sábado, 4 de novembro de 2017

Milhares de pastores de todo Brasil sairão da CGADB para criar uma nova convenção da Assembleia de Deus

Um gigantesco movimento iniciado por diversos pastores de várias regiões do Brasil ganhou corpo e vem se fortalecendo e crescendo rapidamente. Hoje correu uma notícia em diversos grupos de pastores em redes sociais de todo Brasil, informando que uma nova convenção está surgindo, e que esse movimento é independente. Mas essa insatisfação generalizada tem uma motivação bem sólida: os sucessivos escândalos provocados pela atual administração que está à frente da maior convenção de pastores do Brasil: a CGADB - Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil. É que em abril deste ano houve uma troca de cadeiras entre pai e filho que deixou muita gente, inclusive aliados antigos, insatisfeitos. Saliente-se, uma eleição muito contestada! É que o Pr José Wellington Bezerra, que já estava há quase três décadas à frente da instituição, deixou seu filho, Pr José Wellington Júnior (que era presidente da CPAD) em seu lugar para assumir a presidência da CPAD, Casa Publicadora das Assembleias de Deus no Brasil.

Além disso as eleições de abril de 2017 foram marcadas por diversas irregularidades que foram parar na justiça. Diversas liminares não foram respeitadas pela CGADB e a chapa que ela apoiou (acredite se puder, a instituição apoiou deliberadamente o candidato, filho do então presidente). Foram inúmeras as apontadas pelas ações judiciais. Situações que vão desde a ausência de desincompatibilização prévia da inscrição do Pr José Wellington Júnior para concorrer ao pleito, passando pela inscrição a revelia de pastores que sequer sabiam que estavam inscritos, até inscrições de pastores mortos que foram amplamente divulgadas na imprensa. 

Convite: está sendo feito ao Pr Samuel Câmara, presidente da AD em Belém-PA,
para que assuma a liderança desse crescente movimento de pastores de todo Brasil
Assim como aconteceu há alguns anos com o Pr Silas Malafaia, agora chegou a vez desse novo grupo. Ao que tudo indica, há fortes indícios de que tratativas estão sendo realizadas para convencer o Pr Samuel Câmara (que sempre esteve reticente) a liderar esse gigantesco grupo, mas nada confirmado até o presente momento. O certo é que ainda não se sabe exatamente o número total de convenções regionais que estão apoiando esse movimento, nem qual será o nome dessa nova convenção. Uma fonte fidedigna informou nosso blog que pelo menos 4 grandes reuniões já foram realizadas para organizar a nova convenção que está em faz de formatação final. Inúmeras convenções do Sudeste, sul, Centro-Oeste, Nordeste e Norte já acenaram na firme intenção de acompanhar e solidificar-se sob a liderança do pastor presidente em Belém-PA, que está vinculado à CGADB há cerca de trinta anos. 

Informações extra oficiais dão conta de que a nova convenção trará diversos diferenciais, entre os quais a consagração e reconhecimento do ministério pastoral feminino, proposta que há anos está engavetada na burocracia interminável e anacrônica da CGADB. Além disso a nova convenção surge com uma nova proposta de expansão de cruzadas, missões, evangelismo, treinamento, cursos, valorização dos pastores, dentre outras excelentes iniciativas que devem ganhar o Brasil e mundo. A sede da nova convenção, ao que tudo indica, deverá ser em Belém do Pará, onde tudo começou em 1911, isso se o Pr Samuel Câmara aceitar o convite. 

E como os galhos e folhas se sustentarão sem o caule e a raiz? Se a igreja que carrega o genuíno e original patrimônio histórico e imaterial sair, por não suportar um sindicato de pastores que a sufocou, levará consigo mais que uma oposição de resistência combativa, levará consigo a origem, a natureza e a essência de tudo o que veio a existir a partir dela. A igreja não perde, ganha. Só quem perde é a oligarquia familiar paulista. Após 106 anos, novamente por Belém do Pará há uma forte possibilidade de se iniciar um novo movimento de avivamento e reestruturação nacional dos muros caídos. 

Esse movimento, que surge de fora, pois não partiu do Pr Samuel Câmara, e sim de pastores de todo Brasil, surge e cresce para oxigenar uma nova fase de reorganização dos rumos de uma verdadeira e genuína convenção nacional que atenda à Assembleia de Deus e aos seus pastores, e não a uma organização que foi apequenada e reduzida à satisfação dos interesses de uma família. Uma nova era de muito evangelismo, metas, desafios e missões está se iniciando. Avante obreiros do Senhor!

3 comentários :

  1. Eu em particular estou diacordo, pois filiado a CGADB a quase 20 anos e nunca recebi apoio nenhum da mesma.

    ResponderExcluir
  2. A pergunta que não quer calar "Qual foi a serventia quer teve a CGADB para os seus pastores associados, o que ele proporciona a eles, quando falamos de CGADB podemos observar que ela é para todos os associados ou apena para todos de uma família, foi para isso que seus fundadores a criaram? ...Que A CGADB permaneça mais que os pastores seja de fato homens de Deus nos precisamos se preocupar mais com o pastoreio das almas em darmos exemplo para a sociedade para que ela nos siga e não nos entrarmos pelas veredas da da sede de poder, a quem ter que ser dado honra é somente a Deus, e nos pastores temos a obrigação de segui-lo porque foi para isso que fomos chamados a ensinar ao povo o amor de Deus, Deus abençoe a todos os queridos colegas pastores e que a nossa vidas seja para honrar a Deus!

    ResponderExcluir
  3. Para mim se tivesse saído da CGADB há 10 anos, estamos no lucro.

    ResponderExcluir