quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Governo brasileiro emite nota repudiando o assassinato de 21 "trabalhadores" pelo EI (Por Gesiel de Souza Oliveira)



21 cristãos sequestrados sendo conduzidos pelos terroristas

O Estado Islâmico desafia  o mundo promovendo uma  das maiores barbáries e show de horrores já registrada em vídeo (veja o vídeo AQUI), e ordena a decapitação de 21 cristão egípcios em uma praia da Líbia. Lembro também que há poucos dias houve uma comoção mundial quando terroristas do EI atacaram e mataram 12 funcionários do Jornal Satírico Charlie Hebdo na França, o que levou mais de 4 milhões de pessoas às ruas para protestar a favor da liberdade de expressão. Mas minha indignação é ver a forma como a noticia vem sendo tratada, minimizada e desvirtuada. O Estado Islâmico apresentou as cabeças decepadas de 21 cristãos, e o Itamaraty (órgão de representação diplomática do Brasil) emite nota repudiando o assassinato de 21 "trabalhadores" (veja a nota na íntegra AQUI). Notem a artimanha dos esquerdopatas da cúpula do governo para tirar o foco do assassinato terrorista de cristãos por radicais muçulmanos. Qual a razão de tentar desvirtuar o impacto da noticia verdadeira?. Não dá mais para fechar os olhos ou ignorar essa barbárie promovida por esses radicais. O Brasil precisa reconhecer que 21 cristãos (e não simplesmente trabalhadores) foram sequestrados, e que o ataque é direcionado contra a segunda maior religião do mundo. Lembremo-nos que ano passado a nossa presidente em discurso proferido na ONU defendeu a "solução pacifica e com diálogo com os terroristas do Estado Islâmico" (veja o vídeo AQUI). Só não indicou quem estaria disposto a dialogar com com esses sanguinários. Certamente o Brasil não apoiará a ofensiva militar dos EUA contra o EI anunciada recentemente. O Brasil onde a maior emissora de TV fez uma campanha de comoção nacional quando a Indonésia anunciou a pena de morte contra um traficante internacional brasileiro. Até a presidente chegou a pedir clemência direto ao governo da Indonésia pela vida do traficante. Mas sobre o assassinato dos 21 cristãos, a mesma emissora apresentou apenas uma nota rápida sem fazer uma cobertura mais detalhada sobre esse terrível fato.
21 cristãos coptas egípcios decapitados pelo EI na Líbia
Não vi nenhum pronunciamento da presidente manifestando sua indignação pelos cristãos mortos como mártires. No norte da África, oriente médio e na Asia, movimentos anticristãos matam, crucificam, queimam e decapitam
 cristãos todos os dias, e nunca vi o Brasil se posicionar diante dessas questões, e quando o fez esta semana, ainda o fez lamentando a morte de "trabalhadores". Espero que o Brasil tome uma posição. Mas sei que certamente um pais que se comove com a pena de morte de um traficante, e ignora a verdadeira guerra interna que mata e dizima os seus todos os dias, um pais que tem as penas mais brandas do mundo, que politizou a sua maior corte de justiça, que adotou a corrupção e a impunidade como regra, e a justiça como exceção, que não pune um marginal que rouba, estupra e mata por ter 17 anos, e onde a cúpula do governo está toda envolvida no maior escândalo de desvios de verbas públicas do mundo, certamente este governo não apoiaria o clamor dos cristãos que ecoam do mundo árabe. (Por Gesiel Oliveira)

Nenhum comentário :

Postar um comentário