sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Boato falso afirma que liminar de GO foi cassada, mas Pr JWCJr continua com seu registro de candidatura cassado. (Por Gesiel Oliveira)

Um boato se espalhou pelas redes sociais nesta quinta feira (16) informando que a tutela antecipada que determinou a nulidade do registro de candidatura do Pr José Wellington da Costa Júnior teria sido cassada. Mas a realidade é que o registro de candidatura continua nulo, conforme decisão do Juiz Levine Raja Gabaglia Artiaga em decisão datada do último dia 08, oriunda da Comarca de Corumbá de Goiás. Basta uma simples consulta ao processo nº 201700276250 no site do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás, acesse neste link: (http://www.tjgo.jus.br/index.php/consulta-processual), para constatar que os efeitos da tutela antecipada continuam em pleno vigor. Ou seja, caso mantida a decisão judicial, os votos direcionados ao candidato mencionado, que é filho do Pastor Presidente da CGADB (que está no poder há quase 3 décadas), serão considerados nulos. É importante frisar que em razão dos nomes dos candidatos já terem sido enviados à empresa Scytl do Brasil (empresa contratada para realizar o pleito eleitoral virtual), em data anterior à decisão judicial, a foto do candidato Pr JWCJr aparecerá  como opção de voto aos ministros-eleitores no dia 09 de abril. Mas como a situação está sub judice, os votos computados serão desconsiderados para efeitos legais e judiciais. Outras ações estão sendo propostas e outras estão em trâmite em diversos estados brasileiros, por pastores independentes, e muitos deles sem qualquer vinculação a nenhum grupo, demonstrando a insatisfação geral que tem tomado conta de milhares de pastores em todo país, insatisfeitos com os rumos que a CGADB tem tomado e com a iminência do pai, depois de quase 30 anos, agora passar o poder ao filho. A voz pela mudança tem tomado corpo e se materializado em diversas ações judiciais especialmente depois que 11 pedidos administrativos foram indeferidos de pronto pelo presidente da comissão eleitoral, revelando total parcialidade e comprometimento com a atual gestão. Vale destacar aqui que o presidente e vice presidente da comissão eleitoral também continuam afastados por força desta mesma ordem da Justiça de Goiás. Há informações robustas de que o Presidente da Comissão eleitoral protocolizou ofício nesta semana junto à CGADB comunicando seu afastamento da presidência desta comissão, antecipando com isso a execução da ordem judicial goiana. É importante destacar que o fato de um dos candidatos estar impedido de concorrer ao pleito eleitoral por decisão judicial, não inviabiliza o andamento das eleições, visto que a presidência poderá ainda ser disputada entre duas candidaturas que estão devidamente registradas e sem nenhum tipo de impedimento legal, encabeçadas pelo Pastor Samuel Câmara Presidente da Assembleia de Deus em Belém do Pará e o pelo Pastor Cícero Tardim, que é presidente da Assembleia de Deus Alto Piriqui no Estado do Paraná.

Nenhum comentário :

Postar um comentário