terça-feira, 10 de outubro de 2017

Como sermos "excelentes" pais aprendendo com a Globo.

Ontem a Globo e o Fantástico me ensinaram que se eu quero ser um bom pai ou mãe, eu tenho que oferecer "cultura" e "arte" para os meus filhos. Desta forma eu preciso levá-los para tocar num homem nu e também para ver imagens de orgias, zoofilia e bestialidades pois isso é muito moderno, descolado e criativo. A Globo inclusive me mostrou como "belo exemplo a ser seguido" um casal de hips tatuados que adotaram a ideologia de gênero na sua família, que tem dois filhinhos: uma menina masculinizada e um menino afeminado, pois eles nascem como "sacos vazios" e a escolha de sua sexualidade e gênero decorrem de "construções sociais", ou seja, são as relações sociais que no futuro vão definir a sua orientação sexual. A Globo me mostrou pesquisas do IBOPE que revelam que a intolerância mata mais que guerras mundo afora, e que se meu filho quiser ser poliformicamente sexual, eu não posso impedi-lo porque isso vai gerar traumas psicológicos irreparáveis, segundo pesquisa do Instituto Borboleta Livre, ligado ao IBOPE. Eu aprendi que eu não posso interferir nisso. Estou aprendendo a ser um excelente e moderno cidadão e chefe de família. Alias, a igreja e a família, de acordo com a Globo, são
instituições anacrônicas, insuficientes e retrógradas e não podem ditar o que os filhos devem ou não fazer. A Globo me mostrou uma maravilhosa exposição onde eu vi até hóstias com palavrões, um Jesus Cristo na cruz com vibrador na mão e um quadro com o rosto de um negro cheio de esperma expostos no QueerMuseu em Porto Alegre e que foram considerados pelos atores globais e especialistas, como expressão maior da arte moderna. Também achei tremendamente cultural um homem nu ralar uma imagem de Nossa Senhora até não sobrar mais nada, enquanto uma multidão de jornalistas e fotógrafos se aglomeravam para pegar o melhor ângulo. Na outra matéria eu aprendi que os cristãos são intolerantes e que os "artistas" da exposição do "peladão" é que fazem a coisa certa em permitir que uma criança de 5 anos apalpe todo o seu corpo, mesmo que a criança esteja extremamente constrangida, pois era a sua mãe (militante do PT) que estava ali segurando em sua mão enquanto a criança o apalpava. Aliás a Globo ouviu "especialistas" da Conselho Federal de Psicologia, da OAB e dos Direitos humanos que asseguraram "dentro da lei" que isso não é pedofilia e que representa a face mais moderna da arte. Artistas como Caetano Veloso foram ouvidos e garantem que essa é a melhor forma de ser criar uma criança. Aliás, pensando bem, o Brasil todo está errado e só a Globo está coberta de razão. Nossa sociedade realmente é muito preconceituosa, imagine só, como é que esse povo retrógrado, fascista, alienado e fundamentalista vem querer censurar coisas de primeiro mundo? Que bom que temos a Globo para nos ajudar a sermos excelentes e modernos pais. E
ainda tem as novelas diárias para alicerçar bem os princípios como: desrespeito aos mais idosos, ódio a policiais e pastores, pra ensinarem meus filhos sobre a diversidade sexual, dentre outros maravilhosos ensinamentos. Pronto, agora eu tenho tudo pra ter uma ótima família moderna. Meus filhos tem tudo para se tornarem cidadãos tolerantes, modernos e politicamente corretos. Só fiquei na dúvida, porque a Globo na matéria do Fantástico do dia 8, não deixou claro se tenho que levar meus filhinhos pra aprender arte moderna num museu com uma exposição paga pela lei Rouanet ou qualquer prostíbulo de periferia serve? Será que alguém da Globo pode me responder? Pr
Gesiel Oliveira.

Nenhum comentário :

Postar um comentário