sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Justiça amazonense determina a suspensão da AGE de SP e imediata reintegração do Pr Ivan Bastos


Conforme acaba de ser anunciado no perfil do pastor Samuel Câmara, no Facebook (veja aqui), em decisão prolatada ontem, dia 13 de agosto, o juiz José Renier da Silva Guimarães, da 5ª Vara Cível da Comarca de Manaus, AM, concedeu tutela antecipada aos autores da ação em que suspende a AGE da CGADB marcada para o dia 02 de setembro em São Paulo, SP, e reintegra o pastor Ivan Bastos ao exercício das funções de 1° tesoureiro da entidade.

A decisão suspende os efeitos do 
Processo Ético Disciplinar nº 036/12 e seus apensos, nº 024/12, 026/12, 037/12 e 043/12, o que implica em manter no quadro de associados não só o pastor Ivan Bastos, mas também os pastores Jônatas Câmara e Sóstenes Apolos (in memoriam) até deliberação ulterior do juízo, estendendo-lhes os benefícios que já haviam sido concedidos ao pastor Samuel Câmara.

O juiz considerou que a prova trazida aos autos evidencia "
a ofensa clara ao direito de ampla defesa dos requerentes, submetidos a processos disciplinares castradores de sua independência como membros eminentes da entidade religiosa". Para ele, isso é suficiente para que amalgame o seu convencimento, bastante para demonstrar a existência do fumus boni juris. Para cada dia de atraso não justificado, a multa é de R$ 20.000,00.

Agora resta saber se a Mesa Diretora da CGADB devolverá os R$ 50,00 que cada convencional pagou no ato de inscrição. 

Um comentário :

  1. Fico feliz que ouve, a tempo, a intervenção da justiça nessa retaliação da Mesa Diretora da CGADB aos pastores que se candidataram, com legitimidade, à direção dessa entidade. Por outro lado, fico triste em saber que chegou a esse ponto! Nós, às vezes, dizemos que os valores estão sendo deturpados e isso, claro, pensando no que o mundo faz em relação às nossas tradições, bons costumes e preceitos bíblicos. Más infelizmente isso está acontecendo em nosso meio, pois numa instituição que deveria ser exemplo de: transparência, seriedade, desapego à posição, amor ao irmão - já que esse é o mais próximo de nós que podemos imaginar, equidade e, óbvio, como pessoas que desejam o Céu, seguindo o exemplo de Jesus Cristo, a injustiça, causada pela diretoria dessa convenção, vem mostrando a "cara" dos que estão nos representando. Quero dizer ainda que, não somente eu más muitos outros pastores que apreciam a honestidade e os valores cristãos, estamos horrorizados e temerosos com as atitudes tomadas pela direção desse órgão normatizador de nossa denominação. Sempre digo, em minhas falas à igreja, que se o nosso reformador, Martinho Lutero, estivesse vivo hoje, ele faria a Reforma Protestante no meio evangélico e, por que não dizer, começando pela CGADB e, mais especificamente, pelos sumos sacerdotes que a conduzem.

    Pr. Carlos Marcelo Pinto
    1º Vice Presid. Assembleia de Deus em Santa Maria/DF - Min. ADESAM

    ResponderExcluir