segunda-feira, 8 de julho de 2013

Jean Wyllys afirma que "recebe hoje salário igual ao tempo em que era professor"

O movimento LGBT vem fincando seus alicerces por meio de seu maior defensor, o ex-BBB e atual deputado federal Jean Wyllys. No programa “Tas ao vivo” no dia 04 de julho, Jean Wyllys afirmou que considera seu salário de parlamentar baixo para “o tanto que ele trabalha” e ainda questionou o fato de a sociedade reclamar do salário dos parlamentares ao invés de reclamar do salário dos grandes executivos, uma bobagem, já que mais de 90% das empresas brasileiras são micro, pequenas e médias. Assista ao trecho do vídeo em que ele reclama do seu salário AQUI. Assista a íntegra da entrevista AQUI.

Nessa entrevista ele afirma que "o meu salário, tirado os descontos, vira o salário de um professor de 40 horas/semanais de dedicação exclusiva numa universidade privada". Jean Wyllys possui salário de R$ 26.723,13 (salário 'seco', sem demais gratificações, abonos, cotas e indenizações) isso significa que em quatro anos de mandato ele embolsará R$ 1.282.710,24.  O que ele omitiu na entrevista foi o valor da famosa “verba de gabinete” bem como de outras, que você pode encontra no Portal da Transparência da Câmara. Segundo sua fala, descontados os impostos, ele receberia R$ 15 mil por mês, o que lhe garante no mínimo R$ 720 mil reais em quatro anos! Isso o deixa no topo de nossa pirâmide social, segundo o IBGE. A pergunta que se faz é: isso seria pouco?. Não, não é, porque isso não é a verdade. O deputado federal brasileiro é o segundo mais caro do mundo, ficando atrás apenas dos deputados dos Estados Unidos. Vale lembrar que os E.U.A. possuem um P.I.B. de US$ 15 trilhões, enquanto o do Brasil vale US$ 2,3 trilhões.

Diante da afirmação do deputado, de que ele recebe hoje (com os descontos) o mesmo salário de quando era professor universitário, fomos atrás dos dados no portal da transparência da câmara dos deputados, e os dados que descobrimos foram assustadores. Fomos averiguar o fundamento da alegação de que o salário de um deputado é realmente igual à de um professor universitário, e procurar saber se estava realmente difícil a vida do parlamentar. Mas primeiro é preciso lembrar que além dos 39 salários de renda de um deputado, ele ainda recebe auxílio moradia por reembolso e tantas outras verbas vinculadas. Mas as surpresas maiores vieram ao detalhar os números, acompanhe:

Fonte: Portal da Transparência da Câmara dos Deputados (acesse AQUI)

Só no mês de abril de 2013 o deputado Jean Wyllys, usou o equivalente R$ 52.460,95, sendo que desse R$ 39.554,88 foram somente com a rubrica "Divulgação de atividade parlamentar", faltando clareza do portal para o detalhamento. Acesse o portal da transparência da Câmara dos Deputados AQUI e veja outros   gastos. Outro fato é que o Deputado JW é um dos congressistas que mais gastam com essa cota. Dos 513 deputados ele é o 56º. Quem ainda luta pela sua bandeira, sugiro que acesse esse site AQUI e conheça melhor o paladino da bandeira multicolorida. Falar a verdade, ser sincero e respeitar o erário público é fundamental para quem tem vida pública.

5 comentários :

  1. Olá, paz! Excelente matéria. Quanto à esse deputado (com nome de carro antigo), o considero um imbecil que fala um monte de bobeiras e inverdades. Só um "cabeça oca" para dizer algo tão sem nexo. É o que penso a respeito do tal parlamentar.
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dia desses tive acesso a essas informações. E tomei o cuidado de comparar com os custos de Falaciano. Então, acho que vale a pena essa comparação.
      Outra coisa, ele não escondeu a questão da verba de gabinete, como todos os deputados "usam", mas faz a diferença no uso.
      Gosto de Jean, votaria nele porque acredito em sua integridade. Mas, evangélicos de seriedade, numa proporção de 9/10 não votariam em Falaciano.

      Excluir
  2. Dia desses tive acesso a essas informações. E tomei o cuidado de comparar com os custos de Falaciano. Então, acho que vale a pena essa comparação.
    Outra coisa, ele não escondeu a questão da verba de gabinete, como todos os deputados "usam", mas faz a diferença no uso.
    Gosto de Jean, votaria nele porque acredito em sua integridade. Mas, evangélicos de seriedade, numa proporção de 9/10 não votariam em Falaciano.

    ResponderExcluir
  3. Quero lhe dar os parabéns e glorificar ao Senhor Deus por sua vida. Essas frases refletem a ortodoxia bíblica, conhecimento sadio de profundas verdades extraídas das Escrituras. Tenho sido profundamente edificado com tais máximas e oro ao Senhor para que o amado irmão continue nessa caminhada, edificando, repreendendo, corrigindo, consolando e exortando o Corpo de Cristo. Ao amado em Jesus, deixo a amorosa exortação feita pelo escritor sacro:

    "Porque Deus não é injusto para se esquecer da vossa obra, e do trabalho do amor que para com o seu nome mostrastes, enquanto servistes aos santos; e ainda servis." (Hebreus 6:10).

    A propósito, caso ainda não esteja seguindo o meu blog deixo aqui o convite, acesse o link abaixo:

    Fruto do Espírito

    Minha Fan Page

    P.S. Convido a conhecer o blog do irmão J.C.de Araújo Jorge.
    Mensagens atuais, algumas polêmicas, porém abençoadoras...
    Acesse e confira:
    Discípulo de Cristo

    Em Cristo,
    ***Lucy***

    ResponderExcluir
  4. JOEL CARVALHO - DF11 de julho de 2013 17:28

    Então esse deputado nojento que posa de ético, não passa de mais um ser repugnante entre os outros 513 da Câmara? Tenha vergonha na cara! A maioria dos brasileiros sonham em ganhar 10% de seus R$ 15.000,00 alegados por você! E, duvido muitíssimo que sejam apenas 15.000,00!
    Você não gosta desse gordo salário e ainda acha pouco seu deputadinho, que foi eleito com pouco mais de 10.000 votos? Então vá virar empresário e ser produtivo ao país!
    Quanto aos pastores, que na verdade são poucos os que recebem grandes salários, eles não diferentes dos grandes sindicalistas milionários, que inclusive muitos deles são ligados à sua ideologia esquerdopata e até mesmo ao seu partido!
    - Ainda sobre pastores, aqui mesmo no DF, testemunhei a morte de um pastor da Assembleia de Deus, o qual morreu à míngua, aguardando vaga para cirurgia cardíaca. Ficou internado 27 dias, e morreu em 21 de fevereiro de 2013, em razão de seu grave estado de saúde.
    Tenho certeza que nenhum deputado morrerá por falta de assistência médica, pois recebem quantias enormes e inclusive são reembolsados num caso desses de tratamento de saúde, quando não tratados pelo serviço médico da Câmara, que é altamente qualificado, ou então tratados em redes particulares de hospitais conveniados, os melhores, diga-se de passagem!

    ResponderExcluir