra mim era um pedaço do céu. Tem horas que eu me ponho a relembrar de tudo aquilo, e custo a acreditar que muitos personagens dessa minha historinha feliz já nem mais estão entre nós. Mas às vezes tenho a impressão que essa realidade ainda existe em um universo paralelo que está ao alcance de um piscar de olhos, que está ao alcance de uma memória viva e colorida que persiste em sobreviver em minha mente. A vida segue, mas as memórias boas permanecem.

segunda-feira, 20 de junho de 2016

Uma viagem dentro de mim (Por Pr Gesiel Oliveira)


Hoje cheguei em casa depois do trabalho, tomei um banho relaxante, e sozinho no silêncio da minha casa, procurei um bom som gospel pra ouvir no YouTube e me deparei com alguns hinos antigos do grupo Voz da Verdade. Confesso que as lágrimas vieram aos meus olhos imediatamente. Incrível a capacidade que tem a música de nos trazer a nostalgia. Ouvindo aqueles hinos tão inspirados e lindos, meus olhos marejaram, e com minhas pálpebras umedecidas, lembrei dos tempos em que eu cantava no conjunto jovem lá na igreja Assembleia de Deus no bairro do São Lázaro. Lembrei também quando meu pai Pr Nery Ferreira (de saudosa memória) era pastor e dirigia a congregação El Shaday no bairro do Pacoval. Lembrei de amigos e parentes que já partiram para a Glória. Das brincadeiras e e da diversão que passamos juntos. Aquelas imagens vivas e vívidas em suas cores, passam em minha mente como um filme. A saudade só aperta quando percebemos que o que era rotina virou lembrança. Dei uma viagem ao fechar de meus olhos, e fui longe em minhas mais longínquas memórias e aterrissei novamente no presente, olhei em minha volta, me recompus, e louvei a Deus. Agradeci a Deus pela dádiva da vida. Faça isso sempre, agradeça a Deus por cada momento, pelo fôlego de vida, pela sua família, pelo seu lar, pelo sorriso que você é capaz de dar, mesmo em meio às maiores dificuldades e tribulações. Haverão momentos da vida em que as flores deixarão de exalar seu perfume, que o azul do céu dará lugar a um acinzentado melancólico e os pássaros deixarão de cantar na trilha da sua jornada. É nessas horas que você deve entender que as agruras dessa vida não podem tirar o sorriso do seu rosto. Prossiga chorando e andando! O que vale na vida não é o ponto de partida, e sim a caminhada e o objetivo, e assim, caminhando e semeando, no final teremos o que colher, e o que não pudermos colher, deixaremos para serem colhidos pelos que também trilharem essa jornada iniciada por nós, nesse intervalo entre duas grandes eternidades que chamamos de vida. Dê um novo sentido a sua vida! Que essa nova dinâmica sempre permita momentos de descontração, mesmo que seja um sorriso rápido abraçado ao seu filhinho(a) naquele intervalo do seu trabalho, mas que seja verdadeiro, intenso e lhe traga paz. Que seja gerador de motivação e de semeadura de sonhos, mas nunca um sorriso desmotivador. Transformar tormenta em bonança, dor em lembrança, lágrima em sorriso, derrota em vitória, só é possível a quem prossegue tendo Jesus como seu alvo. A cada dia de nossas vidas, vamos permitir que nossos corações sejam inundados pelo amor, compaixão, paz, carinho e esperança. Siga-nos no Twitter: @PrGesiel_ .

sábado, 21 de maio de 2016

Casais perfeitos (Por Pr Gesiel Oliveira)


Casais perfeitos são aqueles que não brigam, que não discutem, são aqueles que sempre aparentam estar bem, são aqueles que não tem ciúmes um do outro, que não se importam com o horário de saída e chegada de cada um, que tem um relacionamento aberto, que leva café na cama só pra tirar uma foto e postar no Facebook, casais perfeitos são aqueles dos filmes, do amor perfeito. Casal perfeito é formado por um homem perfeito e uma mulher perfeita. E você sabe onde isso existe? Só no imaginário de quem não conhece como funciona a vida. Não existe perfeição, o que existe é uma constante busca pelo aperfeiçoamento, pela compreensão das limitações do seu cônjuge. O que existe mesmo, são pessoas imperfeitas buscando melhorar, aparando as arestas. O que existem são homens que mesmo que não levem café na cama pra suas mulheres, são capazes de fazê-las felizes de diversas outras formas. Homens que mesmo que não tenha o romantismo bem pintado dos filmes de Hollywood, nem a beleza de seus galãs, mas são homens capazes de dizer "te amo" de uma maneira tão especial que fazem o dia chuvoso delas se transformar em ensolarado. Casais imperfeitos são aqueles que além de namorados, são amigos, pois brincam, sorriem, choram, brigam, acertam e erram, mas acima de tudo, superam juntos, porque se amam de um jeito que nenhuma pessoa do mundo consegue duvidar. Amor não é ausência de discussões ou ciúmes, mas presença de perdão, compreensão e ajuda mútua nos melhores e piores momentos da vida. Amor é ter uma mão para segurar seja no deserto árido das dificuldades, seja nos pastos verdejantes da fartura. Amor é ter um colo para chorar, é ter um ombro para apoiar nos dissabores da vida, é ter um abraço firme para nos proteger nas tempestades da nossa jornada. O amor não se resume só a beijos, carinhos, aparências e presentes. Amor é cuidado, amor é compreensão, amor também é amizade. Em uma relação que pretende perdurar, não se deve buscar ou alcançar quem tem a absoluta razão, não se trata de encontrar quem está certo e errado, e sim de encontrar a solução para aquele problema específico. E para resolvê-lo, a solução é não ficar revirando a origem do problema. Problema se resolve daqui pra frente, sem olhar pra trás. O casal só vence junto quando ambos tem a consciência de ceder juntos quando se deve e de avançar juntos quando se pode. Pior coisa na vida do casal é ficar nesse jogo intransigente de "não dar o braço a torcer", porque nesse jogo ninguém ganha, pelo contrário, ambos perdem. Não deseje para o seu relacionamento a irreal felicidade e perfeição dos "contos de fadas" visto em filmes ou nas fotos lindas e bem filtradas do Facebook, porque na vida a dois não existem fórmulas matemáticas exatas para dar certo, o que existe são dois seres imperfeitos, tentando melhorar a cada dia. Mas isso exige dedicação, paciência e amor. Feliz é aquele que compreende que a essência da felicidade não está no quanto você tem no bolso, e sim do quanto você tem no coração. Esqueça esse mundo ideal, perfeito e ilusório, aqui na vida real o que existe é um jogo de arranjos e reajustes constantes, de acertos e erros, que servem para transformar imperfeições em melhoramentos contínuos, e para aparar as arestas da intransigência e semear a fidelidade, confiança e respeito. Casais felizes não são os que não tem problemas, mas sim aqueles que transformam seus problemas em soluções e melhoramentos contínuos. E por fim, nunca deixei de dialogar: dialogue, dialogue bastante, pois quando o diálogo acaba, o próximo a acabar é o relacionamento. Nunca esqueça: Quem não compreende a profundeza dos pequenos momentos e detalhes da vida, nunca compreenderá a dimensão do verdadeiro, real e melhor amor.

terça-feira, 10 de maio de 2016

Pareidolia, conheça esse fenômeno interessante da mente humana

Quando éramos crianças, olhávamos fixamente para uma cortina, ou para as folhas de uma árvores ou mesmo para as nuvens e enxergávamos coisas estranhas, que até nos amedrontavam. Essa construção mental que cria certos padrões tem nome, e é chamado de “pareidolia” que é um fenômeno psicológico que envolve um estímulo vago e aleatório, geralmente uma imagem ou som, em forma de um padrão já mentalmente estabelecido, sendo percebido como algo distinto e com significado. É comum ver imagens que parecem ter significado em nuvens, montanhas, solos rochosos, florestas, líquidos, vegetais, janelas embaçadas e outros tantos objetos e lugares. Ela também acontece com sons, sendo comum em músicas tocadas ao contrário, como se dissessem algo. A palavra pareidolia vem do grego para, que significa "junto de" ou "ao lado de", e eidolon, que significa imagem, figura ou forma. Pareidolia é um tipo de ilusão que consiste em reconhecer pessoas ou objetos em estímulos vagos ou caóticos. Exemplos: o rosto em Marte, o homem ou coelho na Lua, o rosto no Pão de Açúcar. Quando ocorre com certa frequência pode estar associado a traumas e temores, que se não cuidado pode evoluir para um quadro doentio e psicótico. Veja abaixo alguns exemplos de pareidolia. (Prof Gesiel Oliveira).