quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Lições da vida (Por Pr Gesiel de Souza Oliveira)

O que nos leva a escolher uma vida morna, rotineira, inerte e só de sonhos, desprovida de ações, conquistas e de busca pela felicidade? A resposta está estampada no comodismo e na distância e frieza dos sorrisos, na frouxidão dos abraços, na indiferença do "Bom dia", quase que sussurrados, nas chances que cessam frente à correria diária. Falta coragem e sobra covardia até pra ser feliz na vida de muitos. O sonho fica para trás, as oportunidades escorregam entre os dedos, chances que passam sem que aja uma ação, o sonho se reduz à vontade inerte, a vontade é suplantada pelo medo e comodismo. Talvez esses fossem bons motivos para decidir entre a alegria e a dor, entre o medo e a possibilidade, entre a derrota e vitória, mas não o são. Se a virtude estivesse mesmo no meio termo, o mar não teria ondas, os dias seriam nublados e o arco-íris surgiria em tons de cinza. O nada não ilumina, não inspira, não aflige nem acalma, apenas amplia o vazio que cada um traz dentro de si. Não é que a “fé mova montanhas”, pois sozinha nada pode, a fé deve estar sempre ao lado da iniciativa e persistência. Nem que todas as estrelas estejam ao alcance, sem esses três elementos, continuaremos só a observar, e a desejar. Optar pela antecipada derrota da inércia, à dúvida da conquista, é desperdiçar a chance de uma possibilidade e aí está a diferença entre o tangível e intangível dos desafios. Para os erros há perdão; para os fracassos, chance; para os amores impossíveis, tempo, para a vitória, perseverança. De nada adianta cercar um coração vazio ou economizar alma. Uma luta cujo fim é o instantâneo da inércia, não é luta, é medo. Não deixe que a saudade o sufoque, que a rotina o acomode, que o medo o impeça de tentar. Desconfie do destino e acredite em seus ideais. Gaste mais tempo realizando que sonhando, fazendo que planejando, vivendo que esperando. Com o tempo você vai percebendo que para ser feliz com outra pessoa, você não precisa buscar um relacionamento perfeito, mas fazer o seu relacionamento o mais perfeito possível, numa busca incansável por ajustes, diálogo, compreensões e ideais. Para ser feliz no seu relacionamento, você tem a tarefa de, primeiro buscar a felicidade de quem pode te trazer a felicidade. Com a vida você percebe que nem sempre quem você ajudou te ajudará, que no teu sufoco, a mão estendida muitas vezes será a que menos você esperava, e que não podemos mudar nossa natureza, simplesmente por raiva da má natureza do próximo. Percebe também que aquela pessoa que você ama (ou acha que ama) e que não quer nada com você, definitivamente, não é o homem ou a mulher da sua vida. Você aprende a gostar de você mesmo(a), e a valoriza-se, a cuidar de você e, principalmente, a gostar de quem também gosta de você, e que só você nunca percebeu isso. Constata que a maior beleza que carregamos não é a física, mas sim a da alma e do espirito. O segredo é não correr atrás das borboletas e sim esperá-la com paciência, cuidando do jardim, para que elas venham até você, pois elas sempre voltarão. No final das contas, você vai encontrar não quem você sempre procurou, mas quem sempre procurou você.

Nenhum comentário :

Postar um comentário