quarta-feira, 17 de abril de 2013

Solidariedade sobre as águas - um retrato dos ribeirinhos amazônidas

Solidariedade:passageiros do navio atiram mantimentos no rio
É lindo ver esse lado do povo amazônida. Um sentimento espontâneo, movido pela comiseração de um povo esquecido. Registrei algumas imagens que permanecerão em minha memória, tamanho o sentido que carregam em si. Tirei essas fotos no trajeto de navio de Belém a Macapá. Pude perceber um sentimento que anda meio esquecido em nossos tempos hodiernos: a solidariedade. Quando o navio passa por essas pequenas comunidades, que margeiam os meandros caudalosos do Rio Amazonas, centenas de ribeirinhos vem em direção a ele, esperar, o que para muitos deles é a esperança do alimento, da vestimenta, da ajuda e da providência, que chega dentro de saquinhos plásticos atirados pelos passageiros ao rio em direção a eles. Vi muitas crianças acenando, como que pedindo ajuda, gesticulando numa linguagem universal, pedindo comida,  em um gesto de misericórdia, e remando rápido ao ver o retorno dos seus pedidos atendidos. Cenas que comovem quem nunca viu igual ato de solidariedade. É inesquecível lembrar dos passageiros, a maior parte deles também de baixo poder aquisitivo, ajudando no que podem e compartilhando dentro daquilo que se pode fazer naquele momento. No semblante registrado no clique flagrancial, percebem-se rostos anônimos, esquecidos e deixados à sorte pelo inoperância do poder público.  O navio entra no rio estreito e logo à frente já se podem ver dezenas de canoas com os ribeirinhos, à espera da única alternativa que lhe resta naquele ermo lugar: a piedade alheia dos passageiros. Vi uma multidão de passageiros que, com essa finalidade, traziam alimentos, roupas, utensílios, e tantos outros objetos, e que embalavam com todo o cuidado, um por um, centenas de saquinhos plásticos, exclusivamente para aquele momento. Esse sentimento contraria o reinante egoísmo egocêntrico do nosso habitual espaço urbano. A ausência desse sentimento de empatia é o que tem nos levado a relacionamentos sociais esvaziados do verdadeiro espírito de fraternidade, mas o que vi naqueles simples gestos marcou profundamente minha vida e me fez repensar sobre o real sentido da máxima expressa há mais de dois mil anos atrás por Jesus Cristo: "amar o próximo como a si mesmo". Esse é um sentimento que deve ser multiplicado, por meio dessas fotos, desses gestos, desse povo, em lugares onde o poder público não chegou, e onde há brasileiros esquecidos, anônimos, muitos deles sequer formalmente existentes, mas que na firmeza de sua persistência, continuam sobrevivendo nessas pequenas vilas e comunidades ribeirinhas da Amazônia. Passe adiante esse texto e essas imagens para multiplicar e estimular esse sentimento de solidariedade que melhor se pode ver entre os mais humildes e entre os poucos corações misericordiosos.




































































Nascido, criado, formado e casado em Macapá. É graduado em Direito e Geografia pela Universidade Federal do Amapá, blogueiro, twitteiro  (www.drgesiel.blogspot.com) teólogo, escritor, professor de faculdades de Ciências Jurídicas, Presidente da Associação dos Oficiais Justiça/AP-AOJAP (www.aojap.blogspot.com). Trabalha como Oficial de Justiça-Avaliador do TJAP, Professor de Direito Penal, Direito Processual Penal e Legislação Penal Especial, foi professor de Geografia Geral, do Brasil e Amapá em diversas Escolas, pré-concursos e pré-vestibulares, autor das obras:"Sinopse histórico-geográfica do Amapá", "Os que confiam no Senhor", "Curiosidades bíblicas", "Esboços de sermões e pregações", "Ilustrações que edificam", é também Pastor vice-presidente da segunda maior Igreja Evangélica do Amapá, Assembléia de Deus Zona Norte de Macapá, hoje com 82 congregações no AP, PA e França - www.adzonanorte.blogspot.com e vice-presidente da COMADEZON (Convenção Estadual da ADZN) além de professor da EETAD (Escola de Educação Teológica das Assembleias de Deus do Brasil). Superintendente da Escola Bíblica Dominical da Assembleia de Deus Zona Norte de Macapá. Casado e apaixonado por Berenice Rabelo,é pai de Gabriel (9 anos) , Miguel Ângelo (5 anos) e Larissa Sophia (2 anos). Siga-me no Twitter: @PrGesiel_ e no  Facebook : Gesiel Oliveira

2 comentários :

  1. Parabéns pelo seu lindo trabalho. Além do belo relato da viagem, amei todas as fotos que foram postadas. Com esse trabalho, mais uma vez você confirma a sua inteligência, a sensibilidade e a percepção das coisas que estão ao seu redor. Com obras como essa você presta um grande serviço em prol da cultura e da divulgação das coias boas que existem aqui na Região Norte. O Amapá deve orgulhar-se você.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelo seu lindo trabalho. Além do belo relato da viagem, amei todas as fotos que foram postadas. Com esse trabalho, mais uma vez você confirma a sua inteligência, a sensibilidade e a percepção das coisas que estão ao seu redor. Com obras como essa você presta um grande serviço em prol da cultura e da divulgação das coias boas que existem aqui na Região Norte. O Amapá deve orgulhar-se você.

    ResponderExcluir