quarta-feira, 30 de julho de 2014

Ouvindo os dois lados (Por Pr Dr Gesiel de Souza Oliveira)


Uma das minhas maiores preocupações em tempos de informação imediata, é o cuidado em procurar saber a fonte, em procurar conhecer os fatos antes de repassá-la com um simples toque pelo Whatsapp, Facebook, Twitter ou outras redes sociais de comunicação instantânea. Antes de tudo quero dizer que não tenho procuração do Pr Paulo Marcelo para proceder à sua defesa, mas por conhecê-lo de longas datas, sabendo que sempre foi um pastor que nunca desonrou sua convenção, que sempre levou a mensagem do evangelho genuíno dentro e fora do País, e que tem um ministério que ao longo de tantos anos tem enfrentado a fúria do inimigo de nossas almas, pregando, apoiando a obra e cumprindo o IDE do Senhor, passo a fazer esta reflexão textual. Pois bem, uma noticia intitulada "Pastor Paulo Marcelo é preso com armas, drogas e munições" correu de forma viral, inconsequente e leviana há cerca de duas semanas pelas redes sociais. Eu também fui um dos que recebeu a tal "informação" via Whatsapp. Imediatamente percebi que havia algo errado. Li muitos comentários de pessoas que não conhecem o ministério deste honrado homem, não conhecem a sua vida como pastor, pai de família e servo de Deus dedicado à obra. Li comentários tecendo duríssimas críticas, condenando-o, jogando a sua imagem na lama, sem ao menos ter o cuidado de abrir o www.google.com e procurar saber a origem dos fatos. Mas notícia ruim corre o mundo enquanto a verdade ainda está se calçando. Mas a verdade sempre triunfa sobre a mentira, é só esperar, que o tempo se encarrega de revelá-la, e foi o que aconteceu em seguida. Lamento que a verdade dos fatos não tenha corrido na mesma velocidade que as acusações levianas pelas redes sociais. Dessa forma, o próprio pastor emitiu nota de esclarecimento em seu perfil no Facebook sobre o que de fato aconteceu, leiam:

NOTA DE ESCLARECIMENTO

A todos os meus admiradores, amigos e irmãos em Cristo Jesus, que têm nos acompanhado e apoiado com as vossas orações ao longo de mais de 15 anos de atividades Ministeriais, como pregador do Evangelho. 
Venho publicamente, pelo respeito e consideração que tenho por todos, esclarecer acerca das informações, que desde ontem estão sendo vinculadas nas redes sociais e em alguns meios de comunicação, envolvendo a minha pessoa.
1- Há alguns meses fui convidado para um projeto político no meu estado do Paraná, orando a Deus e falando com minha família, achamos melhor não, nesse intervalo algumas pessoas de muita influência em Foz do Iguaçu, me ameaçaram a não sair, pois os interesses pessoais são maiores que os interesses da defesa da família e da fé, como não aceitei, e mesmo assim alguém ainda me achava uma ameaça, há meses convivia com um terror psicológico e emocional. Como minha família esta sozinha e eu em minhas muitas viagens, contratei um segurança pessoal, que trabalha e às vezes permanece em minha residência, outras me acompanha durante o dia, me leva ao aeroporto, para a igreja, leva meus filhos ao colégio e os busca.
2 - Como ainda não sei, mais em breve saberemos, houve uma denúncia que em minha residência havia alguém armado. Foi expedido um Mandado de Busca e Apreensão, e na data de 16/07/2014, tal Mandado foi cumprido, sendo encontrada a arma no coldre, e dentro coldre algo que ainda não sabemos o que se trata que foi notificado como aparente entorpecente. A arma e o possível entorpecente estavam no mesmo lugar, lugar esse que meu funcionário frequenta e havia deixado sua ferramenta de trabalho lá. Sendo homem público e muito conhecido não sabemos como a imprensa acompanhou a diligência policial. As notas em internet foram notificadas antes de os fatos serem esclarecidos.
3 - Apresentamos o registro da arma, pois tal é devidamente legalizada, como um funcionário já informou pertencer a ele o que foi encontrado. 
4 - Já informei a meu Pastor Presidente Isaias Cardoso dos Santos, ele recebeu meu funcionário, entendeu o ocorrido e como me conhece há 19 anos e minha história fala mais alto que um fato, entendeu e fará também uma nota em carta no meu site e enviaremos a quem acharmos conveniente.
5 - Sou muito bem preparado para momentos assim, confesso que estou sofrendo muito, pois isso acontece em Foz do Iguaçu diariamente, e a imprensa não notifica nada, as fotos que foram publicadas estão em croma, quem conhece internet sabe o que estou falando, mais como sou pessoa pública e principalmente Pastor usaram isso para ofender a Igreja e nossa fé, infelizmente muitos irmãos ajudam a promover fatos desordenados e que não foram no momento esclarecidos, mas breve serão !
6- Peço oração por mim, por minha família, pelos meus funcionários e colaboradores que amo muito e tenho carinho por todos eles, quero deixar muito claro que estou esclarecendo isso não por ter medo de perder agenda ou notoriedade, pois o que queria ter visto já vi, sou antes de mais nada um pregador conhecido, sou crente e amo a Deus, ao Senhor Jesus, e a vocês, por isso posso pregar aqui até Jesus voltar, ou aí nas igrejas que me amam, que me conhecem, nos Pastores e amigos que tenho e fiz em 15 anos. Peço a compreensão de todos, o amor de vocês, e esperem os fatos virem a tona depois julguem, concluam seus raciocínios, mais os que me amam e me conhecem esses não preciso justificar nada, pois sabem quem sou, então me ajudem nessa guerra que vai passar e logo estarei na sua Igreja para chorarmos juntos de alegria e com vitórias em Deus !
Irmãos, compartilhem !!! Vamos superar a noticia infundada com a verdade.
Rogo a oração dos crentes em Jesus.
Fiquem na Paz do Senhor!!!
Seu amigo
Pr Paulo Marcelo
Servo de Deus.


Depois do esclarecimento de proprio punho do Pr Paulo Marcelo, a própria convenção ao qual o Pr Paulo Marcelo pertence CIEADEP - Convenção das Igrejas Evangélicas Assembleia de Deus do Estado do Paraná, por meio de seu presidente, o respeitado Reverendo Ival Teodoro da Silva e o Presidente da IEADFI, Reverendo Isaías Cardoso dos Santos, emitiram uma nota oficial informando que fizeram uma minuciosa análise por iniciativa do próprio Pr Paulo Marcelo, com oitivas, provas testemunhais e materiais, e concluíram que tudo não passou de um mal entendido, (que acredito eu, ser um plano arquitetado de desmoralização por questões políticas naquele Estado - grifo nosso) ao qual o referido pastor foi dolosamente e injustamente submetido. Veja a nota:






Nenhum comentário :

Postar um comentário