domingo, 9 de agosto de 2015

O verdadeiro significado da riqueza (Por Gesiel de Souza Oliveira)

Outro dia um conhecido meu me perguntou por que eu estagnei como pastor, sendo formado em direito e geografia, já que eu poderia continuar estudando até chegar a um doutorado/PHD ou mesmo passar em um concurso para juiz ou promotor que recebe um salário muito maior. Não desmerecendo tão importantes carreiras, mas esse nunca foi o meu foco. Eu sei o que eu quero e sempre soube. Eu amo o que faço! Por isso respondi: “isso é o que faz muitas pessoas infelizes, buscarem somente aquilo que lhes trazem dinheiro, fama e poder e não o que lhes trazem felicidade”. Fiquei pensando naquilo e refletindo como muitas pessoas perdem a vida, e sem perceber o tempo passar, perdem-na sem nunca encontrar o seu foco. A pergunta que você deve fazer para si mesmo é aquela que sua mãe sempre lhe perguntava quando você era apenas uma criança sonhadora: “o que você quer ser quando crescer?”. Sobra sonhos e falta foco, por isso é que no grito do silêncio reprimido interior, muitas pessoas aprisionam suas ansiedades, angústias, fracassos, medos, frustrações e decepções, tentando levar a vida adiante, mas permanecem ancorados em seus temores, receios e medos de tentar ir à luta, e assim desejam mas não conseguem avançar, pois ignoram a origem da sua infelicidade e acabam enganando-se a si mesmos, estagnados entre o passado e o futuro, sem perspectivas e muitas vezes até sem a capacidade de sonhar, pois as decepções da vida lhe tiraram até isso. Creio que o maior segredo de uma vida plena é fazer o que lhe traz paz, o que te dá prazer, o que lhe inspira a prosseguir, o que te faz sorrir nesta jornada que visa principalmente buscar o bem comum e não somente alimentar o senso egocêntrico da fome ilimitada que tenta nos impedir de pensar coletivamente. Lembre-se do que disse Mahatma Gandhi: “quem não vive para servir, não serve para viver”. Por isso tenha sempre em sua mente: “qual é o meu foco?”. Quando eu era criança eu sonhava ser super-herói. Hoje compreendo que os verdadeiros super-heróis não usam capa, nem tem super-poderes, mas sim tem muita vontade de mudar o mundo em nossa volta, de torná-lo melhor no pouco que lhes permite alcançar. Eles estão entre nós. A maioria absoluta deles não são ricos materialmente, pois já compreenderam que o verdadeiro sentido de ser rico não está relacionado ao quanto você tem, mas sim ao quanto você pode dar e compartilhar.

Nenhum comentário :

Postar um comentário