sexta-feira, 7 de junho de 2013

A mídia “multicolorida” e a "síndrome da omissão maliciosa"

É incrível a capacidade que tem, parte significativa da mídia, de distorcer fatos, desacreditar ou minimizar a realidade. Essa semana um dos maiores movimentos tomou Brasília, movimento cristão em favor da família tradicional, contra o aborto, descriminalização de drogas e a favor da vida. Estimativas oficiais calcularam uma concentração de pessoas em cerca de 70 mil a 80 mil. Sem dúvida o segundo maior movimento depois das diretas já, realizados em Brasília. Um recorde também para um dia de semana (quinta-feira, dia 05.06). Nem isso foi suficiente para impedir infundadas e  maliciosas críticas não só do movimento pró-LGBT, mas da “imprensa marrom”, tendenciosa, facciosa e uranista. 


                         O pequeno movimento iniciado por um “grupelho anarquista-xiita-uranista” que tentou malogradamente derrubar o Deputado Federal Marco Feliciano-PSC, foi noticiado intensamente, até por agências internacionais, com grandes espaços nos noticiários nacionais. Mas o que se viu em Brasília no dia 05, a imprensa pouco ou nada divulgou. Um dos piores exemplos foi a matéria do Estadão (www.estadao.com.br) que estampou na sua capa no dia seguinte: “Em ato contra gays, Silas Malafaia diz que união homoafetiva é crime”. Veja só a covardia de um “pseudo-redator” desta estirpe!. Ao longo da matéria podem-se ler links fazendo as seguintes referências: “Veja também: Pedido de vista barra votação de projeto da 'cura gay' em comissão de Feliciano” , “Pastor Silas Malafaia critica casamento civil entre gays” ,“Marco Feliciano já defendeu pastor acusado de estupro” (SIC!). É visível a intenção de aviltar, degradar e manobrar dolosamente os fatos. Veja e compreenda as entrelinhas do desígnio geral da coluna lendo a matéria completa AQUI  Essa conduta contrária à ética jornalística gerou uma enxurrada de críticas nas redes sociais. 

                    Há tantos bons pontos que poderiam ser enfatizados em evento tão grandioso como este, e o redator ardilosa e dolosamente distorce a realidade, e faz passar a ideia de que ali ocorreu uma aglomeração de “fundamentalistas” (como eles adoram estereotipar) com o propósito de jogar a opinião pública de encontro ao movimento cristão. Muitos protestos contra essa antiga prática do maior grupo televisivo e jornalístico do Brasil, partiram das redes sociais: “O patrulhamento ideológico e a distorção dos fatos podem ser tão nocivos quanto a censura”, afirmou no Twitter o usuário @RedePDT12. Já outro usuário disse “o gayzismo esquerdista está “se rasgando” com “dor de cotovelo” do que chamaram equivocadamente de "fiasco", outro complementou "a imprensa marrom tem sempre o desprazer de tentar diminuir tudo que vá de encontro aos seus interesses"  A realidade é que há um jogo sórdido e vil, e que tem o propósito de supervalorizar factoides e omitir ou minimizar atos e fatos grandiosos, especialmente os atinentes à moralidade a favor da família cristã e atinentes à valorização da heteronormatividade. 

Enquanto o Deputado Jean Willys se referia no Twitter ao movimento como um
“fiasco”, vídeos circulavam pelas redes sociais desmentindo essas falsas argumentações, evidenciando a enorme concentração de público na esplanada dos ministérios, como esse vídeo postado no Youtube e que você pode assistir AQUI. A realidade é que o movimento atingiu seu objetivo: "evidenciar a insatisfação dos cristãos, que hoje representam cerca de 75% da população brasileira, provocado pela  enxurrada de privilégios concedidos à essa minoria pelo poder legislativo, executivo e judiciário". Não sejamos injustos com algumas poucas emissoras, rádios e jornais impressos, que enfatizaram de forma imparcial o movimento. Quando a força da lei tentar nos calar, ainda restará a força da nossa união para lutar, por isso una-se a esse movimento e tome posição nas trincheiras dessa batalha. A bíblia nos ensina que em situações como a que vivia Noé, como a que vivia Ló e sua família, como a que vivemos hoje, não podemos cruzar os braços e nos omitirmos diante da situação. Paulo nos ensina em Romanos 12:2 “E não vos conformeis a este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.” É o momento de tomarmos posicionamento, de sairmos dessa omissão opinativa e móbil, e tomarmos nosso verdadeiro lugar. E esse movimento já mostrou a que veio, mostrou que somos muitos e que temos opinião e não nos acomodaremos diante de tudo isso.

Pr Gesiel Oliveira
Bacharel em Direito, Pastor Vice Presidente da Assembleia de Deus Zona Norte de Macapá (adzonanorte.blogspot.com) com mais de 10 mil membros e 84 congregações, Professor de Direito Penal, Oficial de Justiça do TJAP, teólogo, geógrafo, escritor, blogueiro e apresentador do Programa "Palavra de Vida" na FM RBN 104,9.  
Siga-me no Twitter: @PrGesiel_
Facebook: "Gesiel Oliveira"

Nenhum comentário :

Postar um comentário