sábado, 31 de dezembro de 2016

Várias impugnações apontam falhas graves na confiabilidade da listagem de 31 mil inscritos apresentada pela CGADB.

Aproximadamente 10 impugnações foram interpostas na Comissão Eleitoral da CGADB contestando a listagem de mais de 31 mil inscritos apresentada pela CGADB para votarem na 43ª AGO em São Paulo no dia 09 de abril de 2017. As impugnações foram interpostas na seguinte ordem: Um pastor do Espírito Santo, um de Roraima, três do Pará, quatro do Amazonas e um do Amapá. Até a manhã do dia 30, data limite para as impugnações, essas eram as impugnações que haviam sido recebidas pelo presidente da Comissão Eleitoral da CGADB. Tivemos acesso a algumas delas e verificamos que os pastores encontraram diversos erros crassos e suspeitas de fraudes graves nas inscrições. O que você verá a partir de agora é de domínio público, pois já está nas mãos Comissão Eleitoral e é resultado de uma auditoria independente, realizada por dois especialistas. Esse relatório apontando detalhadamente vários erros nas inscrições, também já está na posse da Comissão Eleitoral. Eles contestaram desde e-mails e telefones falsos até milhares de ministros que constam na lista de Ministros Inscritos para votar, porém, os mesmos não constam na lista de Ministros Aptos para Votar. Vejam alguns dos principais pontos graves que foram identificados e impugnados nas alegações desses 10 pastores. 

Existem 793 (Setecentos e noventa e três) ministros que informaram e-mails inválidos, ou seja, a digitação do e-mail não é válida. Lembrando que para um e-mail ser considerado válido, ele deve obedecer a seguinte formatação: usuario@nomedodominio, sendo que no nome do domínio, deve ter uma extensão como: [dominio.com], [dominio.com.br]. [dominio.net], [dominio.org], etc. Porém, e-mails como os registrados nas inscrições mostradas na imagem abaixo, não são domínios válidos, e dá um entendimento de que foram digitados sem a observância dos artigo 43 que exige que o e-mail deve ser válido. Segue imagem de uma amostra de Email’s inválidos, existem 793 (Setecentos e noventa e três).


Foi identificado também diversos registro de Inscrição com Email em branco, ou Email repetido. Conforme mostra a imagem abaixo, foram registrados 125 inscrições sem informar um e-mail, ou seja, o e-mail está em branco. Ainda existem 81 (Oitenta e Uma). Inscrições que foram realizadas com o e-mail: jrfcartorio+CGADB@gmail.com, 7 (sete) Inscrições que foram realizadas com o e-mail: assembleia.tuc@hotmail.com, e 3 (três) que foram geradas com o e-mail: jrfcartotio+CGADB@gmail.com.

As impugnações também denunciaram uma enorme quantidade de registros de Inscrições com e-mails informados suspeitos de serem criados em série, onde é verificado que o registro do ministro está contido no e-mail. Foram registrados 3.638 (três mil, seiscentos e trinta e oito) ministros onde é verificado que o Registro do Ministro está contido dentro do e-mail. Conforme mostra a imagem abaixo, sobre esses e-mail’s há fortes indícios e suspeitas de terem sido criados em série, e não são e-mail’s pessoais válidos, pois não é comum colocar o número do registro da instituição em que a pessoa é associado, neste caso, da CGADB, em um e-mail.



A exemplo, a convenção COMADEBG registrou 391 (Trezentos e Noventa e um) ministros utilizando e-mails que caracterizam cadastro em série, todos tem a mesma formatação, sendo a seguinte formatação: Ministro.[matricula]@Comadebg.com.br. Conforme mostrado na imagem abaixo:




Além disso, as impugnações identificaram suspeitas de fraudes no registro de Inscrição com telefones inválidos, ou seja, a digitação do número de telefone não é válida. Existem 901 (Novecentos e Um) ministros que informaram telefones inválidos, com dígitos faltantes ou não informaram o número de telefone, condição sem a qual não se pode votar, de acordo com o edital de abertura do processo eleitoral. Conforme mostra a imagem abaixo, são telefones que não foram informados, ou o número não é o número de um celular válido.



Ainda é possível verificar que em alguns casos, a digitação do número de telefone é inválida, e foram criados de forma sequencial, no caso da tabela abaixo, que mostra bem isso. Veja que os números: 12344993, 12344994, 12344995, 12344996, etc.. são números que foram criados em séries demostrando claramente fundadas suspeitas de fraude e inserção falsa de informações no sistema eleitoral. Verifica-se que há a quantidade de dígitos válidos, somente para burlar a identificação do sistema do registro, porém, não existem, e foram criados em séries. As operadoras foram consultadas por um dois auditores que apresentaram em seu relatório final que essas operadoras informaram que esses terminais telefônicos nunca sequer existiram. Cada um dos mais de 31 mil telefones informados foi verificado por esses auditores, que enviaram milhares de mensagens entre os dias 25 a 28 de dezembro. Se você recebeu uma mensagem denominada “CHECK”, eram eles trabalhando para averiguar a autenticidade de cada terminal telefônico e e-mail informado. Veja a tabela abaixo, com dados extraídos da listagem apresentada pela CGADB.


Resumo da ópera: No Total, foram inscritos 5.207 (Cinco Mil duzentos e sete) ministros onde: ou não foi informado o e-mail, ou o e-mail informado é inválido, ou o e-mail informado é considerado suspeitos de ter sido criados em série. E o mais grave, é que há indícios de que inscrições tenham sido realizados por uma mesma fonte, sendo informados e-mail’s ou telefones suspeitos, e se isso ocorrer, há riscos da senha ir para um só lugar e alguém votar por todos. Enfim, esse é apenas um resumo de uma enorme quantidade de denúncias formuladas por esses 10 pastores em suas respectivas impugnações, que já estão de posse da Comissão Eleitoral. Agora é aguardar a resposta (que eu já sei no que vai dar) e ver qual será o rumo a partir daí, especialmente por parte do grupo comandado pelo pastor paraense, principal afetado caso essas irregularidades não sejam sanadas. 



Gesiel Oliveira

Nenhum comentário :

Postar um comentário