sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Você acredita que uma palavra pode mudar o rumo de uma vida? (Por PrGesiel Oliveira)

Nesse nosso mundo cada vez mais materialista, egocêntrico, indiferente e apático, não há como deixar de perceber seus frutos em nosso redor. Pessoas esvaziadas de empatia e cada vez mais carregadas de empáfia e frieza. É possível caminhar entre tantos, interagir como centenas de pessoas ao longo do dia e mesmo assim se sentir sozinho, desiludido e sem atenção. Muitas pessoas vivem mergulhadas em seu mundo virtual, desconectadas da realidade e perdendo cada vez mais os laços de amizade e convivência. Muitas pessoas quando se defrontam com essa realidade dura e insólita, sem aparente solução, entram em depressão e muitas têm pensamentos suicidas. E quando enfrentamos esse vácuo de atenção, esse déficit de afeto, e olhamos para os lados e não vemos mais ninguém para nos ajudar, é que devemos levantar a cabeça e olhar para o alto. É aí que devemos buscar a Deus. Não importa o simples existir, muitos se recusam a viver. Não conseguem ouvir com o coração e agir com a razão. Há uma mistura que lentamente os distancia do sentido e do amor à vida. A grande verdade é que queremos sempre acreditar que tudo na vida tem de dar certo, que sempre devemos ser e estar felizes, e que um sinal evidente de felicidade é o sucesso financeiro e nos relacionamentos. Isso não é verdade! Nossa vida é um misto de altos e baixos, em muitos casos, mais baixos, que altos. Um contrabalanceamento de alegrias e tristezas constantes e ininterruptas. Jesus mesmo nos falou: “neste mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo”. E a visão distorcida a respeito disso empobrece e frustra muitas pessoas. Empobrece, porque a fuga aos desafios e medos é a resposta mais cômoda e rápida para essas pessoas. Tenho sempre dito às pessoas: “Se não puderes incentivar alguém, pelo menos não retire a esperança do pouco que restou”. Como é importante uma palavra de apoio, motivação e alegria! Você acredita que uma palavra assim pode mudar o rumo de uma vida? Quero relatar hoje a vocês um caso que aconteceu comigo há cerca de 8 anos. Era uma manhã de sexta feira, e me lembro que eu estava apresentando um programa evangélico em uma rádio gospel em Macapá. Já íamos dar início ao momento da palavra, quando recebi um telefonema e coloquei nossa conversa ao vivo. Do outro lado da linha escutei uma voz trêmula, abatida, triste, parecia a voz de um jovem. Eu prontamente disse: “bom dia, você quer oferecer o hino do roteiro para alguém?”. Ele respondeu com um ar perceptivelmente amargurado: “Não pastor, quero apenas dizer que estou trancado em minha própria casa, em cima de um banco e com uma corda no meu pescoço. Essas são as minhas últimas palavras, pois vou tirar minha vida agora”. E em seguida desligou. Eu tomei um susto. Imediatamente, disse a ele: “Não faças isso. Jesus manda te dizer que Ele te ama. Eu não sei quais vozes tem ecoado no teu ouvido, nem sei as motivações que tem te levado a essa situação. Mas sei que o meu redentor vive, e que por fim, se levantará em teu favor, em amor à tua vida. Ele quer mudar a rumo do teu viver e te mostrar que uma vida nova em Cristo tem sentido”. Em seguida ele desligou. Eu fiquei preocupado. Pedi a todos os ouvintes que se unissem em oração em favor daquele jovem. No outro dia no café da manhã, fui procurar nos noticiários, jornais e na internet, mas não encontrei nada sobre um possível suicídio. Sabemos que em uma cidade grande, boa parte dos incidentes e crimes sequer são relatados nos jornais. Mesmo assim, continuei orando em favor daquele jovem desconhecido. Passaram os dias meses, e anos. Depois de três anos e meio, eu estava novamente na apresentação do mesmo programa, e recebi uma ligação. Eu atendi ao vivo e perguntei: “bom dia, você quer oferecer o hino do roteiro para alguém?”, só que dessa vez, era uma voz de alegria, de disposição, de alguém de bem com vida. Ele disse: “é o Pr Gesiel Oliveira que está falando?” ao que eu respondi: “Sim!”. Ele começou a falar com uma voz embargada, mas desta vez de emoção, de alegria, como alguém que recebe uma surpresa emocionante. Ele disse: “Pastor, eu sou aquele jovem que há três anos e meio liguei para esse programa anunciando que iria me suicidar. Eu escutava vozes que mandavam eu tirar minha própria vida. Moro em uma área de ponte aqui no bairro do Muca, e depois de uma decepção amorosa com minha ex-esposa, que me deixou e foi embora com outro homem, fiquei sozinho e entrei em depressão. Resolvi então que tirar a minha vida seria a melhor saída. Mas quando eu preparei tudo, quando eu já estava em cima do banco e com a corda no meu pescoço, eu escutei a sua voz pelo rádio da minha vizinha que estava ligado no seu programa, quando escutei você dizendo: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu único filho para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha vida eterna (...)Mas os que esperam no Senhor, renovarão as suas forças, subirão com asas como águia, correrão e não se cansarão, caminharão e não se fatigarão (...) Aquele que leva a preciosa semente orando e chorando, voltará trazendo consigo os seus molhos de alegria (...) Pastor nessa hora, as lágrimas começaram a escorrer pelo meu rosto, e aí eu peguei meu celular, que estava apenas com um pouquinho de bateria e de créditos, e liguei para o seu telefone que você colocou no ar. Anunciei ao vivo meu suicídio, cheguei a escrever uma carta de despedida que iria deixar aos meus familiares. Mas quando desliguei o telefone, uma força preencheu a minha vida, algo diferente que eu nunca havia sentido. Eu continuei lhe escutando, ouvi tudo o que você disse pra mim. Hoje sei que foi Jesus que falou comigo ali. Ele existe sim e se importa comigo, Ele me ama! Tirei a corda do pescoço, empurrei o banquinho pra longe, abri a porta da minha casa e saí correndo em busca da primeira igreja que encontrei a alguns quarteirões dali. E ali encontrei um pastor que estava lá, ele orou por mim. Eu me levantei revigorado para uma nova vida. Pastor, quero lhe dizer que hoje sou o porteiro da minha igreja, e recebo as pessoas com o sorriso no rosto, de alguém que experimentou a mudança que só Jesus pode proporcionar. Nessa igreja conheci uma linda e abençoada moça, que hoje é minha esposa. Jesus me deu um emprego. Tenho carteira assinada. E mais ainda pastor: minha esposa está grávida de 5 meses, e eu vou ser pai”. Nessa altura, eu já estava no estúdio em lágrimas, me alegrando ao ver como só Jesus pode mudar a vida daquele que acredita que já chegou no fundo do poço. Por isso não deixe de falar e pregar o evangelho salvífico de Jesus. Lembre-se sempre: Uma palavra pode mudar o rumo de uma vida! Louvado seja Deus!

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

O mensageiro da paz e suas dolosas omissões e distorções fáticas – Por Pr Gesiel Oliveira.

Um fato me chamou a atenção nesta última edição (de número 1575) do Jornal Mensageiro da Paz, veículo oficial da CPAD/CGADB para levar informes gerais aos convencionais. A edição trouxe como matéria de capa: “Reconciliações marcam reunião da liderança nacional da AD no RJ”. Quando li, confesso que fiquei animado, acreditando que, enfim, seria o momento de se escrever uma matéria mais imparcial, revelando os erros e acertos de ambos os lados e pondo uma “pá de cal” nesse assunto ao enfatizar a forma como se deu essa “reconciliação”. Ledo engano, no primeiro parágrafo já ficava claro o desígnio de enodoar a imagem do Pr Samuel Câmara e de seu grupo, quando o referido jornal afirma que “os Samuel Câmara, líder da Assembleia de Deus em Belém do Pará; Jônatas Câmara, líder da Convenção da AD no Amazonas (Ceadam); e Ivan Pereira Bastos, líder da Convenção Fraternal das ADs no Espírito Santo (Confrateres), que mantinham processos contra a CGADB e o seu presidente, pastor José Wellington, procuraram a Mesa Diretora e se apresentaram no encontro da liderança nacional da AD reunida no Rio de Janeiro para pedirem perdão pessoalmente por atos e medidas tomadas contra a instituição e o seu presidente, e proporem um acordo: os três ministros renunciariam a todas as ações que mantinham até então contra a CGADB e o seu presidente, enquanto estes, por sua vez, renunciariam a todos os recursos contra as ações na justiça dos mesmos e tornariam sem efeito o desligamento do pastor Samuel Câmara da Convenção Geral”(grifo nosso). A grande realidade é que muitas informações foram dolosamente omitidas nesse jornal, no evidente escopo de inverter os fatos. Senão vejamos: 1) todos os processos a que se referem o jornal, são na verdade ações judiciais que visam corrigir atos excessivos, sem lastro regimental, estatuário e inconstitucionais da mesa diretora na pessoa de seu presidente. 2) uma das ações judiciais que tramita na comarca de Manaus-AM, foi desobedecida pelo atual presidente, que descumpriu uma ordem liminar para exibição da conciliação bancária alusiva à Convenção de Brasília, em abril de 2013, pois eram evidentes as provas juntadas aos autos, que comprovavam que votaram na eleições mais convencionais que os que estavam inscritos. 3) Por causa dessa negativa da CGADB por seu presidente, a justiça amazonense aplicou multa de R$ 5mil por dia de desobediência. 4) Essa multa rapidamente ultrapassou a cifra de R$ 10 milhões, obrigando a justiça a um iminente bloqueio das contas da instituição e de seus dirigentes. 5) mesmo assim o seu presidente se negou (e se nega até hoje) a apresentar a conciliação bancária. 6) Em vistas de evitar um grave problema nas contas pessoais e da instituição, o grupo da atual gestão da Convenção Geral procurou o grupo do Pr Samuel Câmara para propor um acordo de paz, que não tem sido visto com bons olhos pelo grupo que apóia o Pastor Câmara. Essa é apenas uma pequena parte da realidade que deve ser conhecida de todos os convencionais. Infelizmente o veículo oficial de comunicação não vem mostrando cabalmente o que de fato está acontecendo nos bastidores. A malfadada matéria faz ainda um desfecho, colocando em xeque a idoneidade do grupo liderado pelo pastor paraense, ao afirmar que “até o fechamento desta edição do MP, o que foi estabelecido pelo termo de acordo não havia ainda sido efetivado na justiça”. De qualquer forma, a intenção dos fatos já apontam para algo realmente salutar para ambas as partes, faltando, ao meu ver, somente mais lisura e clareza na divulgação da integralidade dos fatos. Vamos continuar acompanhando e repassando a informação na íntegra a todos os nossos leitores. Continuaremos de olho nos próximos capítulos. (Pr Gesiel Oliveira – Vice presidente da Assembleia de Deus Zona Norte de Macapá).

sábado, 6 de agosto de 2016

A geração zumbi Pokemón GO - Por Gesiel Oliveira


Conheço um jovem amigo que está desempregado e que rapidinho se viciou no Pokemon GO. Agora ele não sai mais atrás de emprego, passa o dia todo procurando Pokemon. Pense numa evolução! Jovem, cuidado com os laços e armadilhas viciantes desse mundo virtual. Cuidado pra não inveter a ordem de prioridades na sua vida. Paulo nos alerta em 1Co 6.12 "Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas me convém. Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas". É apenas um alerta sobre essa nova onda viciante que está chegando e criando um geração de "zumbis virtuais". O Google tá aí pra vc pesquisar e conhecer um pouco do que esse aplicativo está fazendo mundo afora. Há grupos especializados que enganam os jogadores indicando lugares onde há possíveis Pokemons e na verdade são armadilhas para roubarem celulares. Um casal perdeu a guarda do seu filhinho de 2 anos nos EUA pq abandonaram a criança pra caçar Pokemon. Um casal foi preso por invasão a domicílio ao invadirem um terreno particular nos EUA. Pessoas estão sendo atropeladas por jogadores viciados que jogam enquanto dirigem. Muitos jovens estão quebrando suas pernas e membros, aos caírem em bueiros e buracos mundo afora. Uma segurado em Israel já colocou a disposição apólices de seguro de morte para jogadores do Pokemón GO, vários DETRANS vem alertando motoristas para terem cuidado com esses "jogadores zumbis" que perambulam pela praças e logradouros mundo afora, cegos para o mundo real, expostos aos mais diversos riscos das cidades violentas. Vários jovens já perderam a vida em diversos lugares do mundo por causa desse aplicativo que substitui o mundo real pelo virtual (tecnologia da realidade aumentada) e acabaram sendo atropelados por carros em alta velocidade. Dentre tantos outros horríveis relatos. Gente isso é uma gigantesca perda de tempo, oportunidades e esvaziamento cultural, além de fazerem os jovens se exporem ainda mais aos riscos, violência e terror das ruas. Não venha me dizer que isso é bom porque estamos na 40° cidade mais violenta do mundo. E um jogo que expõem nossos jovens as violência das ruas, e os conduzem aos mais ermos e sombrios lugares, não é algo bom. Isso é apenas um alerta, segue a orientação quem quer, pois cada um é dotado livre arbítrio, mas só os sábios são dotados de prudência. (Pr Gesiel Oliveira)